Dor de dente na gravidez

Dor de dente na gravidez

Dor de dente na gravidez - o que fazer e tomar?

A dor de dente na gravidez não significa que não possa ou não deva ser tratada, pois o tratamento dentário não prejudica o bebé. Contudo, os potenciais riscos para o feto devido à possibilidade de infeção dentária são de todo objeto a evitar no decorrer da gestação.

Efetivamente, a grávida com dor de dente não deverá nunca irrelevar a dor dentária e evitar recorrer ao Médico Dentista com receio que o tratamento dentário possa prejudicar a gestação. Isso não tem qualquer fundamento, podendo sim verificar-se exatamente o contrário. Ou seja, a causa subjacente à dor de dente durante a gravidez pode significar a presença de uma infeção dentária que eventualmente pode afetar o bebé, podendo mesmo nalguns casos provocar o parto prematuro.

O remédio para dor de dente durante a gestação permite no mínimo reduzir ou aliviar a dor. Contudo, os analgésicos como o paracetamol, que é um dos mais utilizados, apenas promovem um alívio dos sintomas, não conseguindo tratar a causa subjacente. Veja mais informação em medicação e tratamento das dores de dentes durante a gravidez.

A dor de dentes é um sintoma indicativo de que existe algum problema e como tal deverá ser sempre levado em consideração.

Perante uma dor de dente, deve a grávida fazer uma avaliação da situação, independentemente das semanas ou meses de gestação em que se encontre, junto do Médico Dentista.

clinica-dentaria.png

Como aliviar a dor de dente na gravidez

A grávida nunca se deve automedicar sob pena de algumas substâncias poderem prejudicar o bebé. A gestante com dor de dente pode tomar eventualmente paracetamol que é um analgésico, devendo sempre falar com o seu médico previamente. O uso de outros medicamentos, nomeadamente os anti-inflamatórios são contraindicados na gravidez. Também poderá ser necessário tomar um antibiótico, mas apenas e sempre sob indicação médica.

Ainda assim, e enquanto não for possível a ida ao Dentista, poderá também utilizar algum remédio caseiro para dor de dente, como por exemplo o óleo de cravinho ou cravo-da-índia, bochechos com chás, nomeadamente de macela, própolis, folha de batata doce e malva, bochechos com água morna e sal, igualmente, devido às propriedades antisséticas do sal. Estes remédios caseiros podem não ter a eficácia desejada mas poderão ser úteis para acalmar ou atenuar a dor dentária enquanto não recorrer ao Médico Dentista.

Na presença de inchaço ou abcesso, a aplicação de compressas frias ou gelo envolvido num pano para não queimar a pele e aplicar na parte externa da face.

Se a dor for “latejante”, a grávida deve evitar a posição deitada, ou seja, convém manter a cabeça mais elevada para diminuir a pressão sanguínea na área afetada, o que é bom para o alívio da dor.

Para saber tudo sobre o remédio para dor de dente, siga este link.

Causas de dor de dentes na grávida

Na grávida, como nos outros casos a principal causa para a dor nos dentes é a cárie dentária. O dente cariado pode provocar uma dor que pode ir de ligeira a muito forte, podendo até em alguns casos ser insuportável, conforme a gravidade da lesão cariosa. Essa dor de dente intensa nem sempre passa com recurso à medicação, obrigando a gestante a recorrer ao Médico Dentista.

Outras das causas frequentes de dor dentária na gravidez é a chamada sensibilidade dentária, que habitualmente ocorre em resposta a um estímulo frio, como por exemplo a ingestão de bebidas frias ou ao inspirar o ar mais frio. A sensibilidade pode também ocorrer através de estímulos químicos (comer alimentos ácidos e doces) e com a escovagem dos dentes.

Não se pode dizer que sentir dor de dente na gravidez é normal, contudo convém referir que durante a gravidez, principalmente no 3º trimestre, é frequente verificar-se uma maior inflamação gengival (gengivite gravídica), com eventual dor, vermelhidão e sangramento das gengivas ao escovar os dentes, ou mesmo espontaneamente. Isso deve-se às alterações hormonais próprias da gravidez, nomeadamente o aumento da progesterona que vai aumentar a vascularização gengival, tornando-a mais suscetível a esses problemas.

Por este motivo, aconselha-se a grávida a aumentar ainda mais os cuidados de higiene oral, de modo a minimizar os incómodos, e recorrer ao Médico Dentista não só quando tiver dor, mas também por rotina ou despiste de cárie.

Para além das causas atrás enunciadas, outras podem estar relacionadas com a dor de dentes.

Se quer saber tudo sobre as causas de dor de dente, siga este link.

Tratamento dentário na grávida

Perante uma dor de dentes na gravidez, o tratamento deve ser efetuado de acordo com a causa subjacente. Os medicamentos como o paracetamol permitem aliviar ou amenizar os sintomas mas não permitem resolver o problema. Para curar de forma definitiva a causa subjacente à dor de dentes é necessário que seja efetuado o diagnóstico e posteriormente tratar o problema.

O tratamento na gravidez pode e deve ser efetuado pelo Médico Dentista com toda a segurança, pelo que a dilema, por parte da grávida, se deve tratar ou não tratar não faz qualquer sentido.

Como vimos, a principal causa para as dores de dentes é a cárie dentária. A cárie dentária tem cura e o tratamento é cirúrgico, necessitando para tal que a grávida recorra ao Médico Dentista de modo a tratar o dente cariado

Saiba, aqui, tudo sobre o tratamento da cárie dentária.

A grávida pode extrair ou “arrancar” um dente, fazer destartarizações (limpeza), restaurar os dentes ou fazer desvitalizações, entre outros tratamentos, e mesmo que seja necessário efetuar um Raio x (RX) periapical é utilizado um avental de chumbo que protege tanto a grávida como o bebé.

Se quer conhecer os principais problemas dentários e tratamentos, siga este link.

Dor de dente na amamentação

A dor de dente na amamentação é, muitas vezes, o resultado da não realização de tratamento dentário durante a gravidez.

Quanto às causas, sintomas e necessidade de tratamento, a situação não difere das condições já descritas relativamente ao período de gestação.

Em relação à medicação, e caso a mulher esteja a amamentar, os cuidados terão de ser os mesmos, sendo que os anti-inflamatórios continuam contraindicados, pois passam para o bebé através do leite materno.

Caso esteja a ser utilizado apenas leite em pó, ou seja, leite artificial, então já poderão ser considerados outros medicamentos, contudo sempre sob indicação médica.

clinica-dentaria.png