Olhos vermelhos

Olhos vermelhos, vermelhidão no olho

Olhos vermelhos - o que pode ser?

Os olhos vermelhos são um problema ocular bastante comum, cuja gravidade varia, desde problemas quase insignificantes até graves doenças dos olhos.

Habitualmente, o olho vermelho resulta da dilatação dos vasos sanguíneos conjuntivais que pode ser devida a inflamação, secundária a algum tipo de irritação ou infeção. A vermelhidão nos olhos pode ser causada por vários fatores etiológicos que podem originar processos inflamatórios da superfície ocular, tais como: traumatismos, corpos estranhos, agentes químicos, infeções, défice lacrimal, etc. Na maioria dos casos, a inflamação que provoca olhos avermelhados ocorre na conjuntiva, membrana que recobre a esclera e as pálpebras internamente. A inflamação da conjuntiva é designada por conjuntivite.

Ainda que o olho vermelho sem dor seja, habitualmente, um indicador de conjuntivite, muitas vezes pode estar associada a uma patologia mais grave, principalmente, se estivermos na presença de olhos vermelhos constantemente (olho sempre vermelho). Neste caso, é urgente consultar um oftalmologista porque a causa pode ser um problema grave e o tratamento atempado e correto é essencial.

Em relação à lateralidade, a vermelhidão apenas pode afetar um dos olhos (olho esquerdo ou olho direito) ou, então, pode afetar os dois olhos (bilateral). Em alguns casos de olho vermelho, inicialmente apenas um dos olhos é afetado podendo o problema estender-se posteriormente ao outro olho. Para além da lateralidade, a localização do vermelho no olho (meio ou canto do olho) e a intensidade ou grau de vermelhidão nos olhos (se é pouco vermelho, avermelhado ou olho muito vermelho) não está diretamente relacionado com a gravidade ou urgência no tratamento.

Na presença de olhos vermelhos, outros sintomas ocorrem vulgarmente associados, como sejam: edema palpebral, prurido, ardor ou ardência, lacrimejo, fotofobia (sensibilidade à luz) e hipovisão (baixa visão), ou seja, outros sinais e sintomas que são importantes no diagnóstico da doença.

Na presença de olho vermelho, é importante a consulta ao médico oftalmologista, informando-o dos demais sintomas porque uma história clínica rigorosa e um exame objetivo com lâmpada de fenda são fundamentais para um diagnóstico diferencial mais acertado.

Mancha vermelha no olho

Uma mancha vermelha no olho, normalmente, tem como causa pequenas hemorragias conjuntivais, devido à rutura espontânea ou por pequenos traumatismos dos estreitos vasos conjuntivais, por fragilidade ou por pressão aumentada dentro deles. São auto-limitadas e inofensivas.

Podem ocorrer várias manchas vermelhas nos olhos ou, então, apenas uma mancha de maior ou menor dimensão ou até um pequeno “ponto vermelho no olho”. Uma pequena mancha vermelha no olho ou "pinta vermelha no olho" não tem grande importância, no entanto, é aconselhável saber a sua possível causa.

A tosse é uma das causas mais comuns de olhos vermelhos por hemorragia conjuntival.

Olhos vermelhos e irritados

O olho vermelho e irritado pode ser causado por diversas situações. As causas mais frequentes são as conjuntivites alérgicas, bacterianas e víricas. Outra causa muito frequente de olhos vermelhos e irritados é o uso de lentes de contacto durante muito tempo ou com raios de curvatura desajustados.

O olho seco constitui outra causa muito frequente de vermelhidão e irritação ocular, ou seja, olhos com poucas lágrimas ou lágrimas com pouca qualidade.

Saiba, aqui, tudo sobre olho seco.

Olho vermelho e inchado

O olho vermelho e inchado é uma situação clínica também muito frequente. Podem existir várias causas que provoquem olhos vermelhos e inchados. A causa mais comum são as conjuntivites que causam edema (inchaço), prurido, ardor, lacrimejo, fotofobia (sensibilidade à luz) e vermelhidão da conjuntiva.

Saiba, aqui, tudo sobre conjuntivite.

