Trombose venosa profunda

Trombose venosa profunda

O que é trombose venosa profunda?

A trombose venosa profunda é a formação de um trombo (coágulo sanguíneo) nas veias mais profundas, sendo mais frequente nos membros inferiores (pernas). A formação de um coágulo sanguíneo (veja imagens), impede a normal circulação sanguínea (do sangue), podendo resultar em complicações mais ou menos graves, e em último caso, poderá existir risco de morte. 

Os trombos ou coágulos sanguíneos podem surgir no interior do coração ou de um vaso sanguíneo. O coágulo pode-se formar nas veias (vasos sanguíneos que levam o sangue ao coração), designando-se neste caso por trombose venosa. O coágulo pode também formar-se nas artérias (vasos sanguíneos que trazem o sangue do coração), designando-se neste caso por trombose arterial.

A trombose pode ocorrer em qualquer veia ou artéria do corpo. O quadro clínico da trombose de uma veia (trombose venosa) é diferente da trombose de uma artéria (trombose arterial).

Como vimos, a trombose venosa é mais frequente nos membros inferiores (trombose nas pernas), mas também pode ocorrer trombose nos membros superiores (trombose no braço), nas veias do cérebro (trombose venosa cerebral), entre muitos outros locais.

Ao longo deste artigo, mostramos-lhe tudo sobre a trombose venosa profunda, dada a sua alta incidência entre a população, principalmente a trombose venosa profunda dos membros inferiores (pernas).

Trombose venosa - causas

O risco de trombose venosa aumenta com os seguintes fatores:

  • Tabagismo (ser fumador);
  • Doenças que facilitam a coagulação sanguínea (trombofilias);
  • Toma de contracetivo (pilula) ou outros fármacos com hormonas;
  • Permanecer muitas horas na posição sentada ou deitada, pois o sangue tem mais dificuldade em circular pelo corpo;
  • Grávidas;
  • Idade superior a 60 anos;
  • Presença de varizes;
  • Cirurgias (ocorre após cirurgia);
  • Obesidade.

Trombose venosa - sintomas

Os sinais e sintomas da trombose venosa podem diferir de acordo com a veia afetada. São sintomas ou sinais de trombose nas pernas:

  • Dor nas pernas;
  • Edema (inchaço);
  • Alteração na coloração da pele da perna.

Trombose venosa - diagnóstico

O médico pode detetar a trombose pelas queixas e através da observação do doente. No entanto, a trombose pode apresentar sintomas pouco específicos dificultando o seu diagnóstico. O médico pode solicitar exames especiais como o Eco Doppler (ecografia para observar os vasos), para confirmar o diagnóstico.

Saiba, aqui, tudo sobre Eco Doppler.

Há quem realize análises de sangue, para doseamento de uma substância, chamada D-Dímero. Quando estes estão muito elevados existe uma elevada probabilidade de estarmos perante uma trombose venosa aguda. Este teste é muito sensível, mas não é muito conclusivo, visto que ele pode estar elevado noutras situações.

O médico cirurgião vascular (especialista em cirurgia vascular) tem formação para identificar e tratar a trombose venosa. Além disso procura distinguir a trombose venosa de outras patologias, como doenças da pele, dos ossos ou dos músculos, ou seja, faz o diagnóstico diferencial.

Trombose venosa - complicações

São complicações da trombose venosa, a embolia pulmonar e o síndroma pós-trombótico. A embolia pulmonar ocorre quando um coágulo se solta da veia e migra na corrente sanguínea até aos pulmões. É uma complicação grave.

Saiba, aqui, tudo sobre embolia pulmonar.

O síndroma pós-trombótico é uma complicação crónica da trombose venosa. Consiste em edema e dor na perna, alterações da pele e em fases avançadas úlcera (ferida). Estas queixas resultam da lesão crónica da veia provocada pelo trombo.

Trombose venosa tem cura?

É possível tratar a trombose. O tratamento deve ser iniciado imediatamente após o diagnóstico da doença. Se tiver alguma queixa sugestiva de trombose venosa procure um médico de cirurgia vascular.

Trombose venosa - tratamento

A base do tratamento medicamentoso são os anticoagulantes. Estes medicamentos (ou remédios) podem ser administrados em forma de injeções ou comprimidos. Têm como principal objetivo impedir o crescimento do coágulo e que ele se solte. O coagulo ao soltar-se pode migrar para outras partes do corpo, como os pulmões, causando embolia pulmonar.

Os fibrinolíticos são outros tipo de medicamentos utilizados no tratamento da trombose venosa. Estes são administrados por via endovenosa e destroem o trombo. O doente tem de ficar internado.

Além disso é recomendado o uso de meias de compressão. As meias melhoram as queixas e evitam as complicações (como o síndroma pós-trombótico). Fazer fisioterapia também pode ajudar a melhorar o edema (inchaço) causado pela trombose.

O doente deve tomar consciência da gravidade da doença, nunca deve automedicar-se ou tentar qualquer tipo de tratamento caseiro ou natural, ou simplesmente ignorar os sinais e sintomas, sob pena de poder agravar o seu quadro clínico. Como vimos anteriormente, existem complicações graves que podem inclusive colocar a vida do doente em risco.

Cirurgia na trombose venosa

Em doentes muito selecionados é possível remover o coágulo das veias com técnicas cirúrgicas (cirurgia ou operação). Contudo, elas têm vindo a ser substituídas por técnicas minimamente invasivas- tipo cateterismo. Estas técnicas consistem na colocação de dispositivos no interior da veia, através de uma punção, que destroem os coágulos. Contudo, nem todos os doentes são candidatos a este tipo de tratamentos. Cabe ao cirurgião vascular escolher o melhor tratamento para o seu doente.

Como prevenir a trombose venosa?

A prevenção da trombose passa por um estilo de vida saudável, como por exemplo não fumar, não aumentar de peso e ter uma alimentação saudável. Deve evitar a imobilização prolongada, especialmente após uma cirurgia ou uma viagem de avião, de modo prevenir o surgimento de trombose venosa.

A toma de contracetivos (pilulas) ou outros fármacos com hormonas deve ser sempre prescrita pelo médico. As mulheres grávidas devem ser vigiadas em consultas regulares, no seu médico obstetra, durante toda a gestação.

Saiba, aqui, tudo sobre gravidez.

Os doentes de risco, como por exemplo, com problemas de coagulação sanguínea (trombofilias), que possuam varizes, entre outras patologias, devem ser acompanhados pelo seu médico assistente.

Saiba, aqui, tudo sobre varizes.

Para evitar a trombose após uma cirurgia, recomenda-se uma mobilização o mais precoce possível, o uso de meia elástica e devem ser sempre prescritos medicamentos para impedir a formação de coágulos.

medico-concelho.jpg