TC ou TAC do Crânio

Tomografia computadorizada

O que é TC de crânio?

A tomografia computorizada (TC ou TAC) do crânio ou craniana (cabeça) é um exame de diagnóstico por imagem que possibilita o estudo do encéfalo. É muito importante no estudo de diversas patologias (doenças), como por exemplo na trombose cerebral, aneurisma cerebral, tumores benignos ou malignos (cancro), alterações neurológicas, entre outras. Veja mais informação em indicações para a TC do crânio.

O termo tomografia computorizada é frequentemente abreviado para TC e o termo tomografia axial computorizada abreviado para TAC. De uma forma simplificada, podemos afirmar que as duas designações (TC ou TAC) referem-se ao mesmo exame. O termo “axial” deriva da tecnologia que era usada inicialmente para a produção de imagem, tendo esta terminologia se mantido ao longo dos anos, sendo ainda usada frequentemente por médicos e doentes. Ou seja, na prática quando nos referimos a TC do crânio ou TAC do crânio estamos a referir-nos ao mesmo exame.

Indicações da TC de crânio

A tomografia computorizada do crânio ou craniana é um exame que serve para auxiliar o médico no diagnóstico de diversas patologias ou doenças. Como exemplos, podemos destacar:

  • Acidente vascular cerebral (AVC);
  • Aneurisma cerebral (do cérebro);
  • Tumores benignos ou malignos (cancro);
  • Doença de Alzheimer;
  • Doença de Parkinson;
  • Esclerose Múltipla;
  • Epilepsia;
  • Meningite;
  • Follow-up em doenças oncológicas;
  • Etc.

Note que apenas incluímos alguns exemplos de patologias, sendo que o exame pode ser muito importante para ajudar a detetar muitas outras. Veja mais informação em diagnósticos de cada uma das patologias.

Exemplos de alguns sinais ou sintomas que levam à execução do exame são:

  • Dor de cabeça;
  • Náuseas, vómitos;
  • Vertigens;
  • Tonturas;
  • Alterações motoras;
  • Fraqueza muscular;
  • Alterações sensitivas (da sensibilidade);
  • Convulsões;
  • Alterações no paladar;
  • Diplopia (visão dupla);
  • Nistagmo;
  • Distúrbios emocionais;
  • Etc.
clinica_imagiologia.png

Como funciona a TC?

Tal como na radiologia convencional (radiografia ou Raio X) a tomografia computorizada utiliza radiação ionizante para obter imagens do corpo humano, neste caso do crânio.

As imagens obtidas são produzidas com base na relação entre a radiação emitida e recebida, após atravessar o corpo humano. Porém, no caso da tomografia computorizada recorre-se a algoritmos complexos (por computador), de modo a construir imagens bastante detalhadas dos órgãos em estudo, neste caso do crânio.

Os equipamentos de tomografia computorizada realizam diversos “cortes” dos tecidos a estudar, designando-se por equipamentos “multicorte”, criando imagens individuais para cada segmento de tecido analisado. Cada “corte” corresponde a uma imagem individual e equivale a uma “fina fatia” do segmento do crânio a estudar. Deste modo, é possível reconstruir através de técnicas de computação (algoritmos de computador) todas os segmentos obtidos, construindo a sequência de imagens finais que vão ser observadas pelo médico.

A TC possibilita algumas aplicações especiais. No caso da TC de crânio, o estudo de perfusão cerebral permite-nos identificar as áreas perfundidas de forma adequada e concede informação mais pormenorizada do fluxo sanguíneo cerebral. É especialmente vantajosa no tratamento do acidente vascular cerebral (AVC) isquémico.

Como é feita a TC do crânio?

Antes de iniciar o exame, solicita-se ao paciente que substitua a sua roupa por uma bata e que retire todos os objetos metálicos de que é portador, nomeadamente, o relógio e acessórios em geral.

Para realizar-se o exame, o doente é colocado em decúbito dorsal (“barriga para cima”) na mesa que irá deslizar para o interior do aparelho de TC. Veja fotos.

O exame é executado por um Técnico de Radiologia. Durante a execução da TC, o doente receberá instruções via intercomunicador, devendo manter-se em repouso absoluto, uma vez que qualquer movimento danificará a imagem médica. Ou seja, tal como acontece quando tiramos uma fotografia, a imagem pode ficar “tremida” se existir movimento no momento em que ocorre a aquisição da imagem. Durante o exame, o doente poderá pedir a suspensão do mesmo via intercomunicador caso se sinta incomodado.

O Técnico de Radiologia processa e arquiva as imagens (guarda-as), por norma, em sistemas de arquivo de imagem médica, designados por PACS. As imagens são arquivadas e disponibilizadas, por norma, num standard internacional (DICOM - Digital Imaging and Communications in Medicine). Numa fase posterior, o Médico Neurorradiologista examinará as imagens e interpretará o exame. Esta interpretação conduzirá à elaboração do relatório da TC do crânio que é da responsabilidade do Médico Neurorradiologista.

