TC ou TAC

Tomografia computadorizada

O que é TC ou TAC?

O exame de tomografia computorizada (TC) serve para auxiliar o médico no diagnóstico de várias doenças, assim como para avaliar a resposta ao tratamento, conforme veremos adiante com mais detalhe.

A tecnologia base utilizada na tomografia é a radiação ionizante, semelhante à radiologia convencional (radiografia) também utilizada na medicina. No entanto, através de algoritmos complexos e recorrendo a sistemas informáticos (computorizada), são produzidas as imagens utilizadas para diagnóstico médico.

A designação tomografia axial computorizada (TAC) deve-se à tecnologia utilizada inicialmente para a produção de imagem: a gantry rodava em torno do doente (axial), e por ciclo produzia uma imagem; entre ciclos, a mesa onde o doente estava deitado movia-se uns milímetros/centímetros e assim sucessivamente. No entanto, esta designação caiu em desuso porque a tecnologia helicoidal, entretanto desenvolvida, possibilitou a produção de imagem com movimento contínuo da mesa e a rotação contínua da gantry. O exame passou a designar-se simplesmente por tomografia computorizada (TC).

Os termos tomografia computarizada e tomografia computadorizada que derivam da palavra computador são também utilizados para nos referirmos ao exame em alguns Países. Em Portugal o termo usado é tomografia computorizada ou simplesmente tomografia. A abreviatura TAC continua a ser mais conhecida que TC apesar do atrás enunciado, por razões históricas.

Os aparelhos de TC efetuam diversos “cortes”, isto é, produzem várias imagens (multicorte) por cada ciclo da gantry, proporcional ao número de detetores instalados na gantry.

Os cortes equivalem a uma “fatia” do segmento do corpo humano em estudo. Em função dos parâmetros técnicos previamente definidos, esses cortes podem ter diferentes espessuras. Veja imagens superiores.

clinica_imagiologia.png

Tomografia com contraste

Na tomografia com contraste é avaliado o comportamento vascular das estruturas em estudo, complementando a avaliação inicial sem contraste (TC sem contraste).

Os produtos de contraste iodados são administrados por via endovenosa e aumentam o contraste entre as estruturas com diferentes fluxos sanguíneos, salientando estruturas hipervascularizadas como por exemplo tumores ou inflamações.

Existem riscos acrescidos no uso de contrastes em alguns doentes. Alguns dos efeitos secundários ou colaterais conhecidos são deterioração da função renal e reações alérgicas. O efeito secundário mais perigoso é o choque anafilático, todavia trata-se de uma complicação rara, que pode ser prevenida através de medicação profilática dirigida e para a qual existe tratamento adequado em meio hospitalar.

O uso de produtos de contraste iodados está contra-indicado em doentes com insuficiência renal grave e com história de reação anafilática (alergia) prévia.

As reações são mais frequentes comparativamente ao uso de gadolínio em RM. A amamentação não é contra-indicação para a administração de contraste.

A designação tomografia sem contraste, como o próprio nome indica, é usada para nos referirmos à ausência de contraste (a maioria dos casos).

Exames de tomografia (TC)

Descrevemos, de seguida, em que patologias e diferentes órgãos e sistemas do corpo humano o exame é realizado de uma forma mais frequente.

Tomografia do crânio

A tomografia do crânio, craniana (cabeça) ou TC cerebral permite ao médico efetuar o estudo do encéfalo. O exame possui indicações em diversas situações clínicas, designadamente em doentes com alterações neurológicas (cefaleias, alterações motoras ou sensitivas, convulsões, etc.) para avaliação de eventual isquemia/enfarte, hemorragia ou infeção. É utilizada também no follow-up em doenças oncológicas (tumores cerebrais ou no cérbero).

Saiba, aqui, tudo sobre TC do crânio.

Tomografia da coluna

A tomografia da coluna ou seus segmentos (tomografia de coluna lombar, tomografia da coluna cervical, tomografia da coluna dorsal, tomografia da coluna lombo sacra, etc.) é efetuada com mais frequência em doentes que apresentam dor na coluna, alterações de sensibilidade (parestesia) ou falta de força (parésia) num dos membros superiores ou inferiores.

Este exame visa a investigação de patologia degenerativa (prolapsos ou hérnias discais), compressão medular, espondilose, entre outas.

Saiba, aqui, tudo sobre TC da coluna.

No caso de doentes oncológicos, permite o diagnóstico de metástases ou tumores primários, bem como para avaliar a resposta ao tratamento.

Tomografia do joelho TA-GT

A tomografia do joelho é particularmente útil em doentes com instabilidade femoro-patelar. O estudo TC do joelho, com avaliação TA-GT, permite avaliar displasia troclear, desvio axial da rótula ou rótula alta, entre outros.

Saiba, aqui, tudo sobre TC do joelho.

Tomografia do ombro

A tomografia do ombro está indicada em doentes com história de luxação do ombro, nomeadamente para avaliação de eventuais lesões ósseas na cabeça umeral e/ou na cavidade glenóide.

Saiba, aqui, tudo sobre TC do ombro.

Tomografia torácica

tomografia torácica (tomografia pulmonar ou TC de Tórax) está indicada no estudo de doenças pulmonares (do pulmão), do mediastino ou da pleura.

clinica_imagiologia.png