RX abdominal

Fotos de RX abdominal

O que é um RX abdominal?

Uma radiografia abdominal (do abdómen), vulgarmente denominada de raio-X (RX) abdominal ou RX abdominal total, é um meio de diagnóstico médico por imagem que emprega radiação X e que nos permite observar esta região anatómica (abdómen). A imagem é produzida através de um equipamento de Raios X e posteriormente avaliada por um médico radiologista, permitindo distinguir entre aquilo que é considerado normal e patológico (que apresenta doença).

A radiografia abdominal (Rx abdominal simples) é um método diagnóstico com diversas limitações quando comparado com outros exames, contudo, dada a sua facilidade de execução e baixo custo, continua a ser usado frequentemente como exame de primeira linha em diversos contextos clínicos. Veja mais informação em limitações do RX abdominal.

Os estudos radiográficos com contraste podem ser realizados após ingestão oral de contraste (bário, gastrografina, etc.). Atualmente existem poucas indicações para a sua realização, tendo sido substituídos por outras técnicas de imagem, nomeadamente enteroTC e enteroRM.

Indicações do RX do abdómen

As estruturas anatómicas observadas numa radiografia abdominal são os órgãos desta região, nomeadamente, os rins, o fígado, os intestinos, o estômago, a bexiga, entre outros.

A presença de náuseas, vómitos, obstipação (intestino preso), presença de gases, diarreia, massas abdominais, hematúria (sangue na urina), localização de objetos que possam ter sido engolidos, controle da posição de drenos, entre outras, são indicações para a realização do exame.

Como algumas patologias (doenças) em que a radiografia abdominal pode ser usada como método diagnóstico, podemos elencar a Litíase (pedras) do sistema urinário, litíase vesicular, oclusão intestinal, pneumoperitoneu, fecalomas, elevação da cúpula diafragmática, entre outras.

Os exames de raio-X podem ser realizados por qualquer pessoa, todavia, o médico prescritor deve ter um cuidado acrescido no caso das crianças e grávidas ou mulheres que desconfiem de gravidez. Dado que existe exposição a uma radiação ionizante o médico deve ponderar a relação risco / benefício do exame, podendo, ainda, ponderar a realização de outros exames que não usem radiação ionizante, conforme veremos adiante com maior detalhe.

Preparação para RX do abdómen

Não é necessário efetuar qualquer tipo de preparação prévia (antes do exame) para a realização de uma radiografia abdominal. É somente necessário que antes de iniciar o exame o paciente retire o vestuário e restantes objetos passíveis de provocar deformações na imagem (colares, piercings, etc.).

Não é necessário cumprir qualquer tipo de jejum. O paciente pode tomar a medicação habitual.

Quanto tempo demora o exame?

A duração de uma radiografia abdominal varia mediante o número de incidências a executar. Geralmente, os exames constam de duas incidências e o tempo médio para a sua concretização é de sensivelmente 5 a 10 minutos. Após a realização do exame, este terá de ser relatado pelo médico radiologista, sendo este tempo bastante variável e que deve levar em consideração a urgência do exame.

Como se realiza o RX do abdómen?

O doente é posicionado corretamente pelo técnico de radiologia de acordo com a informação clínica. O RX do abdómen é efetuado de pé ou deitado mediante a suspeita clínica.

Podem ser obtidas no mesmo momento do exame mais que uma imagem. Uma incidência corresponde a uma aquisição de uma imagem de um dado ângulo, com determinado objetivo no diagnóstico. A incidência AP em decúbito dorsal, a incidência AP ereto e a incidência em decúbito lateral estão entre as incidências que são realizadas de forma mais frequente.

Após o posicionamento do doente e de acordo com a informação clínica fornecida, o técnico procede à aquisição da imagem (ou imagens), sendo esta obtida pela relação entre os raios emitidos vs recebidos após atravessarem o corpo humano.

Na atualidade, com a radiologia digital, a imagem radiográfica é obtida num computador através da radiologia digital direta ou através da leitura de um ecrã de fósforo (image plate -IP). Estes avanços na tecnologia possibilitam o pós - processamento da imagem, tornando-se obviamente numa mais valia para quem interpreta o RX. A radiologia digital facilita a disponibilização dos exames aos médicos requisitantes, ou seja, permite aos médicos o acesso aos mesmos de uma forma muito mais rápida por via das redes locais ou da Internet, ou através de dispositivos de armazenamento externo (ex. DVD).

