Nistagmo

Nistagmo fotos, imagens

O que é nistagmo?

No nistagmo ocorrem movimentos involuntários dos olhos, ou seja, os olhos fazem movimentos repetitivos, não controlados, muitas vezes resultando em visão reduzida. Estes movimentos incontroláveis ou descontrolados dos olhos podem ser mais ou menos fortes ou bruscos e podem assumir várias direções. O significado de nistagmo remete-nos, muitas vezes, para termos como “olhos que saltam”, “olhos que dançam” ou "olhos dançantes".

No nistagmo ocular, os movimentos involuntários dos olhos podem assumir várias direções e diferentes velocidades, sem que seja possível para o doente fixar o olhar num dado objeto. Podem ocorrer movimentos de um lado para outro, para cima e para baixo ou, então, rotatórios. Como resultado, ambos os olhos são incapazes de fixar de uma forma estável os objetos que o paciente tenta observar e consequentemente são provocados problemas na visão dos doentes. O maior problema consiste na redução da capacidade de visão que pode ser mais ou menos grave consoante a capacidade que o doente possui em fixar os objetos. A auto-estima dos doentes é também, habitualmente, afetada derivado aos problemas estéticos que estão associados ao nistagmo.

A doença nem sempre se revela da mesma forma. O nistagmo manifesto está presente em todos os momentos, enquanto o nistagmo latente manifesta-se apenas quando um olho é coberto, o nistagmo manifesto-latente está continuamente presente, piorando, no entanto, quando um olho é coberto.

Os movimentos inconscientes dos olhos podem também depender dos movimentos da cabeça. Dizemos que estamos perante um nistagmo patológico quando ocorrem movimentos involuntários dos olhos mesmo quando a cabeça está parada.

O indivíduo normal nunca apresentará nistagmo espontâneo de olhos abertos, mas poderá apresentá-lo de olhos fechados podendo este ser em várias direções.

Movimento dos olhos

No nistagmo, os movimentos involuntários, normalmente, ocorrem em ambos os olhos, sendo por isso classificado como nistagmo bilateral ou, então, pode ocorrer apenas num olho, sendo neste caso denominado de nistagmo unilateral.

O nistagmo é um reflexo que sucede durante a rotação da cabeça, de modo a estabilizar a imagem, isto é, a cabeça gira, mas os olhos não. Este reflexo pode ser decomposto em duas fases: uma fase rápida e uma fase lenta. Esta última fase (lenta) visa compensar a rotação da cabeça ao passo que a primeira (fase rápida) tem a função de reposicionar o movimento.

Podemos também classificar o nistagmo consoante a direção dos movimentos dos olhos. A classificação é efetuada tendo por base o plano dos movimentos e não a direção do olhar.
Dizemos que estamos perante um nistagmo pendular se a velocidade do movimento dos olhos é a mesma em ambas as direções. Se por outro lado, os olhos se movem lentamente numa direção e rapidamente noutra direção, como se houvesse um "empurrão" para o outro lado, dizemos que estamos perante um nistagmo vestibular, também conhecido como nistagmo tipo Jerk ou nistagmo sacádico ou em “sacudida”. Pode, ainda, ocorrer o nistagmo misto se ocorre um nistagmo tipo "Jerk" no olhar lateral e se na posição primária é do tipo pendular.

A direção é definida pela direção da fase rápida. Por exemplo, se o olho se move rapidamente para o lado esquerdo e posteriormente volta lentamente para a direita, caracteriza-se como um nistagmo esquerdo. Se em sentido inverso o olho move-se rapidamente para o lado direito e posteriormente volta lentamente para a esquerda, caracteriza-se como um nistagmo direito. Em qualquer caso não importa se o doente está a olhar para cima, para baixo, para esquerda ou para a direita.

Podemos classificar o nistagmo consoante a direção dos movimentos dos olhos realizados na seguinte forma:

Nistagmo horizontal

No nistagmo horizontal os movimentos dos olhos ocorrem de um lado para o outro, ou seja, de ”lado a lado” ou “de lá para cá” na horizontal.

Nistagmo vertical

No nistagmo vertical os movimentos dos olhos ocorrem para cima e para baixo, ou seja, de “cima a baixo” ou de “baixo a cima” na vertical.

Nistagmo rotatório (ou rotativo)

No nistagmo rotativo, rotatório, rotacional ou de torção, os movimentos dos olhos ocorrem de uma forma rotativa ou circular, ou seja, como se estivessem a “andar à volta” ou “os olhos a rodar”.

Nistagmo - tipos

Podemos identificar os seguintes tipos de nistagmo:

Nistagmo vestibular

O nistagmo vestibular é um tipo de nistagmo relacionado com o ouvido interno. É um nistagmo rítmico devido à alteração do fluxo dos músculos vestibulares no centro do olhar horizontal. O nistagmo rotatório pode ser devido a processos patológicos que afetam o sistema vestibular. Quando se realiza uma estimulação calórica, ao colocar água fria no ouvido direito do doente, surge um nistagmo rítmico esquerdo, se colocar-mos água quente no ouvido esquerdo produz-se um nistagmo rítmico para a direita.

