Dor no calcanhar

Dor no calcanhar

Causas de dor no calcanhar

A dor no calcanhar pode ser devida à fascite plantar (inflamação da fáscia plantar), ao esporão do calcâneo, fratura de stress do calcâneo, entorse do tornozelo, doença de Sever, entre outras patologias, como veremos adiante com maior detalhe. Quando ocorre dor, significa que existe algum problema que está a provocar a sintomatologia. No entanto, em alguns casos, a origem das queixas pode estar associada apenas ao esforço físico intenso e que resolve apenas com repouso.

A fascite plantar é a principal causa de dor no calcanhar nos adultos e a doença de Sever a principal causa da sintomatologia nas crianças.

De seguida, mostramos-lhe as principais patologias (doenças) frequentemente associadas à dor no calcanhar e os seus principais sinais e sintomas.

Fascite plantar

A fascite plantar (inflamação da fáscia plantar) é a principal causa de dor no calcanhar. Geralmente, a dor possui um início insidioso e é sentida ao colocar o pé no chão para caminhar (“ao pisar”), sendo mais frequente “ao acordar”, ou seja, ao levantar da cama de manhã e quando coloca o pé no chão para dar os primeiros passos. A dor tende a diminuir após os primeiros passos.

A fáscia plantar é um tecido espesso e fibroso que se estende ao longo da base do osso do calcâneo (osso do calcanhar) por toda a “planta do pé” (desde o calcanhar até às pontas dos dedos). Veja imagens.

Existem alguns fatores de risco que facilitam o desenvolvimento desta doença. Entre outros, destacamos os seguintes:

  • Faixa etária - é mais frequente entre os 40 e os 60 anos de idade. Com o passar dos anos, a fáscia plantar vai perdendo a sua capacidade elástica e também diminui a gordura protetora plantar;
  • Pé cavo - por ser mais rígido e menos eficiente na absorção de impactos, podendo ocasionar encurtamento da fáscia;
  • Pé chato - também há um défice na absorção de impactos e isso pode gerar um contínuo estiramento da fáscia plantar;
  • Obesidade (excesso de peso) - existe uma sobrecarga tanto óssea quanto muscular. Cerca de 20% dos homens com mais de 100 Kg sofrem de dores nos pés;
  • Uso de calçado inadequado - por exemplo solas muito planas, gastas, rígidas que não dão o suporte e os amortecimentos dos choques adequado;
  • Atividade física - repetitiva e de alta intensidade, principalmente em desportos de contacto, como corrida, saltar, dançar, ballet, futsal, basquetebol, etc.
  • Permanecer muito tempo em pé – quando as pessoas exercem funções em que precisam ficar muito tempo de pé sem se sentar;
  • Esporão do calcâneo - o esporão do calcâneo é uma saliência óssea que muitas vezes se encontra associada a inflamação da fáscia plantar, como veremos de seguida.

A fascite plantar tem cura, devendo ser tratada de forma correta e atempada sob pena de poder gerar algumas complicações, nomeadamente dor crónica no calcanhar.

Saiba, aqui, tudo sobre fascite plantar.

Esporão do calcâneo

O esporão do calcâneo é uma saliência óssea formada pelo depósito anormal de cálcio, no contexto de microtrauma e inflamação. O calcâneo (osso do calcanhar) é o maior osso do nosso pé. O esporão localiza-se, na maioria dos casos, na parte inferior do pé (“por baixo” do “osso do calcanhar” ou na “sola do pé”)

Na maioria dos casos, o esporão do calcâneo é assintomático (sem sintomas). No entanto, pode provocar muita dor no calcanhar, podendo ser de tal forma intensa que crie dificuldade de mobilidade.

Geralmente, a dor no calcanhar surge porque o esporão do calcâneo se associa a fascite plantar (inflamação da fáscia plantar). Veja mais informação em fascite plantar.

Saiba, aqui, tudo sobre o esporão do calcâneo.

Entorse do tornozelo

O entorse do tornozelo é uma lesão ligamentar muito frequente. Um entorse é uma “torção do pé” ou quando o “pé roda excessivamente para dentro ou para fora” e que provoca um estiramento dos ligamentos e consequente dor e edema (“tornozelo inchado”).

A dor localiza-se mais frequentemente na região onde ocorre o estiramento dos tendões (tornozelo). Embora a dor possa também irradiar um pouco por todo o pé e obviamente para a região do calcanhar.