Uma das causas de olhos vermelhos e inchados é a ceratite fotoelétrica que é muito frequente nas pessoas que soldam sem proteção ocular ou com proteção inadequada.

Olhos muito vermelhos

Os olhos muito vermelhos podem ocorrer na conjuntivite alérgica. Ocorre com mais frequência em pessoas que sofrem de alergia sazonal, devido a um alergénio que desencadeia reação alérgica nos olhos.

Outra causa de olhos vermelhos é a conjuntivite bacteriana, causada por estafilococos ou estreptococos. A conjuntivite vírica (ou viral) é causada pelo vírus da constipação comum e pode também causar olhos muito vermelhos.

Muitas outras causas podem estar na origem de olhos muito vermelhos, devendo nesta situação consultar, de imediato, um médico oftalmologista.

Saiba, aqui, tudo sobre conjuntivite alérgica, bacteriana e vírica.

Olhos vermelhos e secos

Uma causa muito frequente dos olhos secos e vermelhos é a síndrome do olho seco.

Saiba aqui tudo sobre a síndrome do olho seco.

Os olhos vermelhos são um sinal muito frequente e que pode ter inúmeras causas. Conheça, de seguida, as causas principais.

Olhos vermelhos - causas

Embora as causas de olho vermelho possam ser inúmeras, deixamos-lhe aqui as mais comuns:

Cansaço ocular

Uma das causas para a vista vermelha é o cansaço ocular ou vista cansada, habitualmente, no final do dia. O uso de computador, essencialmente de uma forma excessiva, durante várias horas seguidas e sem intervalos provoca cansaço ocular, podendo originar olho vermelho ou avermelhado. O uso do computador provoca diminuição do pestanejo em cerca de 30% do normal, provocando olho seco que por sua vez provoca agressões nos olhos e consequente vermelhidão. Leia mais detalhes em olho vermelho e seco.

Saiba, aqui, como tratar o olho seco.

Os olhos vermelhos e cansados podem também ter como origem alguns erros refrativos como a miopia, a hipermetropia e astigmatismo que podem causar, caso não sejam devidamente tratados, um grande esforço do sistema ocular, provocando inflamação da conjuntiva. Esta inflamação da conjuntiva, por sua vez, acarreta vermelhidão no olho. A correção dos erros refrativos é, por isso, de enorme importância.

O uso de computador ou outros dispositivos de forma intensiva e quando associados a erros refrativos tornam o cansaço ainda mais intenso, desencadeando uma sintomatologia ainda mais exuberante. A dor de cabeça e dor nos olhos ou sensação de "cabeça pesada" pode também resultar do cansaço ocular.

Saiba, aqui, tudo sobre vista cansada.

Tosse

Não são raras as vezes em que a tosse, principalmente em pessoas com fragilidade vascular, pode provocar hemorragia conjuntival, devido à manobra de Valsalva (aumento da pressão venosa) exercida pela ação da tosse. Muitas pessoas com olhos vermelhos e tosse referem-se a esta sintomatologia, como “olhos com veias vermelhas”.

Embora essa área hemorrágica possa parecer alarmante, é uma ocorrência bastante comum, de pouca importância e que desaparece espontaneamente (auto-limitada), habitualmente, após uma a duas semanas, ocorrendo modificação da coloração, de vermelho brilhante a castanho e posteriormente a amarela, desaparecendo tipicamente sem sequelas.

A hemorragia conjuntival espontânea ou "sangue nos olhos", embora raramente, pode dever-se a hipertensão arterial descontrolada, a anemia, alteração da coagulação sanguínea, coagulação intravascular disseminada, disproteinémias e discrasias sanguíneas. As hemorragias subconjuntivais podem repetir-se, sobretudo, em pessoas com fatores de risco sistémicos.

Conjuntivite

A conjuntivite é uma inflamação da mucosa conjuntival, provocada por agressão química, bactérias, vírus ou reação medicamentosa, causando edema (inchaço), prurido, ardor, lacrimejo, vermelhidão da conjuntiva, tipicamente, referidos como “olhos vermelhos e ardor” ou “olhos vermelhos e doridos”.

