TC dos Seios Perinasais

TC ou TAC

O que é TC dos seios perinasais?

A tomografia computorizada (TC) dos seios perinasais ou seios da face é um exame por imagem que serve para auxiliar o médico no diagnóstico de várias patologias (doenças) como a sinusite, rinite, desvio do septo nasal (do nariz), entre outras. Veja mais informação em indicações da TC dos seios da face. 

Os seios perinasais são as cavidades aéreas por onde circula o ar que inspiramos. Essas cavidades aéreas localizam-se no esqueleto craniofacial ao lado das fossas nasais (do nariz). Estas permitem filtrar o ar, humedece-lo e aquece-lo para ser conduzido até aos pulmões.

A denominação tomografia axial computorizada (TAC) dos seios perinasais refere-se ao mesmo exame. A palavra “axial” caiu em desuso na designação do exame, pois esta tecnologia (axial) inicialmente utilizada foi substituída pela helicoidal, passando o exame a designar-se simplesmente por TC dos seios perinasais. Contudo, a designação “TAC” é, ainda, muito utilizada por médicos e utentes, apesar de ser mais correto usar “TC” quando o exame é realizado em equipamentos modernos (com tecnologia helicoidal).

Quem pode realizar a TC?

O exame pode, regra geral, ser efetuado por qualquer pessoa de qualquer idade e sexo, de uma forma célere e confortável, desde que exista indicação clínica (veja indicações do exame). Conhecidos os riscos associados à radiação ionizante, todos os exames que a empregam devem ser ponderados pelo Médico.

A tomografia computorizada é um exame não invasivo. O paciente não sentirá qualquer tipo de dor ou desconforto durante a sua execução, pelo que se trata de um método de diagnóstico muito bem tolerado.

No caso de necessidade de realização da TC dos seios perinasais em crianças, o exame poderá ser executado com sedação (anestesia).

A gravidez é uma contra-indicação relativa para a concretização de exames imagiológicos que empreguem radiação ionizante, pelo que a mulher grávida não deverá ser sujeita a TC, salvo em condições muito excecionais.

Indicações da TC dos seios perinasais

A TC dos seios perinasais está indicada em diversas patologias (ou doenças). Pela sua incidência na população destacaremos, de seguida, algumas das mais importantes.

A sinusite é a inflamação da mucosa dos seios perinasais, podendo cursar de forma aguda ou crónica (quando os sintomas se prolongam no tempo). Obstrução nasal (nariz entupido), dores de cabeça, pressão facial (na face), alterações no cheiro, são alguns dos sinais e sintomas na sinusite. A inflamação pode ocorrer em qualquer um dos seios perinasais. No entanto, são mais frequentemente afetados os seios anteriores, nomeadamente os seios frontais, maxilares e etmoidais anteriores.

Saiba, aqui, tudo sobre sinusite.

A rinite é a inflamação da mucosa nasal (nariz), podendo ser classificada em rinite alérgica e rinite não alérgica. Trata-se de uma patologia com uma grande incidência entre a população, que cursa frequentemente de forma crónica e cuja sintomatologia como a obstrução nasal (“nariz entupido”), rinorreia, espirros, prurido (“comichão no nariz”), entre outros, reduzem drasticamente a qualidade de vida das pessoas.

No diagnóstico da rinite, para além de outros exames (ex. testes das alergias), os estudos imagiológicos dos seios perinasais, permitem detetar possíveis anomalias anatómicas existentes e avaliar a gravidade da sinusopatia associada.

Saiba, aqui, tudo sobre rinite.

O desvio do septo nasal é outra patologia frequente, onde a TC dos seios perinasais é muito importante para diagnosticar e quantificar a gravidade do desvio existente.

A TC permite-nos caracterizar o desvio existente bem como planear uma eventual cirurgia para correção do desvio do septo (septoplastia). Veja imagens de uma TC onde é visível um desvio do septo.

Saiba, aqui, tudo sobre desvio do septo nasal.

Para além das patologias atrás apresentadas, que estão entre as mais frequentes, e que possuem uma alta incidência entre a população, muitas outras podem justificar o recurso à tomografia dos seios da face. São exemplos: pólipos nasais, tumores benignos ou malignos (cancro), entre outras.

Tomografia com contraste

Na tomografia computorizada (TC) dos seios perinasais com contraste é avaliado o comportamento vascular das estruturas em observação. A denominação “TC dos seios perinasais sem contraste”, como o próprio nome indica, é utilizada para indicarmos que não é usado contraste (a maioria dos casos).