As imagens e relatório podem ser posteriormente disponibilizadas aos médicos e utentes através de redes de computadores (Intranet ou Internet), ou através da gravação em dispositivos externos (exemplo DVD). Apenas após a validação do relatório final por parte do Médico Neurorradiologista é que os resultados do exame são conhecidos.

O estudo da tomografia do crânio será considerado normal se as estruturas observadas não apresentarem modificações significativas ou suspeitas. Se o médico observar alterações nas imagens dignas de registo, relatará o que observou, devendo estas alterações serem relacionadas com os demais exames e história clínica do doente.

clinica_imagiologia.png

Quem pode realizar a TC do crânio?

A tomografia computorizada de crânio pode, por norma, ser realizada por qualquer pessoa de qualquer idade e sexo, de uma forma simples e célere. No entanto, como se trata de um exame que usa radiação ionizante e sendo conhecidos os riscos dessa mesma radiação, deve ser escrupulosamente ponderada a necessidade da sua realização pelo médico requisitante.

No caso de necessidade de execução da tomografia em crianças, o exame poderá ser feito usando a sedação (anestesia).

A gravidez constitui uma contra-indicação relativa para a execução de estudos imagiológicos que usem radiação ionizante, pelo que a mulher grávida, por norma, não deverá ser submetida ao exame, exceto em situações muito excecionais (situações emergentes, …).

O que pode sentir durante o exame?

O doente não é sujeito a qualquer tipo de dor ou desconforto durante a realização do exame, uma vez que a tomografia computorizada é um exame não invasivo e indolor.

Alguns doentes poderão apenas vivenciar alguns momentos de ansiedade, naturais pela importância do exame.

TC do crânio com contraste

Na tomografia computorizada (TC) do crânio com contraste é avaliado o comportamento vascular das estruturas em análise, completando a avaliação inicial sem contraste. A designação TC do crânio sem contraste, como o próprio nome indica, é utilizada para designarmos a ausência de contraste (a maioria dos casos). Ou seja, nem sempre a TC craniana precisa de usar contraste, estando a sua administração reservada a alguns casos.

Os produtos de contraste iodados são administrados por via endovenosa (EV) e ampliam o contraste entre as estruturas com diferentes fluxos sanguíneos, evidenciando estruturas hipervascularizadas, como por exemplo tumores ou inflamações.

A utilização de contrastes em alguns casos está contra-indicada, pois existem riscos acrescidos no seu uso em determinados doentes. São exemplos os pacientes com insuficiência renal grave e história de anafilaxia prévia aos produtos de contraste.

Saiba, aqui, o que é anafilaxia.

As reações anafiláticas aos produtos de contraste usados em TC são mais frequentes se compararmos com o uso de gadolínio em ressonância magnética (RM). Por isso, em determinados doentes e na necessidade de uso de contraste, a RM de crânio é uma alternativa à TC.

Saiba, aqui, tudo sobre RM do crânio.

Quanto tempo demora o exame?

A duração média para a execução de uma tomografia de crânio é de 5 minutos. No caso de haver necessidade de administrar contraste, este tempo é superior.

Posteriormente o Médico Neurorradiologista terá de analisar as imagens e de redigir o relatório para ser disponibilizado ao médico requisitante / utente.

Preparação, necessidade de jejum?

Na TC de crânio sem contraste, o paciente não necessitará de estar em jejum (não necessitam de administração endovenosa de produto de contraste iodado).
Porém, o paciente deverá encontrar-se em jejum, nunca inferior a 4 horas, nos casos de administração de contraste (TC de crânio com contraste). Neste caso, o doente será informado previamente pelo Serviço de Radiologia onde irá realizar o exame.

Em qualquer um dos casos não é necessário realizar qualquer preparação especial prévia ao exame.

O paciente pode tomar os medicamentos (remédios) habituais. A suspensão de qualquer tratamento medicamentoso deve, apenas, ser efetuado por indicação médica.

Quanto custa uma TC de crânio?

O preço para a realização da tomografia computorizada pode variar em função do órgão ou dos órgãos em análise e da necessidade, ou não, de administrar contraste.

Para os utentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS) os exames são comparticipados pelo estado. O utente apenas terá de pagar a taxa moderadora, caso não esteja isento do seu pagamento. O valor da taxa moderadora é fixado em portaria governativa e por norma ascende entre uma a poucas dezenas de euros. No caso dos pacientes isentos (doentes reformados, doentes que padecem de determinadas patologias, doentes com incapacidade financeira, doentes internados, etc.) o exame é gratuito.

Para os beneficiários da ADSE e de outros subsistemas, o utente apenas terá de assegurar o valor da taxa moderadora. No caso dos seguros de saúde o preço está dependente das condições associadas ao seu plano de seguro.

Quando o exame é efetuado a título particular, o valor do exame é determinado pela clínica de imagiologia que executa a TC. Como “ordem de grandeza” podemos dizer que o valor se situa, geralmente, entre uma e poucas centenas de euros.

Veja onde fazer o TC de crânio, e mais informações sobre o preço dos exames e contactos em Portugal, selecionando a clínica de imagiologia no seu concelho.

clinica_imagiologia.png