Ortopantomografia

Ortopantomografia dental, fotos, imagens

O que é ortopantomografia?

A ortopantomografia, também designada de radiografia panorâmica, é um exame radiológico que serve como meio auxiliar de diagnóstico, no qual se obtêm imagens do maxilar superior e inferior, tornando possível visualizar ambas as arcadas dentárias (os dentes todos), e algumas estruturas anatómicas adjacentes, nomeadamente os seios maxilares e as articulações entre a mandíbula e o crânio (ATM). Veja imagens superiores.

Apesar da mandíbula ser uma estrutura curva, a radiografia panorâmica gera uma imagem radiológica bidimensional plana da estrutura curva, que durante muito tempo era apenas impressa em película (formato analógico), mas já desde algum tempo a esta parte, é também possível o seu armazenamento em suporte digital (ortopantomografia digital).

O aparelho de raio x panorâmico (ortopantomógrafo) usa uma pequena dose de radiação ionizante para capturar imagens radiográficas da boca completa apenas numa única imagem. As radiografias panorâmicas são frequentemente requisitadas por médicos dentistas e cirurgiões orais, especializados em cirurgia maxilofacial, na sua prática quotidiana para diagnóstico e tratamento de diversas patologias, como veremos adiante com mais detalhe.

Este tipo de radiografia pode ser efetuada tanto no adulto como na criança (radiografia panorâmica infantil).

clinica-dentaria.png

Ortopantomógrafo digital

Um raio x (RX) é um exame médico não invasivo, indolor que auxilia os médicos no diagnóstico e plano de tratamento de diversas patologias. Este exame expõe uma parte do corpo a uma pequena dose de radiação ionizante para gerar imagens do interior do mesmo. Os raios X são a forma mais antiga e mais utilizada na imagiologia médica.

Designa-se por ortopantomógrafo o equipamento ou aparelho que permite realizar o exame de ortopantomografia ou radiografia panorâmica. O ortopantomógrafo possui dois lados. De um dos lados da máquina existe um tubo que emite os feixes de raios-X e do lado oposto existe um detetor para os captar.

Para se obterem imagens panorâmicas diagnósticas, o paciente deve ser corretamente colocado entre essas duas estruturas, mais concretamente a sua cabeça que deverá ser cuidadosamente posicionada e completamente imóvel. Pode ser colocado ao paciente uma boqueira que lhe permitirá manter a boca semi-aberta, ainda que ligeiramente, mas que será o suficiente para não deixar cerrar ou ocluir os dentes, permitindo assim uma visão mais diferenciada ao evitar a sobreposição dos dentes.

Seguidamente o tubo de raios-x irá mover-se em torno da cabeça do paciente, emitindo os feixes ionizantes que serão, então, captados digitalmente ou em película, formando a imagem radiográfica pretendida das arcadas dentárias e estruturas ósseas adjacentes.

À semelhança da luz ou das ondas de rádio, os raios X são uma forma de radiação que passam através da maior parte dos objetos, incluindo o corpo. O Raio X destina-se a observar uma zona do corpo a ser examinada, permitindo produzir uma imagem.

Na atualidade, um ortopantomógrafo digital permite a obtenção de imagens em formatos digitais, possibilitando o seu arquivo e partilha em todo o tipo de meios digitais (computadores, etc.).

As imagens em formato digitalizado apresentam diversas vantagens quando comparadas com os formatos analógicos, nomeadamente, ao nível da facilidade de aquisição, de arquivo ou de armazenamento e partilha das radiografias. A radiografia digital permite também ao médico dentista ajustar e alterar algumas propriedades das imagens (contraste, brilho, etc.) para permitir uma melhor visualização de certas estruturas e tecidos.

No entanto, até há alguns anos atrás, as imagens de raios-x eram apresentadas apenas em grandes folhas de película (muito parecidas com um negativo fotográfico). Atualmente, a maioria das imagens são produzidas e arquivadas em formato digital, embora a radiografia panorâmica convencional, ou seja, em película, seja ainda considerada com alguma frequência ao nível da ortopantomografia, e não só.

Indicações do exame

A radiografia panorâmica é um exame frequentemente requisitado por médicos dentistas na sua prática quotidiana, constituindo uma ferramenta auxiliar de diagnóstico muito importante. Este tipo de exame cobre uma área significativamente superior à obtida através de um raio-x intraoral convencional, facultando informações importantes sobre o posicionamento dos dentes nas arcadas dentárias, patologias ou anomalias ósseas e relação dos seios maxilares, entre várias outras.

Após solicitação de um raio-x panorâmico, o médico dentista poderá detetar a possível existência de vários problemas. Este exame é também indicado para avaliar a possibilidade de tratamento e da sua eficácia, bem como no planeamento de determinadas cirurgias.

Entre outras, a ortopantomografia é indicada para avaliação e diagnóstico nos seguintes casos:

Preparação para o exame

Um exame de radiografia panorâmica não requer nenhuma preparação especial. É um exame que não possui quaisquer riscos ou complicações associadas.

O utente deverá retirar previamente qualquer tipo de joias (brincos e piercings, por exemplo), óculos ou quaisquer outros objetos de metal que possam interferir com as imagens de raios-x, pois as imagens metálicas são passíveis de aparecer na imagem radiográfica, podendo assim interferir com o diagnóstico.

clinica-dentaria.png

Ortopantomografia na gravidez

A ortopantomografia na gravidez é também perfeitamente exequível, não apresentando contraindicações relevantes, sendo contudo muito importante que no momento da sua realização, a mulher grávida informe o médico ou assistente da sua situação. A mulher deverá informar mesmo nos casos em que exista apenas a suspeita de uma possível gestação, de modo a não expor o bebé à radiação.