A conjuntivite, geralmente, pode ser do tipo infecioso (bacteriana, vírica, fúngica ou protozoária), ou não infeciosa (alérgica, mecânica, química ou por radiação).

A conjuntivite alérgica também é uma das causas frequentes de olhos avermelhados e ocorre com mais frequência em pessoas que sofrem de alergia sazonal. É devida a algum alergénio que desencadeia uma reação alérgica nos olhos e são importantes pela frequência, cronicidade e pela clínica manifestada. É uma entidade múltipla e com diagnóstico, por vezes, difícil. A conjuntivite alérgica tem várias classificações, a saber: conjuntivite alérgica sazonal, ceratoconjuntivite vernal, ceratoconjuntivite atópica e ceratoconjuntivite papilar gigante.

A conjuntivite bacteriana é um processo inflamatório da conjuntiva bulbar ou tarsal, causada por agentes bacterianos (estafilococos ou estreptococos) e pode ser uni ou bilateral. Habitualmente, as secreções são muito mais intensas no canto do olho.

Saiba, aqui, tudo sobre conjuntivite.

Blefarite

A blefarite é uma alteração ocular que, usualmente, está relacionada com a colonização das pálpebras por bactérias da flora normal da pele. A inflamação pode ser de origem infeciosa, tóxica ou alérgica.

A blefarite pode manifestar-se de diversas formas: olhos vermelhos, conjuntivite, olho seco, hordéolo, chalázios e em casos mais avançados, triquíase e até úlceras córneanas.

Os tipos de blefarite mais comuns são: blefarite estafilocócica, blefarite seborreica (ou escamosa) e blefarite alérgica.

Saiba, aqui, tudo sobre blefarite.

Olho seco

A síndrome de olho seco é outra importante causa que pode originar olhos vermelhos. Dependendo do grau de evolução da doença, a vermelhidão nos olhos pode ser de maior ou menor intensidade, tendo tendência a agravar-se caso não exista um tratamento adequado.

Quando se pestaneja, a córnea fica lubrificada e essa pequena película que reveste a córnea chama-se de filme lacrimal. O filme lacrimal é constituído por três camadas: lipídica, aquosa e mucina. O olho pode ser considerado seco, se alguma destas camadas possuir alterações ou existir em quantidade insuficiente. Ou seja, o olho pode estar seco não só pela quantidade destes constituintes mas também se a qualidade estiver alterada.

Na presença de olho seco, o doente tem má lubrificação ocular e como consequência o olho sofre uma espécie de agressão, traumatismo mesmo com o pestanejo. Toda esta situação será agravada, se estiver em ambiente de ar condicionado, muito tempo no computador, com a idade (> 50 anos), menopausa, reumatismos, medicamentos (anti-histamínicos, anti-depressivos), etc.

O olho seco é uma doença ocular que pode ser muito grave em algumas situações, pelo que é importante o acompanhamento pelo médico oftalmologista.

Saiba, aqui, tudo sobre olho seco.

Uveíte

A uveíte é uma inflamação da úvea (camada média do olho). As manifestações clínicas mais relevantes das uveítes anteriores são: hiperémia ciliar, olhos vermelhos, tyndall do humor aquoso, precipitados endoteliais, nódulos da íris e sinéquias posteriores. 

A uveíte anterior aguda é a forma mais frequente e caracteriza-se por ter um aparecimento súbito e uma duração inferior a 3 meses. Segundo o segmento anatómico da úvea (íris, corpo ciliar, coroide ou as três), assim falamos de irite, coroidite e panuveite.

Saiba, aqui, tudo sobre uveíte.

