ANGIO TC

Tomografia computadorizada

O que é ANGIO TC?

A ANGIO TC ou angiotomografia é um exame de diagnóstico que nos permite avaliar os vasos sanguíneos (veias e artérias). As artérias (sangue arterial) permitem enviar o sangue desde o coração até às células, enquanto que as veias permitem conduzir o sangue desde as células de volta até ao coração (sangue venoso).

A ANGIO TC é realizada através de uma técnica sobejamente conhecida – tomografia computorizada (TC) ou tomografia axial computorizada (TAC). Veja mais informação em “como é realizado o exame”.

Para obter as imagens é necessário administrar contrastes, de modo a permitir uma correta visualização dos vasos sanguíneos e, desta forma, distinguir entre o que é normal e patológico (apresenta doença). O uso de produtos de contraste iodados está contra-indicado em doentes que apresentem insuficiência renal grave e com história de reação anafilática (alergia) prévia. Veja mais informação em riscos dos produtos de contraste.

Principais vasos estudados

A angiografia por TC é um exame que serve para auxiliar o médico no estudo de diversas patologias (doenças), assim como para avaliar a resposta ao tratamento.

Veja na tabela seguinte os principais exames e indicações:

  • Orgão - Cérebro | Designação do exame - Angio TC cerebral | Algumas Indicações -  Acidente Vascular Cerebral (AVC), aneurismas, caracterização de lesões cerebrais.
  • Orgão - Coração | Designação do exame - Angio TC cardíaca (coronariografia) | Algumas Indicações - Isquémia do miocárdio.
  • Orgão - Pulmão | Designação do exame - Angio TC pulmonar | Algumas Indicações - Tromboembolismo pulmonar, hipertensão pulmonar.
  • Orgão - Aorta (torácica ou bdominal) | Designação do exame - Angio TC (torácica ou abdominal) | Algumas Indicações - Sindrome aórtico agudo (rotura de aneurisma ou disseção da aorta).
  • Orgão - Fígado | Designação do exame - Angio TC hepática | Algumas Indicações - Hipertensão portal, trombose arterial ou venosa.
  • Orgão - Rins | Designação do exame - Angio TC renal | Algumas Indicações -  Hipertensão secundária a estenose da artéria renal.
  • Orgão - Membros | Designação do exame - Angio TC arterial, Angio TC venosa | Algumas Indicações - Isquémia arterial, Trombose venosa profunda.

Quem pode realizar o exame?

Geralmente, o exame pode ser efetuado por qualquer pessoa de qualquer faixa etária. Caso haja necessidade de realização do exame em crianças, este poderá ser realizado com sedação (anestesia), mas devido à radiação emitida a ressonância magnética (RM) é o exame preferencial.

A gravidez constitui uma contra-indicação relativa à concretização de exames imagiológicos que empreguem radiação ionizante, pelo que a mulher grávida, por norma, não deverá ser sujeita ao exame. No entanto, em função do contexto clínico, poderá estar recomendada a realização do exame (exemplo em situações urgentes e sem recurso a outros métodos de diagnóstico).

Quanto tempo demora o exame?

A duração média é de 15-20 minutos. Os exames mais demorados são os que abrangem mais do que uma área anatómica, por exemplo estudo abdominal e pélvico, no caso de avaliação da aorta abdominal.

Após a obtenção e arquivo das imagens, a ANGIO TC terá de ser relatada, sendo este tempo bastante variável e que depende da urgência do exame.

É necessário jejum?

O doente deverá estar em jejum, nunca inferior a 4 horas, pois o exame precisa de administração de contraste. O doente deverá ser avisado antecipadamente sobre a necessidade de se manter em jejum pelo Serviço de Radiologia onde irá realizar o exame.

O doente pode tomar a medicação habitual, exceto se houver indicação médica expressa.

Alternativas à ANGIO TC

Existem outros exames que permitem a avaliação dos vasos, como a angiografia de subtração digistal. Este exame permite uma avaliação mais detalhada dos vasos, sobretudo de menor calibre, contudo não avalia de forma adequada os órgãos (apenas os vasos). Permite, porém, a possibilidade de realização de procedimentos terapêuticos se necessário – colocação de stents, dilatação de vasos, etc..