Nistagmo optocinético

O nistagmo optocinético é um tipo de nistagmo relacionado com o olho a fixar algo em movimento. É um nistagmo rítmico, induzido por estímulos visuais repetitivos, que se movem no campo visual. O nistagmo optocinético é útil para determinar simuladores e comprovar a acuidade visual nas crianças.

Em relação à idade em que o nistagmo ocorre, podemos também classifica-lo, nos seguintes tipos:

Nistagmo congénito

No nistagmo congénito a doença está presente à nascença ou desenvolve-se no bebé, habitualmente, entre os 2 a 3 meses de idade, com transmissão ligada ao cromossoma X recessivo ou autossómico dominante. No nistagmo congénito os olhos tendem a mover-se num balanço rítmico da forma horizontal (de um lado para outro).

O nistagmo congénito diminui com a convergência e desaparece durante o sono. Os movimentos anormais da cabeça associados podem diminuir com o tempo. Este tipo de nistagmo persiste durante toda a vida.

Spasmus nutans

O nistagmo spasmus nutans ocorre geralmente entre os 6 meses e os 3 anos de idade e resolve-se de forma espontânea entre os 2 e os 8 anos de idade. Nas crianças portadoras desta forma de nistagmo é nítida uma inclinação da cabeça e o “balancear” da mesma. Os olhos podem mover-se em qualquer direção. Trata-se de um nistagmos assimétrico, pendular, fino e rápido e costuma ser horizontal, embora possa ser vertical ou rotatório. Neste tipo de nistagmo não é necessária qualquer intervenção.

Nistagmo adquirido

O nistagmo adquirido desenvolve-se mais tarde na infância (em adolescentes ou jovens) ou na idade adulta. A causa é muitas vezes desconhecida, mas pode ser devida a algumas doenças do sistema nervoso central, traumatismos cranianos, desordens metabólicas, álcool e toxicidade por drogas, etc.

Nistagmo - causas

Associado ao desenvolvimento do nistagmo encontram-se as seguintes causas:

  • Catarata congénita;
  • Erros refrativos muito elevados, por exemplo, uma alta miopia ou astigmatismo elevado;
  • Inflamação do ouvido interno;
  • Ausência congénita da íris;
  • Efeitos secundários de alguns medicamentos, como por exemplo alguns utilizados na epilepsia;
  • A falta de desenvolvimento do controle de movimento normal do olho no início da vida;
  • O albinismo;
  • Doenças do sistema nervoso central;
  • Etc.

O nistagmo infantil é, muitas vezes, provocado por uma doença hereditária (nistagmo hereditário) que é herdada dos pais e se manifesta no bebé nos primeiros meses de vida ou, então, mais tarde na infância. O nistagmo congénito é frequentemente associado a outras doenças, como o albinismo, a ausência congénita da íris (a parte colorida do olho), nervos óticos subdesenvolvidos e catarata congénita. A patologia subjacente, como é exemplo a catarata congénita pode ser devida a algumas doenças como a rubéola na grávida durante os primeiros 3 meses de gravidez.

A maioria dos outros tipos de nistagmo infantil também é classificada como formas de estrabismo, o que significa que os olhos não estão corretamente alinhados em todas as direções.

Se quer saber tudo sobre estrabismo, siga este link.

Em relação ao nistagmo adquirido, ou seja, que se desenvolve no adulto ao longo da vida, as causas estão habitualmente relacionadas com um acidente ou uma doença. Em geral, o nistagmo é consequência de algum outro problema subjacente. Este tipo de nistagmo pode ser causado por uma doença, como acidente vascular cerebral ou AVC, esclerose múltipla, tumor cerebral, um acidente com traumatismo craniano, ou um problema neurológico (efeito secundário de uma medicação). Em casos raros, há descrições de que a hiperventilação, luzes a piscar nos olhos de uma forma repetitiva, exposição à nicotina e até exposição a vibrações, relacionados como causas de nistagmo. A sua origem é também muitas vezes desconhecida.

Nistagmo - sintomas

No nistagmo os principais sinais e sintomas são os seguintes:

  • Movimento involuntário dos olhos;
  • Sensibilidade à luz (fotofobia);
  • Tonturas;
  • Problemas para ver no escuro;
  • Reduzida acuidade visual (problemas de visão);
  • Problemas com a perceção de profundidade;
  • Problemas no equilíbrio e coordenação motora;
  • Manter a cabeça em posição inclinada;
  • Sensação de “terremoto”.

