Tosse

Tosse

O que é tosse?

A tosse pode ser provocada por diversas patologias (doenças), como é exemplo a constipação comum (resfriado), a gripe, a pneumonia, as alergias (pólens, ácaros, etc.), tuberculose, bronquite, entre muitas outras. Veja mais informação em causas para a tosse.

A tosse é um mecanismo de defesa do organismo. Quando algo irrita a garganta ou as vias aéreas (ver causas), a tosse é uma forma de expulsar os irritantes e, desta forma, defender o nosso organismo. Os irritantes estimulam as terminações nervosas que enviam uma mensagem para océrebro, que por sua vez, envia informação aos músculos intercostais, diafragma e do abdômen que se contraem e expulsam rapidamente o ar dos pulmões.

Dito isto, a tosse pode ser benéfica para o organismo pelo que nem sempre se devem usar medicamentos antitússicos (remédios para a tosse, habitualmente em xarope) sob pena de agravamento do quadro clínico. Veja mais informação em tratamento para a tosse.

Quando me devo preocupar?

Uma tosse ocasional sem outros sinais e sintomas de alarme é normal e saudável. Mas quando a tosse persiste por várias semanas, mesmo sem apresentar outros sinais e sintomas deve ser sempre avaliada pelo médico. Assim como no caso de coexistirem outros sintomas, como por exemplo a febre, principalmente se for superior a 38 graus ou um quadro de febre com mais de mais de 3 dias de evolução.

Dizemos que estamos perante uma tosse seca quando não há secreções e perante uma tosse tosse produtiva quando há secreções (como a expetoração amarelo-esverdeada que é um sinal de infeção nas vias respiratórias).

A febre é muito frequente nas infeções víricas (por vírus, como o influenza da gripe comum, gripe A (H1N1), mais recentemente pelo SARS COV2 (COVID 19), ...) ou nas infeções bacterianas (por bactérias, como é exemplo Bordetella parapertussis, Mycoplasma pneumoniae, Chlamydia trachomatis, Chlamydia pneumoniae). Deve sempre existir uma avaliação médica, sobretudo se acompanhada de dispneia (falta de ar).

A tosse com sangue (hemoptise) é sempre um sinal de alarme. O sangue pode ser vermelho-vivo, rosado e espumoso, ou pode ser misturado com a expetoração (neste caso denomina-se expetoração hemoptóica). A hemoptise, mesmo em pequenas quantidades, até poderá não ser grave, mas é sempre um sinal de alerta que deve ser estudado rapidamente.

Às vezes, a tosse pode ser muito intensa. Também é cansativo e pode causar insónia, tontura ou desmaio, dores de cabeça, incontinência urinária, vómitos e até fraturas costais.

Tosse aguda vs tosse crónica

Enquanto uma tosse ocasional de curta duração e sem outros sintomas pode ser normal, uma tosse persistente no tempo (que não passa), mesmo sem outros sintomas, pode ser um sinal de um problema que deve ser sempre avaliado.

Dizemos que estamos perante uma tosse aguda se esta durar menos de três semanas.

A tosse que dura mais de oito semanas nos adultos e quatro semanas nas crianças, é considerada tosse crónica.

Causas para a tosse

As principais causas para a tosse aguda são as que a seguir descrevemos.

1. Resfriado comum, ou constipação

O resfriado comum, ou constipação é uma infeção viral do nariz e da garganta (trato respiratório superior). Geralmente, é inofensivo. Os sinais e sintomas podem variar de pessoa para pessoa, mas normalmente estão presentes:

  • Coriza (pingo no nariz) ou nariz entupido;
  • Dor de garganta;
  • Tosse seca;
  • Congestionamento;
  • Ligeiras dores no corpo ou uma leve dor de cabeça (cefaleia);
  • Espirros;
  • Febre baixa (inferior a 38ºC);
  • Geralmente, mal-estar.

Saiba, aqui, tudo sobre resfriado comum ou constipação.