Os produtos de contraste iodados são ministrados por via endovenosa (EV) e ampliam o contraste entre as estruturas com diversos fluxos sanguíneos, evidenciando estruturas hipervascularizadas como por exemplo tumores ou inflamações.

São conhecidos alguns riscos no uso de produtos de contraste à base de iodo em determinados doentes. A utilização de produtos de contraste iodados está contra-indicada em doentes que apresentam insuficiência renal grave e história de reação anafilática (anafilaxia).

As reações adversas com os produtos de contraste usados em TC são mais frequentes relativamente ao uso de gadolínio em Ressonância Magnética (RM). Assim, nos doentes de risco está indicada a RM em vez da TC.

clinica_imagiologia.png

Como é feita a tomografia?

Não é necessária qualquer preparação antes do exame, exceto os cuidados com a ingestão de alimentos / bebidas que descreveremos adiante, em caso de administração de contraste.

É solicitado ao doente que substitua a sua roupa por uma bata e que retire todos os objetos metálicos de que se faça acompanhar (relógio, pulseiras, etc.).

Para realizar o exame, o doente é colocado em decúbito dorsal (“barriga para cima”) na mesa que deslizará para o interior do aparelho de TC.

A tecnologia base empregada na tomografia computorizada é a radiação ionizante. Os aparelhos de TC executam diferentes “cortes”, ou seja, concebem diversas imagens dos tecidos (multicorte). Os cortes correspondem a uma “fina fatia” da parte do corpo humano em observação. Através de sistemas informáticos (computorizada), são geradas as sequências de imagens usadas para diagnóstico médico.

O exame é realizado por um Técnico de Radiologia que procede à aquisição das imagens. O doente deve conservar-se em descanso absoluto, uma vez que qualquer movimento poderá danificar a imagem médica. Durante o exame, o doente poderá pedir a suspensão do mesmo via intercomunicador caso se sinta incomodado por algum motivo.

O Técnico após concluir a aquisição das imagens procede ao seu arquivamento. Numa fase posterior, o Médico Radiologista ou Neurorradiologista observa as imagens e interpreta o exame. Esta interpretação dará origem a um relatório (escrito).

Unicamente após a validação do relatório final por parte do Médico Radiologista ou Neurorradiologista é que os resultados do exame, constituído pelas imagens e pelo relatório, são divulgados. O estudo TC será considerado normal se as estruturas examinadas não mostrarem alterações importantes ou suspeitas. Por outro lado, a existirem alterações o Médico Radiologista ou Neurorradiologista relata o que observou, devendo estes achados serem relacionados com os restantes exames e história clínica.

Quanto tempo demora o exame?

A duração média para realizar uma TC dos seios da face é de aproximadamente 5 minutos.

O exame terá de ser relatado posteriormente, sendo que o tempo necessário para a sua disponibilização poderá variar bastante em função da urgência do exame.

É necessário jejum na TC?

Nos casos em que não carecem de administração endovenosa de produto de contraste iodado (TC dos seios perinasais sem contraste), o paciente não precisa de estar em jejum.

Porém, o doente deverá encontrar-se em jejum, nunca inferior a 4 horas, nos casos de administração de contraste (TC dos seios perinasais com contraste). Neste caso, o doente deverá ser avisado antecipadamente pelo Serviço de Radiologia onde irá realizar o exame.

Quanto custa uma tomografia?

Quando o exame é realizado a título particular, o valor do exame é determinado pela clínica de imagiologia que realiza a TC. Como “ordem de grandeza” podemos dizer que o valor se situa, geralmente, entre uma e poucas centenas de euros.

Para os doentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS) a TC dos seios perinasais é comparticipada pelo estado. O paciente apenas terá de suportar o custo da taxa moderadora, caso não esteja isento (internados, doentes oncológicos, insuficientes económicos, etc) do seu pagamento. O valor da taxa moderadora é fixado em portaria e por norma ascende entre uma a poucas dezenas de euros.

Para os utentes da ADSE e de outros subsistemas, apenas será necessário suportar o valor da taxa moderadora. No caso dos seguros de saúde o preço depende das condições associadas ao seu plano.

Veja onde fazer a TC dos seis perinasais, e mais informações sobre o preço dos exames e contactos em Portugal, selecionando o seu concelho.

clinica_imagiologia.png