Dor no punho

Dor no pulso

O que é dor no punho?

O punho (ou popularmente “pulso”) é uma articulação complexa composta por um arranjo de pequenos ossos, ligamentos e tendões que unem o antebraço à mão. A normal função do punho resulta do funcionamento harmonioso e sincronizado destas estruturas, conferindo-lhe mobilidade e estabilidade, o que permite a globalidade de funções da mão, desde o controlo motor fino, em atividades como escrever ou tocar instrumentos, até atividades que envolvem uma preensão forte como martelar ou carregar objetos pesados.

A dor no punho ou “pulso” é um sintoma que resulta da lesão ou disfunção de qualquer um destes elementos e que pode afetar a capacidade de utilizar o punho e a mão. A dor tanto pode afetar o punho esquerdo, como o direito ou mesmo ambos os punhos, dependendo da etiologia da lesão, sendo mais frequente em indivíduos cujas profissões exigem atividades repetitivas e em desportistas.

Devido à complexidade desta articulação, a dor pode ser originada por diversas causas, tais como entorses ou fraturas, na sequência de episódios traumáticos, ou pode resultar de stresses repetitivos, artrose ou doenças nervosas periféricas, conforme discutiremos de seguida com maior detalhe.

Causas para a dor no punho

As principais causas para a dor no punho são as que a seguir descrevemos.

1. Lesão traumática

A dor no punho pode resultar de um traumatismo ou queda sobre o braço ou mão, que pode dar origem a entorses ou fraturas a nível do punho. Nestes casos, a dor geralmente está associada a edema (“inchaço) e hematoma local.

2. Stress repetitivo

Qualquer atividade que envolva movimentos repetitivos do punho pode causar lesões como inflamação ou fraturas de stress a nível do punho. Esta situação é particularmente frequente em determinadas profissões que envolvem atividades repetitivas, e em alguns desportos como andar de bicicleta ou no caso dos tenistas.

3. Síndrome do túnel cárpico

O síndrome do canal cárpico é uma causa frequente de mão dormente e ocorre quando o nervo mediano, responsável pela sensibilidade da mão, se torna apertado no seu canal a nível do punho. Esta patologia, geralmente, causa dor na mão e dedos, dormência e fraqueza na mão.

Fatores de risco para o desenvolvimento de síndrome do túnel cárpico inclui obesidade, diabetes, artrose, gravidez. Esta patologia está também relacionada com a realização de movimentos repetitivos ou uso de equipamento que causam vibração a nível da mão e do punho.

Saiba, aqui, tudo sobre a síndrome do canal cárpico.

4. Quisto sinovial

O cisto sinovial ou quisto sinovial é o tumor mais frequente da mão. Trata-se de um tumor benigno, preenchido por um conteúdo mucoso (mucina) e que geralmente está conectado à cápsula da articulação sinovial ou à bainha sinovial do tendão adjacente.

Podem ser dolorosos ou não, aumentar ou diminuir com o tempo ou em relação com a atividade.

Saiba, aqui, tudo sobre cisto sinovial.

5. Tenossinovite

A tendinite do punho, também chamada de tenossinovite, é um problema frequente caracterizado pela irritação e inflamação dos tendões a nível do punho. A tenossinovite do punho pode afetar um ou mais tendões. Frequentemente, este tipo de lesão ocorre em pontos onde os tendões se cruzam, passam através de proeminências ósseas ou atravessam túneis osteoligamentares. Estes são sítios possíveis de irritação dos mesmos que pode levar a desconforto ou dor a nível do punho.

Uma das tenossinovites mais frequentes a nível do punho é a chamada tenossinovite de De Quervain e ocorre a nível dos tendões do lado radial, externo ou lateral do punho que apresentam edema (“inchaço”) decorrente de inflamação, causando dor e fraqueza a nível do punho, antebraço e polegar.

Saiba, aqui, tudo sobre tenossinovite de De Quervain.

6. Lesão da fibrocartilagem triangular

A fibrocartilagem triangular está localizada no lado cubital (face interna) do punho. Ela funciona como amortecedor e suporte para os pequenos ossos. A cartilagem pode desgastar-se ao longo do tempo ou romper, como consequência de uma lesão traumática, sendo causa de dor no punho.

7. Osteoartrose

Este tipo de lesão ocorre quando há deterioração da cartilagem que reveste os ossos da articulação do punho, levando à dor e limitação da mobilidade articular. É uma situação rara a nível do punho, de instalação progressiva e que geralmente atinge indivíduos de meia idade ou mais velhos, com história familiar desta patologia ou que sofreram lesões do punho no passado.

8. Artrite reumatóide

A artrite reumatóide é uma patologia auto-imune que cursa com dor, edema e inflamação das articulações, causando frequentemente dor no punho e na mão e podendo também conduzir a sensação de dormência dos dedos e mãos.

