Hipermetropia

Hipermetropia fotos, imagens

O que é hipermetropia?

A hipermetropia é um erro refrativo em que as imagens formam-se atrás da retina. Para melhor perceber o significado de hipermetropia ocular, imagine a imagem de um dado objeto a passar através do olho. Essa imagem é focada de modo a convergir para um ponto situado a uma dada distância. Com visão normal este ponto de convergência, onde a imagem é focada, é a retina. Ou seja, num olho normal a imagem deve formar-se na retina. Por sua vez, a retina transmite as informações ao cérebro através do nervo ótico.

No olho com hipermetropia, ou hipermétrope, a imagem não é formada corretamente na retina - mas sim formada por trás. Logo, a imagem transmitida ao cérebro não é a imagem correta (veja fotos superiores).

O doente vê mal ao perto e ao longe e para que as imagens sejam nítidas, este efetua um grande esforço ocular.

Hipermetropia - sintomas

Fadiga ocular (“vista cansada”) e dores de cabeça são os primeiros sintomas de hipermetropia. O esforço que o doente realiza para superar a deficiência pode estar na origem destas manifestações, mais frequentes ao fim da tarde e depois do trabalho ou da leitura.

Até aos 35/40 anos, idade em que a capacidade de acomodação começa a diminuir, uma baixa hipermetropia passa frequentemente despercebida.

Uma grande hipermetropia, pelo contrário, é facilmente percetível na criança por ser, muitas vezes, acompanhada de estrabismo acomodativo, devendo ser corrigido o mais rapidamente possível.

Por isso, é importante saber o que é hipermetropia e como corrigir este erro refrativo, pois pode causar inúmeros sintomas que retiram muita qualidade de vida aos doentes.

Hipermetropia - causas

A hipermetropia pode ter duas causas essenciais: ou pela córnea ter a sua curvatura alterada, isto é ser mais plana que o normal, ou porque o comprimento do olho é menor em relação à normalidade. Os grandes valores de hipermetropia, normalmente, estão relacionados com hipermetropias hereditárias.

Hipermetropia ocular - dioptrias

Existem 3 graus de hipermetropia:

  • Ligeira, de 0 a 2 dioptrias;
  • Moderada, de 2 a 6 dioptrias;
  • Alta, superior a 6 dioptrias.

Hipermetropia infantil

A designação hipermetropia infantil ou na infância é utilizada sempre que o erro refrativo afeta as crianças.

A primeira consulta oftalmológica deve ter lugar no primeiro ano de vida, para despiste de erros refrativos, nomeadamente, as anisometropias evitando, desta forma, possíveis ambliopias.

Estima-se que 10 a 15% das crianças em idade escolar, apresentem problemas de visão que podem influenciar o comportamento e o desempenho escolar. Por isto, na hipermetropia infantil é importante que os pais estejam atentos a eventuais sinais e sintomas relatados pelas crianças.

As crianças que padecem de hipermetropia, podem apresentar cansaço, sono e desconcentração, em virtude de terem que exercer grande acomodação, para focagem dos objetos na retina. Por isso, a correção da hipermetropia deve ser efetuada com a maior celeridade possível.

Quando a hipermetropia em crianças está presente apenas num dos olhos, é ainda mais difícil observar alguma alteração, pois a criança tem um comportamento, absolutamente, normal.

A maioria das crianças não sabe referir quando não vê bem. Acredita que a visão que tem, seja normal, porque nunca viu melhor.

A deteção precoce de problemas de visão nas crianças é fundamental não só para evitar o comprometimento visual permanente (ambliopia), como também para evitar problemas não só na aprendizagem como também no desenvolvimento da criança.

Saiba, aqui, o que é ambliopia.

A hipermetropia não corrigida pode originar estrabismo acomodativo.

Saiba, aqui, o que é estrabismo acomodativo e infantil.

Hipermetropia tem cura?

Infelizmente, a hipermetropia não tem cura. Contudo, os métodos de correção atualmente disponíveis permitem oferecer aos doentes com hipermetropia uma vida perfeitamente normal. Veja de seguida como corrigir, ou tratar, a hipermetropia.

Hipermetropia - tratamento

Na hipermetropia, o tratamento (correção do erro refrativo) pode ser efetuado com óculos, lentes de contacto ou a partir dos 20 anos, o doente pode ser operado através de laser (LASIK). A hipermetropia pode ainda ser corrigida com a utilização de lentes intra-oculares consoante as condições anatómicas do globo ocular.

Se o doente tiver mais de 45 anos, o tratamento para hipermetropia pode ser efetuado através da facoemulsificação com lentes multifocais intra-oculares permitindo boa acuidade visual em todas as distâncias sem óculos.

Lentes para hipermetropia

A hipermetropia pode compensar-se com a utilização de uma lente para hipermetropia convergente (convexa), que leva à focagem da imagem na retina.

Estas lentes são mais espessas no centro do que na periferia e a diferença de espessura é tanto maior quanto maior for a hipermetropia.

Hipermetropia e miopia

A hipermetropia e miopia são dois tipos de erros refrativos do globo ocular. A diferença entre miopia e hipermetropia é a seguinte: na miopia os objetos são focados à frente da retina, enquanto que na hipermetropia as imagens formam-se atrás da retina.

Saiba, aqui, o que é miopia.

Hipermetropia e astigmatismo

A hipermetropia e astigmatismo podem existir em simultâneo (juntos). O astigmatismo e hipermetropia são dois tipos de erros refrativos. O tratamento da hipermetropia com astigmatismo pode ser efetuado com óculos, lentes de contacto ou cirurgia.

Saiba, aqui, o que é astigmatismo.

Cirurgia de hipermetropia

A cirurgia de hipermetropia pode ser realizada através de laser (LASIK) ou lentes intra-oculares. A cirurgia para hipermetropia permite a correção do erro refrativo, contudo, nem todos os doentes reúnem as condições necessárias para serem submetidos à operação.

A cirurgia de hipermetropia e astigmatismo permite corrigir os dois erros refrativos.

Saiba, aqui, tudo sobre cirurgia LASIK.