Assim que o técnico conclui a aquisição da imagem, procede a uma análise crítica do RX e se a imagem obedecer aos critérios de boa realização imprescindíveis para o diagnóstico, o exame é dado por concluído, sendo arquivado.
Posteriormente, é da responsabilidade do Médico Radiologista a realização da leitura diagnóstica da radiografia que se materializa pela produção de um relatório (escrito). Os resultados do exame são disponibilizados em formato digital e/ou papel, constando da imagem radiográfica e do relatório do exame.

Caso o médico radiologista não observe modificações nos órgãos em estudo, o exame será considerado normal. Se se verificarem alterações o médico radiologista descreve-as, devendo estas serem relacionadas com a clínica, e em alguns casos poderão levar à solicitação de exames adicionais (ver limitações do RX do abdómen).

clinica_imagiologia.png

Limitações do raio-X do abdómen

O raio x é considerado um exame de 1ª linha no que diz respeito à avaliação da anatomia humana e que serve para ajudar o médico no diagnóstico de diversas patologias (doenças), bem como para controlar a evolução de tratamentos. Apesar da sua facilidade de execução e baixo custo, apresenta diversas limitações quando comparado com as demais técnicas imagiológicas, conforme descreveremos de seguida.

A ecografia usa os ultrassons para produzir as imagens, sendo um método bastante acessível e rápido, usado por isso frequentemente na prática clínica. Através da ecografia abdominal ou ecografia abdominal superior são avaliados os principais órgãos anexos do sistema digestivo, que compreendem o fígado, vesícula biliar e o pâncreas. O baço não faz parte do sistema digestivo, mas é também avaliado neste exame. Quando é necessário avaliar a região inferior do abdómen realiza-se ecografia pélvica. Neste caso, os principais órgãos avaliados compreendem a bexiga e os órgãos do aparelho ginecológico (útero e ovários) na mulher, e a próstata e vesículas seminais no homem. Ainda que os rins também se encontrem na parte superior do abdómen é necessário, contudo, geralmente, um pedido próprio de ecografia renal para a sua avaliação.

Saiba, aqui, tudo sobre ecografia abdominal.

Sempre que os estudos anteriores se mostrem inconclusivos, podemos recorrer à tomografia computorizada (TC) abdominal (do abdómen). A TC ou TAC abdominal é um exame de diagnóstico, muito relevante na avaliação de diferentes patologias (ou doenças) do fígado, vesícula biliar, pâncreas, rins, glândulas supra-renais, baço, retroperitoneu, intestino delgado, cólon, entre outros órgãos.

Saiba, aqui, tudo sobre TC abdominal.

A ressonância magnética (RM) concebe imagens de alta definição do corpo humano (neste caso do abdómen) que possibilitam a análise por parte de um Médico Radiologista.

A ressonância magnética abdominal está aconselhada em amplos contextos clínicos, designadamente na avaliação adicional de lesões hepáticas inespecíficas na ecografia abdominal (ultrassonografia) ou na tomografia computorizada abdominal, adenomiose, avaliação de fístulas, abcessos ou estenoses em indivíduos com doença de Crohn, avaliação pré-operatória de fístulas ou abcessos perianais, e avaliação complementar a TC de lesões renais ou na glândula supra-renal, entre outras.

Saiba, aqui, tudo sobre RM abdominal.

Para além da ecografia, TAC e RM, outros exames podem ser essenciais para complementar a análise imagiológica. Veja mais informação em exames de imagiologia.

Quanto custa uma radiografia?

Geralmente, as radiografias do abdómen são um exame mais barato quando equiparadas com as demais técnicas imagiológicas.

Para os utentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS) os exames de RX do abdómen são comparticipados pelo estado, cabendo ao utente apenas o pagamento de uma taxa moderadora. O valor da taxa moderadora é firmado em portaria e tipicamente oscilam entre alguns cêntimos a poucos euros, de acordo com o número de incidências a executar. Caso o exame seja realizado a título particular, o preço do RX abdominal é determinado pela clínica de radiologia que o executa.

Selecione o seu concelho para saber onde pode fazer o Raio X abdominal e obter mais indicações de preços dos exames em Portugal.

clinica_imagiologia.png