9. Doença de Kienbock

A doença de Kienbock é uma doença onde o aporte sanguíneo para um dos pequenos ossos do punho, o semilunar, é interrompido. Uma vez que o osso é um tecido vivo requer um suprimento sanguíneo adequado. Se este falha, o osso pode morrer, situação que se designa de osteonecrose. Este tipo de lesão resulta num punho doloroso e rígido que, ao longo do tempo, pode levar a osteoartrose.

10. Outras causas para a dor no punho

Para além das patologias atrás enumeradas, podem existir outras doenças causadoras da dor no punho. Entre as causas menos frequentes para a dor no punho, podemos enumerar:

  • Síndrome do canal de Gyuon;
  • Gota;
  • Lupus;
  • Tumores benignos dos ossos ou partes moles;
  • Tumores malignos.

O diagnóstico da causa exata das dores no punho pode ser difícil, mas é fundamental para um tratamento adequado, conforme discutiremos de seguida.

Diagnóstico da dor no punho

Os sintomas podem variar dependendo da causa. Pode haver dor, de intensidade e localização variável. Esta pode ser localizada a nível do punho ou irradiar para o braço e para a mão. Pode surgir em repouso ou com os movimentos.

Além da dor, outros sintomas podem desenvolver-se. Os sintomas decorrentes de um episódio traumático podem incluir edema (“inchaço”), equimose e limitação da mobilidade. A dormência e a perda de força, são sintomas que frequentemente surgem também quando a dor se deve ao síndrome do túnel cárpico.

A rigidez articular, dificuldade em manusear objetos ou crepitação articular também são sintomas que podem acompanhar a dor no punho em determinadas patologias.

É importante a realização de um exame clínico atento e completo para avaliação das hipóteses diagnósticas e orientação do tipo de exames auxiliares de diagnóstico indicados para cada caso.

A radiografia (Rx) é um exame fundamental na avaliação da integridade das estruturas osteoarticulares.

Saiba, aqui, o que é RX do punho.

A ecografia também pode ser útil sobretudo na avaliação das partes moles a nível do punho, tais como tendões e elementos capsuloligamentares.

Saiba, aqui, o que é ecografia.

Frequentemente pode haver necessidade de realização de outros exames que permitem obter uma informação mais detalhada como a Tomografia Computorizada (TC ou TAC), a Ressonância Magnética (RM), a artro-ressonância ou a artroscopia do punho.

Saiba, aqui, o que é TC.

Saiba, aqui, o que é RM.

É importante procurar um médico quando a dor no punho é consequência de um episódio traumático ou persiste e interfere com as atividades da vida diária, coexiste dormência ou alteração da sensibilidade dos dedos e da mão, limitação dos movimentos da mão e do punho ou diminuição da força da mão.

Tratamento da dor do punho

O tratamento da dor no punho depende da causa da dor e da sua gravidade (ver causas para a dor no punho). O plano terapêutico deve ser orientado por um médico especialista e que esteja familiarizado com esta área anatómica.

A gravidade das lesões é muito variável. Algumas lesões são simples e de prognóstico favorável, podendo necessitar apenas de repouso e analgesia para acelerar a sua recuperação. Outras, por seu lado, podem ser mais graves, necessitando de um acompanhamento e aconselhamento especializado para o seu tratamento, podendo envolver terapêuticas mais agressivas.

Numa fase inicial, e na presença de dor moderada a intensa, o repouso, a administração de medicamentos (ou remédios) como analgésicos (ex. paracetamol) e antinflamatórios (ex. ibuprofeno) e a aplicação de gelo podem permitir aliviar a dor e reduzir a inflamação. Em alguns casos poderá ser útil o uso de ortóteses imobilizadoras ou talas para minimizar os movimentos do punho, promovendo a cicatrização ou reduzindo a inflamação das estruturas afetadas. A fisioterapia também pode contribuir para a melhoria dos sintomas.

Em alguns casos, pode haver necessidade de realizar infiltrações locais com antinflamatórios potentes, para eliminar ou reduzir a dor e a inflamação.

O tratamento cirúrgico (cirurgia ou operação) para tratar a dor no punho pode estar indicado nos casos em que há falência do tratamento conservador. Nos últimos anos, a evolução nas técnicas cirúrgicas no tratamento da patologia do punho têm permitido a realização de um número crescente de procedimentos, cada vez menos invasivos e permitindo uma recuperação mais rápida e mais completa. Veja mais informação sobre procedimentos cirúrgicos em cada uma das causas associadas à dor no punho.

Prevenção da dor do punho

A adoção de medidas preventivas pode evitar o agravamento ou mesmo o desenvolvimento de problemas a nível do punho. Estas incluem o uso de equipamento de proteção em desportos de alto risco como snowboard ou futebol, a utilização de teclados ergonómicos ou almofadas de gel ou esponja e a manutenção do punho em posição neutra quando se trabalha no computador por longos períodos.

medico_ortopedia.png