TC dos ouvidos

Tomografia computadorizada

O que é TC dos ouvidos?

A tomografia computorizada (TC) dos ouvidos ou tomografia axial computorizada (TAC) dos ouvidos é um exame por imagem que utiliza radiação ionizante e que serve para auxiliar o médico no diagnóstico de diversas patologias (doenças) que podem afetar este importante órgão da audição. Veja “indicações da TC dos ouvidos”.

Em termos de anatomia, o ouvido é formado pelo ouvido externo, médio e interno. O ouvido externo (“parte de fora do ouvido”) é formado pelo pavilhão auricular e pelo canal auditivo, que é delimitado interiormente pela membrana timpânica (tímpano). O ouvido médio (OM), revestido por uma mucosa de tipo respiratório, é composto pela cadeia ossicular (martelo, bigorna e estribo), pelas cavidades aéreas da caixa do tímpano e da mastóide, e pela trompa de Eustáquio que liga estas cavidades à nasofaringe. O ouvido interno é a parte mais profunda do aparelho auditivo e é formado pela cóclea e pelo vestíbulo. Em conjunto, o ouvido como um todo, possui a importante função de tornar possível a audição.

Indicações da TC dos ouvidos

A TC dos ouvidos está indicada em múltiplos contextos clínicos. São alguns exemplos:

  • Estudo da perda auditiva;
  • Estudo da otite média crónica;
  • Infecções de repetição;
  • Estudo da mastoidite;
  • Avaliação do colesteatoma;
  • Estudo da deiscência do bulbo jugular ou canal carotídeo;
  • Avaliação de alterações nos vasos sanguíneos;
  • Estudo de malformações;
  • Avaliação de implantes cocleares;
  • Etc..

TC dos ouvidos com contraste

A tomografia computorizada dos ouvidos com contraste permite-nos estudar o comportamento vascular (dos vasos sanguíneos – artérias e veias) e desta forma detetar possíveis alterações nos fluxos sanguíneos.

Os produtos de contraste iodados são ministrados por via endovenosa (EV). O uso de produtos de contraste iodados está contra-indicado em doentes com insuficiência renal grave e com história de anafilaxia prévia.

A designação tomografia dos ouvidos sem contraste (TC dos ouvidos sem contraste), como o próprio nome indica, é usada para nos aludirmos à ausência de contraste.

Quem pode realizar o exame?

A TC dos ouvidos pode, genericamente, ser efetuada por qualquer pessoa de uma forma rápida e cómoda. Contudo, a sua execução deve ser limitada e devidamente justificada, principalmente em pacientes jovens, dada a exposição à radiação ionizante.

Em caso de necessidade de concretização da TC dos ouvidos em crianças, o exame poderá ser realizado usando sedação (anestesia).

A gravidez é uma contra-indicação no que concerne à concretização de exames imagiológicos que empreguem radiação ionizante, pelo que a mulher grávida não deverá, por norma, ser submetida a TC.

clinica_imagiologia.png

Quanto tempo demora o exame?

A execução da aquisição das imagens numa TC dos ouvidos é, geralmente, muito rápida, porém se incluirmos as explicações prévias sobre a execução do exame, a retirada de objetos metálicos que possam interferir com a imagem e o posicionamento do doente no aparelho, o tempo total desde a entrada na sala até sair, é genericamente entre 10 a 20 minutos.

Caso se verifique necessidade de ministrar contraste este tempo é superior, dado que é necessária a punção para criar um acesso venoso e proceder à aquisição das imagens.

Após a execução do exame (aquisição das imagens e arquivo) a TC tem de ser relatada por um médico radiologista, sendo este tempo muito variável. Veja mais informação em “como é feita a TC dos ouvidos”.

Jejum na TC dos ouvidos

No caso da tomografia dos ouvidos sem contraste não é necessário que o paciente faça nenhum género de preparação antes do exame e o doente pode comer e beber como habitualmente.

Contudo, o doente deverá estar em jejum, nunca inferior a 4 horas, nos casos em que é necessária a administração de contraste iodado por via endovenosa (TC dos ouvidos com contraste).

O paciente pode tomar os medicamentos (remédios) habituais. Qualquer tratamento farmacológico ou outro deve somente ser interrompido sob indicação do médico.

Como é feita a TC dos ouvidos?

O doente deve conservar-se imóvel, dado que qualquer movimento pode danificar a imagem médica (tal como acontece quando nos mexemos e tiramos uma fotografia). O técnico irá dar inico ao exame, obter as imagens, processá-las e guardá-las, geralmente, em sistemas de arquivo de imagem médica (PACS) construídos para o efeito.

Posteriormente, num tempo que pode ser muito variável e dependente da urgência do exame, o médico radiologista observará as imagens cuidadosamente e gerará um relatório (por escrito). Esta interpretação das imagens é que permite distinguir entre aquilo que é normal ou patológico (que apresenta doença) e que se traduz num relatório escrito que acompanhará as imagens que serão disponibilizadas ao médico requisitante / utente em suportes digitais ou outros (película, papel, …).

Principio de funcionamento da TC

Esta técnica imagiológica tem como suporte o recurso a radiação ionizante, de feição semelhante à radiologia convencional (Raio X). A imagem concebida resulta de um princípio simples: um emissor emite a radiação fazendo-a atravessar o corpo humano (neste caso o ouvido), sendo depois recebida (por um recetor), possibilitando a sua observação pelo médico radiologista.

No caso da tomografia computorizada, são efetuados diversos “cortes” nos tecidos a analisar, e através de algoritmos complexos e sistemas computacionais (daí a palavra computorizada), são geradas as sequências de imagens usadas para diagnóstico médico.

A designação "tomografia axial computorizada" (TAC) atribui-se à tecnologia utilizada inicialmente para a geração de imagem. Todavia, esta tecnologia (axial) foi substituída pela helicoidal, entretanto desenvolvida. O exame passou, então, a designar-se somente por tomografia computorizada (TC). No entanto, ainda é muito frequente a utilização da denominação “TAC” quer entre médicos quer entre utentes.

Quanto custa uma TC dos ouvidos?

Para os utentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS) os exames são comparticipados pelo estado. O utente ao executar a TC dos ouvidos apenas terá de pagar o valor da taxa moderadora, caso não esteja isento do seu pagamento. Os doentes isentos são as pessoas com insuficiência económica, que apresentam determinadas patologias, entre outros.

Para os beneficiários da ADSE e de outros subsistemas, o utente apenas terá de assegurar o valor da taxa moderadora. No caso dos seguros de saúde o preço depende das condições associadas ao seu plano de seguro.

Quando o exame é realizado a título particular, o preço do exame é determinado pela clínica de imagiologia que executa a TC. Como “ordem de grandeza” podemos dizer que o preço se situa, geralmente, entre uma e poucas centenas de euros.

Veja onde fazer a TC dos ouvidos, e mais informações sobre o preço dos exames e contactos de clínicas de tomografia computorizada em Portugal, selecionando o seu concelho.

clinica_imagiologia.png