Na maioria dos casos, as lesões não se revestem de gravidade, não existindo rotura de ligamentos (apenas estiramento) nem necessidade de recorrer a tratamento cirúrgico. No entanto, mesmo nestes casos de menor gravidade é comum sentir dor e edema (“inchaço”). Em alguns casos a dor pode ser muito forte e consequentemente nem sequer conseguir colocar o pé no chão.

Habitualmente, o entorse do tornozelo ocorre com maior frequência nos praticantes de desportos como o futebol que exige movimentos rápidos e nos estremos de amplitude com os pés. No entanto, também pode ocorrer com relativa frequência em situações do dia a dia, quando coloca o “pé mal no chão”, etc..

Tendinite do aquiles

A tendinite do aquiles surge quando o tendão aquiliano fica inflamado, sendo a dor na “parte de trás do pé” um dos principais sintomas. O calcanhar doloroso está inúmeras vezes relacionado com lesões por sobrecarga, especialmente em desportistas.

O uso de calçado impróprio, a diferença dos membros inferiores, problemas na forma como coloca o pé no chão e o excesso de peso são também causas frequentes para o desenvolvimento da tendinite do aquiles.

O tendão de aquiles é também suscetível a outras lesões, nomeadamente a rotura do tendão, originando nesse caso quadros bastante dolorosos e incapacitantes.

Bursite calcaneana

A bursite calcaneana é a inflamação de uma ou mais bursas calcaneanas. A bursa retrocalcaneana (bursite retrocalcaneana ou deformidade de haglund) localiza-se na parte posterior (parte de trás) e inferior do calcanhar, entre o osso e o tendão de aquiles. Veja imagens.

As bursas permitem reduzir o atrito entre os tendões e o osso. Para além disso, permitem distribuir de forma homogénea a carga exercida na articulação.

Um dos principais sintomas na bursite calcaneana é a dor no calcanhar “ao andar” e durante os movimentos do tornozelo (mesmo sem carga). Nos casos mais graves, pressionando a área inflamada, a dor pode ser de tal forma intensa que se pode tornar insuportável.

Doença de Sever

A osteocondrite de Sever ou doença de Sever é uma patologia frequente em idade infantil, habitualmente até aos 15 anos de idade e que provoca dor na região posterior do pé (dor no calcanhar e tendão de aquiles), habitualmente associada ao esforço físico. Após os 15 anos de idade a dor tende a diminuir, ou mesmo desaparecer, pois é nesta idade que, geralmente, termina o processo de maturação óssea do calcâneo (osso do calcanhar).

Entre os fatores de risco para a doença de Sever é de destacar a obesidade (peso a mais), a existência de pé pronado (“pé virado para dentro”), desigualdade no comprimento dos membros inferiores (das pernas), quando ocorre um rápido crescimento dos ossos se comparado com o crescimento dos músculos, entre outros.

Fratura de stress do calcâneo

A fratura de stress do calcâneo é uma das lesões que pode também originar dor no calcanhar.

É uma patologia pouco frequente entre a população em geral. No entanto, em atletas que praticam desportos, como por exemplo atletismo, está entre as lesões mais frequentes no calcâneo. É diagnosticada, com maior frequência, em atletas mais pesados ou que não usam calçado desportivo adequado. Nestes atletas a dor faz-se sentir com maior frequência ao correr, podendo no entanto, também fazer-se sentir depois da corrida e até em repouso.

Disfunção do tendão tibial posterior

A disfunção do tendão tibial posterior afeta principalmente desportistas. Entre estes, os corredores (maratona, marcha, trail, etc) são os mais afetados. Como resultado da disfunção, o tendão não consegue exercer a sua função na elevação da arcada plantar resultando num pé plano.

A disfunção do tendão tibial posterior, caracteriza-se pela queda da arcada plantar e está associada á hiperpronação (“meter o pé para dentro em excesso”) em carga, cursando também com dor referida á face lateral do tornozelo.

Síndrome do túnel társico

O síndrome do túnel társico é uma neuropatia compressiva do nervo tibial posterior.

O túnel do tarso é um canal estreito que se localiza na parte interior do tornozelo. É um canal fibro-ósseo e que tem como função principal proteger no seu interior as artérias, veias, tendões e nervos na sua posição correta.

Quando ocorre compressão deste canal os sintomas são essencialmente sensitivos (alterações da sensibilidade) e dor. Estes sintomas fazem-se notar particularmente durante a noite.

