Catarata ocular

Catarata nos olhos - fotos, imagens

O que é catarata?

A catarata ocular carateriza-se pela perda progressiva da transparência do cristalino (lente natural do olho). Os sintomas iniciais como a visão turva, diminuição da visão noturna e fotofobia (sensibilidade à luz) podem ser muito ténues numa primeira fase, agravando-se a sintomatologia com o decorrer do tempo (veja mais informação em sintomas). Ou seja, o cristalino torna-se opaco (turvo) com a idade, instalando-se de uma forma lenta e progressiva, afetando, desta forma, a visão. Esta causa (o envelhecimento) é a mais comum no surgimento da catarata no olho, contudo podem existir outras para além do envelhecimento, como veremos adiante.

Mas para melhor perceber o que é catarata nos olhos, deve entender antes de mais o que é o cristalino. O cristalino possui um papel importante na formação da imagem na retina. O cristalino é a lente natural do olho, transparente que permite a focagem dos objetos de longe e de perto, denominada de acomodação. Qualquer alteração na constituição do cristalino altera a formação das imagens na retina e consequentemente na visão.

No olho com catarata, a visão estará dependente do grau de opacificação do cristalino. Quanto maior for a opacificação do cristalino maiores serão as perturbações na visão. Em situações extremas os doentes podem perder a visão (cegueira).

Catarata ocular - evolução

O desenvolvimento da catarata ocular pode ocorrer de uma forma muito lenta, demorando vários anos até que se verifique sintomatologia acentuada. Pode também haver evolução rápida da doença, comprometendo a visão de forma significativa, levando à necessidade de intervenção para que a função visual se restabeleça.

Catarata - sintomas

Os sintomas de catarata são, habitualmente, os seguintes:

A catarata no início pode ser assintomática (sem sintomas). Os sintomas de cataratas nos olhos fazem-se sentir de uma forma mais ou menos intensa, dependendo do grau de opacificação do cristalino. Os sintomas da catarata ocular são, geralmente, mais acentuados quanto maior for o nível de opacificação do cristalino.

Causas da catarata

As causas da catarata podem ser diversas. A causa mais frequente de catarata ocular é o processo natural de envelhecimento que ocorre, normalmente, a partir dos 45 anos e o aparecimento de sintomas de hipovisão a partir dos 60 anos.

Apesar do envelhecimento ser a causa mais frequente de catarata, outras causas podem estar na sua origem a saber: cirurgias intra-oculares (vitrectomia, cirurgia de glaucoma, etc), medicamentos (corticosteróides ou mióticos), doenças (diabetes, galactosemia, doenças renais), infeções e inflamações oculares (uveítes), etc.

Tipos de catarata

Em relação aos tipos de catarata, podemos identificar duas situações: a  catarata pode estar presente logo ao nascimento ou desenvolver-se nos primeiros 6 meses de vida, ou então ser adquirida com o avançar da idade. A catarata adquirida pode estar relacionada com a idade (envelhecimento mais ou menos precoce), metabólica (diabetes), patológica (uveítes), iatrogénica, radioativa, etc.

Veja, de seguida, mais informação sobre os diferentes tipos de catarata no olho.

Catarata incipiente

A catarata incipiente ou facoesclerose é a terminologia usada em termos de evolução da catarata, isto é, há alguma turvação do cristalino mas a visão é praticamente normal. Conforme o grau de turvação do cristalino, poderemos denominar a catarata como incipiente, madura ou hipermadura.

A catarata incipiente ou facoesclerose não possui indicação cirúrgica. O oftalmologista deve mediante a evolução da opacificação do cristalino, tomar a decisão da intervenção cirúrgica (quando operar).

Catarata senil

A catarata senil ou da idade, normalmente, desenvolve-se depois dos 65 anos, apresentando uma evolução lenta e é bilateral. Por este motivo é muitas vezes conhecida como a "catarata no idoso". Se, eventualmente, o doente padecer de diabetes a catarata pode desenvolver-se de forma mais rápida.