Geralmente, o movimento é lateral (nistagmo horizontal), mas pode ser também superior-inferior (nistagmo vertical) ou circular (nistagmo rotativo). O movimento pode variar entre lento e rápido e geralmente envolve ambos os olhos.

O nistagmo pode ser acompanhado por posições da cabeça invulgares e movimentos da cabeça numa tentativa de compensar os movimentos involuntários dos olhos.

O nistagmo pode ser agravado quando existe cansaço e stresse.

Em alguns casos o nistagmo provoca tantos problemas de visão que os doentes podem ser considerados legalmente cegos.

Diagnóstico do nistagmo

O diagnóstico do nistagmo deve ser efetuado através de exame oftalmológico completo. O oftalmologista irá avaliar a forma como os olhos se movem, recolher a história clinica do doente e recorrer a eventuais exames auxiliares de diagnóstico.

Normalmente, o nistagmo é diagnosticado em idades jovens.

Nistagmo tem cura?

O nistagmo tem cura, dependendo do tipo e da causa subjacente, ou seja, em alguns casos é possível curar o nistagmo enquanto que em outros casos não existe, na atualidade, cura possível. Saiba, de seguida, como tratar o nistagmo.

Tratamento do nistagmo

A intervenção ou tratamento do nistagmo depende do tipo e da causa subjacente. Numa larga maioria de casos de nistagmo congénito, não existe tratamento para o problema, mas existem várias intervenções que podem ajudar a melhorar a visão destes doentes.

A oclusão dos olhos de uma forma alternada ou alguns medicamentos podem ser usados no tratamento do nistagmo.

No caso do nistagmo adquirido, uma vez mais, o tratamento depende da sua causa. O nistagmo provocado pela utilização de alguns medicamentos ou infeções, habitualmente, desaparece depois de tratada a causa primária.

No caso dos altos erros refrativos (miopia, hipermetropia ou astigmatismo), o uso de óculos e lentes de contacto não corrigem o nistagmo, mas permitem ajudar a corrigir estes erros e consequentemente a melhorar a visão dos doentes.

A mudança dos óculos por lentes de contato pode ser benéfica em muitos doentes que padecem de nistagmo.

Em casos mais graves o recurso à cirurgia também é possível. A operação a realizar tem como objetivo melhorar a acuidade visual do doente.
Raramente, a cirurgia é realizada para alterar a posição dos músculos, que movem os olhos. Embora não cure o nistagmo, a operação pode reduzir a quantidade de rotação da cabeça de modo a melhorar a visão.
A cirurgia geralmente reduz as posições nulas, diminuindo a inclinação da cabeça melhorando a aparência estética.

O tratamento para outros problemas oculares subjacentes pode ajudar a melhorar ou reduzir o nistagmo. Além disso, a visão pode ser reforçada através da utilização de prismas e lentes especiais. O uso de livros com letras grandes, melhorias da iluminação, entre outras medidas, podem também ser úteis em determinadas situações.

Muitos doentes podem reduzir a severidade dos seus movimentos oculares involuntários e melhorar a visão, posicionando os olhos para um lado. Este é o chamado "ponto nulo" em que a menor quantidade de nistagmo é evidenciada. Para que os doentes possam conseguir esta posição podem precisar de adotar uma postura de cabeça específica para o seu caso e melhorar desta forma a visão. Para ver melhor, o paciente pode precisar de virar a cabeça e fechar os olhos para atingir o chamado "ponto nulo". Este é um ângulo de cabeça que faz com que os olhos se movam menos, estabilizando a imagem para uma melhor visão.

No caso das crianças com nistagmo, os pais e educadores devem tomar algumas medidas que lhes permitam ajudar a encarar o problema, melhorar a sua auto-estima e qualidade de vida, como por exemplo:

  • Procure um oftalmologista especialista em nistagmo (neuro oftalmologista ou oftalmologista pediátrico);
  • Certifique-se de que os óculos ou lentes de contacto estão sempre atualizadas de modo a que a visão seja corrigida para o nível máximo possível;
  • Dialogue e ajude os professores do seu filho a compreender as noções básicas de nistagmo, incluindo como a doença afeta a capacidade de ver, aprender e interagir com as outras crianças;
  • Desenvolva um nível de conforto com a família, amigos e outras pessoas, explicando a doença. Faça a sua explicação pela positiva;
  • Não baixe as suas expectativas em relação ao seu filho. A maioria das pessoas com nistagmo pode ver, aprender e interagir com os outros, suficientemente bem, de modo a levar uma vida perfeitamente normal.
  • Seja positivo. O nistagmo, enquanto visível "deficiência", não é o fim do mundo. À medida que crescem, as crianças com nistagmo devem ser ajudadas a perceber as suas diferenças. Tranquilizar as crianças informando-as de que a doença não irá impedi-las de serem crianças normais e no futuro adultos normais.

Neuro oftalmologista

Se procura um neuro oftalmologista em Portugal, siga este link.