Nestes casos, como medida de proteção, ser-lhe-á colocado um avental de chumbo para proteger o resto do corpo de qualquer exposição à radiação.

Saiba, aqui, tudo sobre tratamentos dentários na mulher grávida.

Execução da ortopantomografia

Tal como já referido, o paciente é primeiramente colocado no centro da unidade radiográfica, onde o técnico irá cuidadosamente posicionar e proteger a sua cabeça. O aparelho poderá ser ajustado para acomodar um paciente em pé ou sentado numa cadeira de rodas.

De seguida, será colocada uma boqueira na boca do paciente para garantir o alinhamento correto dos dentes, evitando a oclusão e sobreposição dos mesmos, pois o posicionamento correto dos dentes e da cabeça é essencial para obter uma imagem clara.

A seguir, a radiografia panorâmica é feita através da captação da imagem de Raio X num formato digital ou em película, conforme já descrito anteriormente. O paciente deverá permanecer imóvel enquanto o braço rotativo roda em semicírculo ao redor do perímetro de sua cabeça para captar as imagens.

Um exame de radiografia panorâmica é completamente indolor (não provoca dor).

Quanto tempo demora o exame?

Não havendo qualquer contratempo associado, este exame é pouco demorado, apresentando por norma uma duração média inferior a 5 minutos.

Limitações da ortopantomografia

A radiografia panorâmica não fornece informações muito precisas e detalhadas sobre cada dente ou tecidos moles adjacentes, como os músculos por exemplo. Este exame é geralmente utilizado para avaliação inicial dos dentes e estrutura óssea dos maxilares. Como a boca tem uma forma curva e a radiografia panorâmica é exposta num plano, é normal que por vezes possa gerar uma imagem menos nítida ou com distorção, daí que a obtenção de medições precisas dos dentes e do osso maxilar ou mandibular não se torne fidedigna.

Se eventualmente o médico dentista necessitar de informações muito precisas, uma tomografia computadorizada (TC) ou ressonância magnética (RM) poderão ser a melhor solução.

Outras técnicas radiográficas

Na radiologia odontológica, para além das ortopantomografias, outras radiografias odontológicas com caraterísticas distintas podem ser efetuadas, nomeadamente:

  • Radiografia periapical - dentro da radiografia intraoral é a mais comum. Incide numa área muito mais restrita que a ortopantomografia, abrangendo por norma apenas 2 a 3 dentes contíguos, desde a coroa até ao término da raiz e pequena área óssea adjacente, permitindo assim avaliar a anatomia do dente no seu todo de uma forma mais detalhada do que a ortopantomografia, nomeadamente para despiste de cárie, controlo endodôntico (tratamento de canal), verificação da adaptação de restaurações e deteção de lesões periapicais, entre outras. Saiba, aqui, tudo sobre radiografia periapical.
  • Radiografia bite wing ou interproximal - Idêntica à periapical, mas ainda mais restrita, pretendendo-se visualizar apenas as coroas de alguns dentes superiores e inferiores na mesma imagem, principalmente os posteriores, e a crista óssea vizinha ao dente (topo do osso localizado entre os dentes). São comumente efetuadas para deteção de cáries interproximais, ou seja, cáries entre os dentes, que tendem a ser as mais difíceis de detetar durante a inspeção clínica para despiste de cáries.
  • Radiografia oclusal - É também, à imagem das anteriores, um tipo de radiografia intraoral, sendo a película radiográfica, neste caso, colocada entre os dentes do maxilar superior e os do inferior, como se o paciente a estivesse a “morder”, sendo feita uma incidência dos raios X com uma angulação de 65 a 70 graus em relação à película. Este tipo de radiografia torna-se particularmente útil no despiste de raízes residuais (restos de raízes), dentes inclusos e dentes supranumerários (excedentários), por exemplo.

Já muito mais específica, mas essencial quando se pretende obter um diagnóstico mais pormenorizado e determinar um planeamento de tratamento mais preciso, consideramos a realização de uma tomografia odontológica ou tomografia computorizada, ainda vulgarmente conhecida como TAC. Neste caso, a obtenção das imagens é feita digitalmente, mediante secções ou cortes radiográficos muito finos das estruturas anatómicas, permitindo como resultado que a interpretação do exame possa posteriormente ser feita através de uma visualização tridimensional (3D), com se tratasse de uma ortopantomografia 3d.

Muito utilizada no planeamento médico-dentário, para colocação de implante dentário, cirurgia de dente incluso, extirpação de quisto, apicectomia, entre outros. Nesta vertente, foi desenvolvida uma técnica de tomografia aplicada ou desenvolvida especificamente para o estudo dentário, chamada de “Dental Scan”.

Quanto custa uma radiografia panorâmica?

O valor ou preço médio de uma radiografia panorâmica pode variar consoante a clínica dentária ou laboratório de análises ou centro de exames considerado, tendendo a variar entre os 25 e os 50 euros (preços meramente indicativos). O custo da ortopantomografia pode ser comparticipado pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS) e ADSE, entre muitas outras entidades e companhias de seguros. Os preços do exame variam de acordo com o subsistema em causa.

Veja informação adicional sobre onde fazer a ortopantomografia ou radiografia panorâmica e preços de tratamentos em Portugal, na clínica dentária que recomendamos no seu concelho.

clinica-dentaria.png