Olho vermelho – outras causas

Para além das que já vimos, inúmeras outras causas podem estar na origem do olho vermelho. Deixamos-lhe, de seguida, outras causas, entre as mais comuns:

  • Presença de corpo estranho no olho;
  • Abrasão corneana (trauma nas camadas anteriores da córnea);
  • Infeção herpética da córnea (herpes);
  • Úlceras da córnea;
  • Síndrome de Sjögren;
  • Ectrópio;
  • Entropia;
  • Episclerite (inflamação da membrana que cobre a parte branca do olho);
  • Febre do feno;
  • Ceratite (inflamação da córnea);
  • Celulite orbitária (infeção grave dos tecidos ao redor dos olhos, provocando manchas vermelhas ao redor dos olhos);
  • Esclerite (inflamação da parte branca do olho);
  • Hordéolo (nódulo doloroso vermelho com pús no bordo da pálpebra);
  • Hemorragia subconjuntival;
  • Etc.

Embora tenhamos efetuado uma descrição das principais causas que levam à ocorrência de olhos vermelhos, outras podem estar na sua origem, relacionadas com outro tipo de doenças dos olhos.

Saiba, aqui, tudo sobre as principais doenças dos olhos.

Olhos vermelhos - sintomas, diagnóstico

Habitualmente, os olhos vermelhos podem ser acompanhados de outros sinais e sintomas muito importantes no diagnóstico. Estes sinais e sintomas podem incluir dor nos olhos, ardor ou ardência, irritação, fotofobia ou sensibilidade à luz, lágrimas em excesso ou olhos lacrimejando, febre, pús ou remela, edema ou inchaço, entre outros.  Se para além de olhos vermelhos apresenta outros sinais e sintomas como uma forte dor nos olhos, enjoo, náuseas ou vómitos, entre outros, consulte com urgência um oftalmologista, pois pode tratar-se de um problema grave que necessite de tratamento urgente.

Saiba, aqui, tudo sobre dor nos olhos.

A vermelhidão nos olhos e dor de cabeça são bastante comuns e podem estar relacionadas com uma inflamação, uma vez que esta é um processo caracterizado por uma reação do organismo a um determinado agente lesivo, mediante o qual se libertam mediadores químicos (histamina, sistema do complemento, prostaglandinas, etc), os quais vão gerar a resposta sintomatológica clássica.

Na maioria das doenças dos olhos raramente ocorre febre. Se estiver na presença dos seguintes sintomas: olhos vermelhos, febre e dor de cabeça muito provavelmente pode estar na presença de uma síndrome gripal ou gripe.

Olhos vermelhos - tratamento

O tratamento dos olhos vermelhos está, naturalmente, dependente das causas que lhe deram origem. Ou seja, a intervenção (o que fazer) depende da origem do problema.

Por exemplo, se a causa for a conjuntivite bacteriana, o tratamento será à base de antibióticos tópicos. Se houver conjuntivite vírica, o tratamento será efetuado com anti-inflamatórios (corticóides). Por sua vez, a conjuntivite alérgica é tratada com anti-histamínicos. A síndrome do olho seco, pode ser tratada com colírios, lágrimas artificiais. Outras causas, podem nem sequer necessitar de qualquer tratamento, como é o caso da hemorragia conjuntival que, normalmente, é auto-limitada, podendo, contudo, ser administrado um corticóide tópico. É também exemplo o olho vermelho por cansaço em que, muitas vezes, o simples repouso pode resolver o problema.

Ou seja, o tratamento está, naturalmente, dependente do problema ou doença que originou o olho avermelhado. Nunca se auto-medique e consulte o médico oftalmologista para efetuar o diagnóstico e tratamento adequado.

Colírios para olhos vermelhos

Os colírios são medicamentos para serem aplicados nos olhos, ou seja, são de uso tópico (gotas). No mercado, há muita variedade de colírios para os olhos. Os colírios podem ser antibióticos, anti-víricos, anti-inflamatórios, lágrimas artificiais, anti-hipertensores oculares, etc.

Dependendo do problema, a prescrição de uns ou de outros deve ser sempre efetuado pelo médico oftalmologista. Há situações em que a utilização de colírios pode piorar o problema e desencadear situações de agravamento das patologias.

Nunca se auto- medique, consulte o médico oftalmologista para efetuar o diagnóstico correto, principalmente se os sintomas são persistentes, pois pode tratar-se de um problema grave e que necessite de intervenção urgente.

Se procura um médico oftalmologista, especialista em doenças dos olhos, siga este link.