O tratamento da catarata senil é cirúrgico. A cirurgia, normalmente, utilizada é a facoemulsificação com introdução de lente (acrílica) no interior do olho e com anestesia tópica (gotas).

Catarata subcapsular

A catarata subcapsular pode dividir-se em duas, a saber:

Catarata subcapsular posterior

A catarata subcapsular posterior localiza-se à frente da cápsula posterior. Em relação às causas, a catarata subcapsular posterior está, muitas vezes, associada a tratamentos sistémicos nomeadamente, ao uso de corticóides.

Catarata subcapsular anterior

A catarata subcapsular anterior localiza-se logo atrás da cápsula anterior. Em relação às causas, a catarata subcapsular anterior pode estar relacionada com certas atividades, designadamente aquelas em que as pessoas estão expostas a muito calor (vidreiros por exemplo).

O tratamento da catarata subcapsular é cirúrgico. A cirurgia é idêntica à realizada na catarata senil.

Catarata nuclear

A catarata nuclear é um tipo de catarata onde a opacificação se verifica nos núcleos do cristalino. A catarata senil nuclear é muito frequente em pessoas idosas, potenciando o aumento da densidade do cristalino, induzindo miopia o que, habitualmente, se designa de segunda visão.

Catarata cortical

A catarata cortical é outro tipo de catarata caraterizada pela opacificação do córtex lenticular, sendo bastante frequente em doentes com diabetes. Os sintomas e tratamento deste tipo de catarata são semelhantes à senil.

Catarata traumática

A catarata traumática pode ser provocada por traumatismos perfurantes ou contusos.

Normalmente, este tipo de catarata aparece apenas no olho atingido pelo traumatismo e ocorre independentemente da idade. Se houver contacto com a cápsula lenticular, a catarata pode desenvolver-se muito rapidamente, quase de imediato. Caso a cápsula se mantenha íntegra, a catarata pode desenvolver-se após meses ou anos.

Catarata congénita

A catarata congénita pode estar presente logo ao nascimento ou desenvolver-se nos primeiros 6 meses de vida. Estas cataratas podem afetar apenas um olho (catarata congénita unilateral) ou os dois olhos (catarata congénita bilateral). Este tipo de catarata, por afetar a criança também é, por vezes, denominada como "catarata infantil" ou "catarata congénita infantil".

Na catarata congénita em recém nascido (presente ao nascimento do bébé) a pupila em vez de ter luar róseo pode ter um aspeto esbranquiçado (leucocória), sinal muito importante no diagnóstico.

Em relação às causas, a catarata congénita é, muitas vezes, provocada por infeções (rubéola) na grávida durante os primeiros 3 meses de gestação.

Na catarata congénita o tratamento é cirúrgico. O diagnóstico e tratamento da catarata congénita devem ser tão precoces quanto possível de modo a evitar a ambliopia.

Veja mais informação em cirurgia de catarata.

Catarata tem cura?

A catarata não tem cura, todavia se for tratada convenientemente podemos restabelecer aos doentes uma vida perfeitamente normal. Veja, de seguida, como tratar a catarata.

Catarata - tratamento

O único tratamento da catarata existente é a cirurgia. Não existe qualquer outro tratamento médico ou natural para catarata. Veja, de seguida, em que consiste o tratamento cirúrgico (cirurgia de catarata).

Tratamento cirúrgico

A cirurgia de catarata é realizada através da emulsificação do cristalino por ultra-sons, isto é, o núcleo é microfragmentado e aspirado por uma ponteira ultrassónica (facoemulsificação). Após retirado o cortex e o núcleo cristaliniano, é implantada uma lente intra-ocular no lugar que anteriormente era ocupado pelo cristalino, mais propriamente dentro do saco capsular.

Como em qualquer cirurgia, o tratamento cirúrgico da catarata apesar de bastante seguro, hoje em dia, apresenta alguns riscos e complicações potenciais que devem ser consideradas.

Saiba, aqui, tudo sobre cirurgia de catarata por facoemulsificação.