2. Gripe

A gripe é uma doença do aparelho respiratório causada pelo vírus influenza. Trata-se de uma doença infeciosa, altamente contagiosa (existe possibilidade de contágio ou a doença “passa” ou “pega-se” de pessoa para pessoa). Os sintomas de gripe mais frequentes são:

  • Febre;
  • Tosse;
  • Nariz entupido;
  • Ardor na garganta;
  • Dores de cabeça e corpo;
  • Mal-estar geral;
  • Arrepios de frio.

Nas crianças também são frequentes náuseas, vómitos e diarreia.

Como pode observar os sintomas de gripe e de constipação são bastante semelhantes, contudo na gripe, as queixas são mais intensas, sendo a febre mais elevada e aumentando de forma mais rápida. As dores musculares também são mais intensas.

O período de incubação da gripe, por norma, varia entre 48 e 72 horas. Habitualmente, a gripe ou uma constipação passam mesmo sem tratamento ao fim de cinco dias. No entanto, em alguns casos podem surgir complicações devendo ser observado por um médico. Os antibióticos não estão indicados no tratamento, pois a gripe não é causada por bactérias.

3. Pneumonia

A pneumonia é um tipo de infeção pulmonar (dos pulmões) devida a micro-organismos infeciosos ao nível dos alvéolos (pequenos sacos de ar). O principal sintoma da pneumonia é, vulgarmente, a tosse que surge em conjunto com pelo menos expetoração, febre, falta de ar ou dificuldade em respirar, desconforto no peito ou dor do tipo “pontada” e “dor nas costas”.

Saiba, aqui, tudo sobre pneumonia.

4. Tosse convulsa

A tosse convulsa (também conhecida por Coqueluche ou pertussis) é uma doença provocada pela bactéria Bordetella parapertussis. Em Portugal, o plano de vacinação prevê a tosse convulsa, tornando esta doença rara.

5. Inalação de irritantes

A inalação de irritantes como fumo, poeira, produtos químicos ou de corpos estranhos também pode ser uma das causas da tosse. Estas inalações são frequentemente reconhecidas pelos doentes pois ocorrem após o contacto com os irritantes.

Quando a tosse se torna crónica, as causas mais frequentes são as seguintes:

6. Asma

A asma é uma doença crónica provocada por inflamação das vias aéreas. São frequentes sintomas como a sibilância (pieira), falta de ar, aperto no peito e tosse irritativa, que variam ao longo do tempo e de intensidade. A asma não tem cura, apesar de se bem controlada poder cursar sem sintomas durante longos períodos. A asma é mais comum em crianças, sendo bastante frequente a asma alérgica (asma desencadeada pelas alergias).

Saiba, aqui, tudo sobre asma.

7. Bronquite

A bronquite é caraterizada por uma inflamação do revestimento dos brônquios. Esta inflamação brônquica provoca tosse com expectoração, por vezes, mucosa.

A tosse ao acordar e o desconforto torácico são os sintomas mais frequentes da bronquite aguda. De início, a tosse é não produtiva, mais tarde, habitualmente, surge expectoração mucosa. Com a progressão da bronquite, a expectoração pode tornar-se purulenta (com pús) e aparecer raiada de sangue.

Saiba, aqui, tudo sobre bronquite.

8. Doença do refluxo gastroesofágico

A Doença do refluxo gastroesofágico é uma patologia bastante frequente nos adultos, que ocorre quando o refluxo do conteúdo gástrico que passa para o esófago ultrapassa os valores normais. São frequentes os seguintes sintomas:

  • Pirose retroesternal - sensação de queimadura no tórax;
  • Regurgitação – aparecimento de alimentos na boca;
  • Disfagia – dificuldade em engolir certos alimentos;

Outros sintomas podem ocorrer, tais como:

  • Tosse irritativa com agravamento durante a noite;
  • Rouquidão persistente;
  • Azia;
  • Dores de ouvidos;
  • Crises asmatiformes (sibilos e falta de ar);
  • Halitose (mau hálito);
  • Desgaste do esmalte dos dentes;
  • Dor torácica, difícil de distinguir de dor de origem cardíaca (do coração).