A ressonância magnética é muito útil em doentes jovens, uma vez que não usa radiação ionizante. Para além disso, permite estudar alguns vasos sem o recurso à administração de contraste, útil nos casos de contraindicação ao mesmo. Contudo, esta técnica tem menor resolução espacial, estando recomendada sobretudo para estudo dos grandes vasos.

Quanto custa uma ANGIO TC?

Quando o exame é concretizado a título particular, o valor do exame é determinado pela clínica de imagiologia que o executa. Para os doentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS) os exames são comparticipados pelo estado. O utente apenas terá de pagar o valor da taxa moderadora.

Para os beneficiários da ADSE e de outros subsistemas, o utente apenas terá de suportar o valor dos copagamentos determinados (veja tabelas do subsistema). No caso dos seguros de saúde o preço depende das condições associadas ao seu plano de seguro.

Veja onde fazer o exame, e mais informações sobre o preço dos exames e contactos em Portugal, na clínica de imagiologia, selecionando seu concelho.

clinica_imagiologia.png

Como se realiza a ANGIO TC?

É solicitado ao doente que substitua a sua roupa por uma bata e que retire todos os objetos metálicos de que é portador, nomeadamente, o relógio e acessórios em geral. O doente é posicionado em decúbito dorsal (“barriga para cima”) na mesa do equipamento de TC que resvalará para o interior do aparelho de TC. O doente deve conservar-se em repouso absoluto durante o exame.

O exame é realizado por um técnico de radiologia. Durante a realização do exame serão dadas instruções e o doente poderá pedir a suspensão do mesmo, via intercomunicador, caso se sinta incomodado. O paciente não experimenta qualquer tipo de dor durante a concretização do exame, uma vez que a TC é um exame não invasivo e indolor.

O técnico obtém as imagens e arquiva-as, por norma em suportes digitas de imagem (PACS). Depois, o médico radiologista examina as imagens e interpreta o exame. Esta interpretação originará um relatório (escrito) do exame da responsabilidade do médico radiologista.

Unicamente após a validação do relatório final por parte do médico radiologista é que os resultados do exame (imagens e relatório) são conhecidos. A observação será considerada normal quando as estruturas observadas não apresentarem alterações significativas ou suspeitas. Caso contrário, o radiologista relata o observado.

Como funciona a TC?

A tecnologia base empregada na tomografia computorizada é a radiação ionizante, idêntica à radiologia convencional (radiografia). Todavia, por via de algoritmos complexos e de sistemas informáticos (computorizada), são geradas as sequências de imagens usadas para diagnóstico médico.

Os aparelhos de TC executam diferentes “cortes”, ou seja, concebem várias imagens (multicorte) por cada ciclo da gantry, proporcional ao número de detetores instalados na gantry. Cada “corte” corresponde a uma “fatia” do segmento do corpo humano em observação. Em função dos parâmetros técnicos anteriormente esclarecidos, esses cortes podem ter diversas espessuras.

A designação tomografia axial computorizada (TAC) prende-se com a tecnologia usada inicialmente para a formação de imagem (axial). Porém, esta denominação caiu em desuso porque a tecnologia helicoidal, entretanto desenvolvida, proporcionou a formação de imagem com movimento contínuo da mesa e a rotação contínua da gantry. O exame passou a denominar-se apenas por tomografia computorizada (TC).

Riscos na administração de contraste

Para obtenção de imagens na angiotomografia são administrados produtos de contraste iodados por via endovenosa (EV). Estes produtos são considerados seguros, mas não estão isentos de algumas possíveis complicações. Existem riscos aumentados no uso de contrastes em determinados doentes.

Alguns dos efeitos secundários ou colaterais avaliados prendem -se com a deterioração da função renal e reações alérgicas. O efeito secundário mais indesejável é o choque anafilático, porém trata-se de uma complicação rara, que pode ser acautelada através de medicação profilática dirigida e para a qual existe tratamento apropriado em meio hospitalar.

O uso contrastes iodados está contra-indicado em doentes com insuficiência renal grave e com história de reação anafilática.

As reações com os contrastes usados em TC são mais frequentes quando comparadas com o uso de gadolínio em RM.

clinica_imagiologia.png