Ecografia pélvica

Fotos de ecografia pélvica

O que é ecografia pélvica?

A ecografia pélvica é um exame que permite avaliar a região do abdómen inferior (pélvis).

A ecografia ou ultrassonografia permite avaliar através dos ultrassons as estruturas anatómicas do organismo. O ecógrafo é o equipamento (ou aparelho) que permite a sua execução.

Na linguagem médica corrente, o termo ecografia é geralmente abreviado para ECO, no caso da pelve, o exame é abreviado para ECO pélvica.

Que órgãos visualizamos?

A avaliação na ecografia pélvica masculina (no homem) permite visualizar a bexiga, a próstata e as vesículas seminais. Pode ser realizada por via supra púbica, e neste caso a sonda é colocada na região cutânea externa, sobre a região anatómica da bexiga (abdómen inferior ou “ao fundo da barriga”), utilizando uma sonda convexa, que é o mesmo tipo de sonda utilizada para a avaliação abdominal superior. É também possível avaliar estes mesmos órgãos por via endocavitária, através de uma avaliação endorectal (prostática transrectal), neste caso é usada uma sonda endocavitária, que é introduzida no ânus.

Nas mulheres, a ecografia pélvica feminina permite avaliar a bexiga e os órgãos ginecológicos, como o útero e os ovários. Também pode ser realizada por via supra púbica (a sonda é colocada na região cutânea externa, tal como nos homens) ou por via endocavitária, neste caso por via transvaginal (a sonda é introduzida pela vagina), para uma melhor avaliação dos órgãos ginecológicos (ecografia ginecológica por via transvaginal). Este exame permite também detectar gravidez, em fases mais avançadas por via supra-púbica, e nas fases mais precoces por via endovaginal. Para a avaliação do feto é realizada ecografia obstétrica, que é um tipo específico de avaliação pélvica, que pode ter várias modalidades, incluindo avaliação 2D, 3D e 4D. A ecografia obstétrica mostra a evolução do embrião ou feto nas diferentes fases de gestação.

Saiba, aqui, tudo sobre ecografia obstétrica.

clinica_imagiologia.png

Indicações da ECO pélvica

A ecografia pélvica serve para auxiliar o médico no diagnóstico de várias doenças, nomeadamente as relacionadas com os órgãos desta região.

A ECO pélvica está indicada para avaliar alterações da bexiga em ambos os sexos, como tumores ou litíase (pedra). Quando se pretende avaliar apenas a bexiga também é possível solicitar exame dirigido (ecografia vesical por via supra púbica).

Nos homens, permite avaliar alterações da próstata, como aumento do tamanho (hipertrofia benigna da próstata) ou das vesículas seminais. Também pode detetar cancro da próstata, nestes casos a ecografia transrectal é a mais indicada, permitindo uma avaliação mais detalhada da próstata e, se indicado, a realização de biópsia.

Na mulher, este exame permite detetar tumores ginecológicos (útero e ovários) benignos ou malignos (cancro). Permite detetar gravidez e fazer o seu seguimento, entre outras alterações ginecológicas.

Como é feita a ecografia pélvica?

A ecografia pélvica é considerada um exame simples e seguro. Inicia-se o procedimento através da colocação da sonda no órgão ou estrutura que se pretende avaliar. Como vimos anteriormente, existem duas formas de abordagem, a “externa” (supra púbica, e nesse caso a sonda é colocada na região inferior do abdómen) e a “interna”, em que a sonda é colocada na vagina no caso das mulheres e no ânus no caso dos homens. O médico faz a colocação de um gel incolor entre a superfície anatómica e a sonda, e gera as imagens de forma completa. Desta forma, serão captadas imagens para visualização por parte do médico.

Quando os órgãos estudados não apresentam alterações consideráveis ou que originem dúvidas ao médico radiologista, o exame é considerado normal. No seguimento da ecografia o médico radiologista pode ainda considerar a necessidade de executar exames adicionais, como por exemplo, tomografia computorizada (TC), ressonância magnética (RM), entre outros.

Quem pode realizar o exame?

Vulgarmente, a ecografia pélvica por via supra-púbica pode ser realizado em qualquer idade (bebés, crianças e adultos), e por ambos os sexos.

A ecografia pélvica infantil por via supra púbica, apresenta a mesma indicação do que nos adultos, ou seja, está indicado na avaliação dos mesmos órgãos, não necessitando de proteção específica, uma vez que a ecografia não utiliza radiação. Não é um exame invasivo, como tal não causa dor durante a sua realização. Contudo, a avaliação por via endocavitária (transrectal ou transvaginal) pode causar algum desconforto e apenas está indicada nos homens adultos e nas mulheres após o início da vida sexual.

A ecografia pode ser realizada durante a gravidez, ao contrário de outros exames que usam radiação ionizante, como por exemplo a tomografia computorizada (TC ou TAC).

Quanto tempo demora o exame?

A duração do exame é de aproximadamente 5 minutos (tempo médio). Os exames que apresentam uma maior demora são os que carecem de uma avaliação mais pormenorizada dos órgãos ou estruturas anatómicas, por isso a abordagem por via endocavitária (interna) geralmente demora mais tempo que a avaliação supra-púbica.

Preparação para o exame 

Para a realização da ecografia pélvica por via supra púbica é necessário ter a bexiga cheia (beber bastante água até ter vontade de urinar). Para os exames por via intravaginal, a mulher não deve estar na fase menstrual do ciclo. Nos homens (ecografia prostática por via transrectal) é necessário fazer uma limpeza rectal (micro clister) prévia ao exame.

É necessário jejum?

Não é necessário jejum, pode comer e beber antes do exame e deve manter a medicação habitual.

Limitações da ecografia pélvica

A ecografia pélvica não avalia bem as estruturas intestinais e apenas permite detetar algumas alterações patológicas em fases mais avançadas. Para avaliar os órgãos pélvicos com mais detalhe ou caracterizar algumas alterações, pode ser necessário realizar RM pélvica.

Saiba, aqui, tudo sobre RM pélvica.

Saiba, aqui, tudo sobre TC pélvica.

Quanto custa uma ecografia pélvica?

O preço de uma da ecografia pélvica quando realizada a título particular pode variar de acordo com o local onde é realizado e o subsistema de saúde do doente. Ou seja, se o exame for executado a título particular, o valor é determinado pela clínica de imagiologia que o executa e do subsistema do doente. Como “ordem de grandeza” podemos afirmar que o preço situa-se, geralmente, entre os 20 e os 80 euros (por exame). Todavia, estes valores podem variar bastante consoante o tipo de exame realizado.

Para os doentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS) os exames são comparticipados pelo estado, cabendo ao utente apenas o pagamento de uma taxa moderadora. No entanto, este pagamento apenas terá lugar caso o utente não esteja isento. O valor da taxa moderadora a pagar pelo utente é fixado em portaria. Habitualmente, no caso da ecografia pélvica, o valor é inferior a dez euros. Por sua vez, para os utentes isentos, o exame é gratuito.

No caso dos utentes beneficiários de outros subsistemas, como a ADSE, seguros de saúde, etc. o utente terá de pagar os valores da comparticipação estipulada pelo subsistema ou do seguro de saúde associado.

Selecione o concelho da sua residência e veja onde fazer a ecografia pélvica e informações adicionais sobre o preço dos exames em Portugal.

clinica_imagiologia.png