Saiba, aqui, tudo sobre doença do refluxo gastroesofágico.

9. Escorrência pós-nasal

Escorrência pós-nasal, muitas vezes, provocada por rinite alérgica. A rinite é uma inflamação da mucosa nasal (do nariz). São frequentes sintomas como a obstrução nasal (“nariz entupido”), o prurido (“comichão no nariz”), espirros e rinorreia. Podemos dividi-la em rinite alérgica (provocada pelas alergias, como a alergia aos pólens) ou rinite não alérgica, usualmente perenal de etiologia múltipla.

Saiba, aqui, tudo sobre rinite.

10. Outras causas para tosse

Para além das patologias atrás enumeradas, podem existir outras doenças causadoras da tosse. Entre essas causas, podemos enumerar:

Diagnóstico na tosse

O médico pneumologista (especialista em pneumologia) pode realizar o diagnóstico apenas pela anamnese (questionário clínico) e pelo exame objetivo (inspeção, percussão, palpação e auscultação). No entanto, por vezes, terá de se socorrer de alguns exames auxiliares de diagnóstico, a saber:

  • A espirometria também pode ser útil, sobretudo na avaliação de uma possível asma, DPOC, enfisema ou fibrose pulmonar que podem ser as causas da tosse. Saiba, aqui, o que é espirometria.
  • Frequentemente pode haver necessidade de realização de outros exames que permitem obter uma informação mais detalhada como a Tomografia computorizada (TC ou TAC). Saiba, aqui, o que é TC de tórax.

É importante particularmente urgente procurar um médico quando a tosse vier acompanhada com sangue ou falta de ar.

Medidas gerais no tratamento

Para diminuir a tosse, deverá tomar algumas medidas importantes, tais como:

  • Fazer uma boa hidratação - beber bastantes líquidos. Água, sumo, sopa líquida ou água morna com limão são boas escolhas. Evite cafeína e álcool, que podem levar à desidratação. Tomar chá e outros líquidos quentes podem acalmar, aliviar e reduzir a tosse;
  • Ajuste a temperatura e a humidade do seu quarto. Mantenha o seu quarto quente, mas não excessivamente. Se o ar estiver seco, um humidificador pode ajudar a aliviar a tosse;
  • Um gargarejo de água salgada - 1/4 a 1/2 colher de chá de sal dissolvido num copo de água morna - pode aliviar, durante algum tempo, a dor e irritação na garganta;
  • Nas crianças, aspire suavemente as narinas após aplicar gotas de soro fisiológico ou água do mar;

Para além das medidas atrás enunciadas, não tente qualquer tipo de tratamento caseiro mesmo que empregue produtos naturais, pois podem agravar o estado da doença. Fale sempre com o seu médico em caso de dúvidas.

Tratamento medicamentoso

O tratamento da tosse depende naturalmente da causa que lhe está subjacente. Nunca se automedique e consulte sempre o seu médico.

No entanto, qualquer que seja a causa é muito comum o uso de Xaropes para tosse. As sociedades científicas têm uma forte recomendação de não administrar medicamentos (ou remédios) para a tosse sem receita médica a crianças menores de 4 anos, pois podem ser prejudiciais. Não há provas de que esses remédios sejam benéficos ou seguros para as crianças.

Em adultos, de uma forma geral, também não é aconselhada a administração de medicamentos (ou remédios) para a tosse aguda, contudo, se o fizer, siga as instruções do rótulo. Não tome dois medicamentos com a mesma substância ativa, como anti-histamínico, descongestionante ou analgésico. O consumo em excesso pode conduzir a uma intoxicação acidental.

Em caso de tosse persistente e agravamento dos sintomas, principalmente na presença de “falta de ar” e febre que se arrasta há mais de 3 dias deve procurar um médico.

clinica de pneumologia.png