Hordéolo

Hordéolo - "terçolho", "terçol no olho" fotos, imagens

O que é?

Um hordéolo, vulgarmente, conhecido como "terçolho" ou "terçol no olho" é um abcesso palpável, um nódulo ou “inchaço”, vermelho ou avermelhado e doloroso que se forma na pálpebra (veja fotos superiores).

Este abcesso resulta de um bloqueio de uma ou mais glândulas sebáceas, localizadas no bordo ou espessura das pálpebras. O bloqueio impede a drenagem do líquido contido nas glândulas, dando assim origem ao hordéolo.

As pálpebras funcionam como uma barreira mecânica às agressões do exterior e são responsáveis pela secreção de gorduras. As lágrimas são fundamentais na lubrificação, desinfeção e proteção dos olhos. Na organização das pálpebras existem várias glândulas responsáveis pela produção dos componentes que constituem as lágrimas.

Conforme a sua localização e as glândulas envolvidas, os hordéolos ou terçolhos podem ser externos (hordéolo externo) ou internos (hordéolo interno). O hordéolo interno ocorre quando é formado numa das glândulas mais profundas da pálpebra. Neste caso, a sintomatologia costuma ser mais exuberante do que quando é formado na parte exterior da pálpebra. O hordéolo externo é mais frequente que o hordéolo interno.

Muitas vezes, o hordéolo e o calázio são confundidos. Existem algumas semelhanças e diferenças entre o hordéolo e o calázio.

Saiba, aqui, o que é um calázio.

Terçolho, terçol no olho

Os termos “terçolho” ou “terçol no olho” são também muitas vezes designados quando nos queremos referir a um hordéolo. Estes termos são aliás os mais conhecidos pelas pessoas sendo o termo hordéolo mais utilizado ente a classe médica e científica.

Em Portugal o termo mais utilizado entre a população é “terçolho”.

Causas

Como causas para o surgimento do hordéolo, "terçolho" ou "terçol no olho" encontram-se as infeções bacterianas. Estas infeções são as responsáveis pelo bloqueio da drenagem das glândulas, dando assim origem ao hordéolo. Os Staphylococcus são as bactérias mais frequentes nas infeções.

Os doentes que sofrem de blefarite crónica possuem um risco acrescido de desenvolverem hordéolo. Se a blefarite não for tratada corretamente o risco cresce, sendo mesmo uma causa frequente da doença.

Se quer saber o que é blefarite, conhecer as suas causas, sintomas e tratamento, siga este link.

Uma conjuntivite não tratada pode também vir a desencadear um hordéolo.

Se quer saber o que é conjuntivite, conhecer os tipos e causas, os sintomas e tratamento, siga este link.

A dermatite seborreica e a rosácea são também fatores de risco para o desenvolvimento do hordéolo.

Sintomas

Os sinais e sintomas do hordéolo, "terçolho" ou "terçol no olho", numa fase inicial podem apenas manifestar-se através do aparecimento de uma vermelhidão na pálpebra. Com o evoluir da doença, é formado um abcesso ou nódulo com hipersensibilidade e dor com pus de cor amarelada, no centro da zona inchada.

Habitualmente, apenas uma parte pequena da pálpebra é afetada, mas por vezes as pálpebras inflamam-se totalmente (mais difuso).

O olho pode lacrimejar, tornar-se sensível à luz (fotofobia) e provocar prurido e sensação de corpo estranho no olho.

Os sinais e sintomas do hordéolo interno são também semelhantes, causando dor, vermelhidão e inchaço mas de uma forma mais localizada que no hordéolo externo. A dor no hordéolo interno é tipicamente mais intensa do que no externo.

Quando o hordéolo possui grandes dimensões, este pode interferir com a visão.

É contagioso?

O hordéolo, "terçolho" ou "terçol no olho" não é contagioso. Não existe risco de contágio nem para o outro olho nem entre diferentes pessoas.

Tem cura?

Sim, o hordéolo "terçolho" ou "terçol no olho" tem cura. Veja, de seguida, como curar ou tratar o hordéolo.

Tratamento

Um hordéolo, "terçolho" ou "terçol no olho" desaparece sem tratamento na maioria das vezes. Habitualmente, drena de forma espontânea ao fim de 3 a 4 dias, contudo pode durar mais tempo, até cerca de um mês.

O tratamento médico consiste na aplicação de pomada antibiótico na zona afetada (pomada oftalmica) durante cerca de 8 dias.

O tratamento pode também ser efetuado em casa de uma forma natural, recorrendo à aplicação de compressas quentes sobre as pálpebras por períodos de 15 minutos. Deve fazer esta aplicação duas a quatro vezes por dia, de modo a liquefazer as secreções, o que é bom para facilitar a drenagem das glândulas, resolvendo assim o hordéolo, terçolho ou terçol no olho.

No hordéolo interno, a infeção é mais profunda e, por isso, a aplicação de antibiótico local (pomada ou colírio) pode ser coadjuvada com antibióticos orais. Nunca devemos espremer um hordéolo, pois poderemos agravar o problema ao permitir que a área afetada se expanda.

Em algumas situações, poderá ser necessária realizar uma pequena incisão ou cirurgia de modo a facilitar a drenagem do hordéolo ou terçolho.

Em termos de prevenção é de destacar a importância da higiene dos olhos e das pálpebras. Uma correta e frequente lavagem das mãos constitui outra medida preventiva relevante, evitando assim a possível contaminação das pálpebras pelas bactérias. Uma correta higiene no uso e manuseamento das lentes de contacto são também importantes na prevenção da doença, assim como a utilização correta dos produtos de maquilhagem e a sua remoção durante a noite.