Outras causas

Para além dos motivos atrás apresentados, que estão entre as principais causas para a dor no calcanhar, outras patologias poderão estar na origem da sintomatologia. Por exemplo, as hérnias discais ao nível da coluna lombar devido à compressão das raízes nervosas podem provocar dor referida ao tornozelo. A artrose do tornozelo é outro exemplo de causa para a dor. As fraturas do retropé (calcâneo, astrágalo, entre outros) no contexto de trauma (quedas, acidentes de viação, etc) são outro exemplo.

Doenças sistémicas como artrite psoriática, artrite reumatóide, síndrome de Reiter, sarcoidose, osteomielite (infeção óssea), doença de Paget, entre outras, podem também ser a razão para desencadear as dores no calcanhar.

Para além das patologias atrás mencionadas, outras podem desencadear a sintomatologia.

Conheça, aqui, mais causas para a dor no pé.

Quem afeta mais a dor no calcanhar?

A dor do calcanhar afeta o sexo feminino (mulheres) e masculino (homens) de igual forma e pode ocorrer em qualquer faixa etária. Contudo, a maioria dos casos são registados em pessoas com idade superior a 40 anos.

A dor no calcanhar pode afetar apenas um pé (dor no calcanhar esquerdo ou direito), ou, noutros casos, as dores podem incidir em ambos os pés em simultâneo. Regra geral, a dor num só pé (unilateral) é mais frequente do que nos dois pés juntos.

A dor no calcanhar surge com maior frequência em praticantes de desportos, fundamentalmente os que provocam impacto com o solo, em pessoas que usam calçado inadequado, pessoas com diferença no tamanho dos membros inferiores (pernas), quando existem alterações no tipo de “pisada”, ou seja, quando as forças que os pés devem suportar estão mal distribuídas, etc.

Em crianças a doença de Sever é a patologia que com maior frequência provoca dor no calcanhar.

Diagnóstico na dor no calcanhar

O diagnóstico deve ser feito pelo médico ortopedista (especialista em ortopedia) tendo em conta a história clínica e a avaliação médica. São avaliados os pontos dolorosos, amplitude de movimentos, instabilidade, reflexos, força muscular, sensibilidade, coordenação, equilíbrio, etc..

O médico ortopedista pode socorrer-se de diversos exames, par auxiliar o diagnóstico, a saber: raio x (radiografia), tomografia axial computorizada (TAC), ressonância magnética (RM), estudo analítico (análises), electromiografia, cintigrafia óssea, densitometria óssea, entre outros.

Saiba, de seguida, como tratar a dor no calcanhar.

Tratamento da dor no calcanhar

O tratamento da dor no calcanhar deve ser efetuado de acordo com as causas subjacentes. É muito importante que seja realizado o diagnóstico de forma correta e atempada de modo a poder instituir o tratamento o mais rapidamente possível. Nunca se automedique, sob pena de poder agravar o problema.

O uso de medicamentos (ou remédios) anti-inflamatórios (ibuprofeno, etc.) é indicado para reduzir a inflamação e aliviar a dor no calcanhar nos casos onde existe inflamação (fascite plantar, por exemplo), devendo sempre ser prescritos pelo seu médico. Para além dos anti-inflamatórios e de acordo com as causas subjacentes, muitos outros medicamentos podem ser utilizados para melhorar a sintomatologia. Em alguns casos, o seu médico poderá aconselhar fazer a aplicação de gelo (habitualmente na fase aguda) ou calor (na fase não aguda), bem como a realizar exercícios de recuperação em casa.

O recurso à fisioterapia é em alguns casos aconselhada, devendo o tratamento fisioterapêutico ser instituído após diagnóstico e ser supervisionado pelo seu médico.

O uso de palmilhas (“calcanheiras ou almofadas para o calcanhar”) e outras ortóteses, em determinadas situações, podem ser prescritas para permitir uma boa redistribuição da carga e tornar o amortecimento de choques mais eficaz.

A cirurgia (ou operação) possui indicações definidas. O tratamento cirúrgico é realizado essencialmente quando os tratamentos médicos falham no controlo da dor. A larga maioria dos casos de dor no calcanhar é tratada sem recurso à cirurgia.

Note, uma vez mais, que o diagnóstico e instituição do tratamento atempado são de primordial importância para prevenir a evolução para a dor crónica.

Prevenção da dor no calcanhar

Em caso de obesidade, perder peso é fundamental (alimentação saudável, evitar o sedentarismo, prática regular de exercício físico).

Caso seja praticante regular de algum desporto, deverá fazer alongamentos dos músculos quer antes de praticar exercício físico, quer no fim do treino. Deverá, sempre, adaptar o exercício físico que pratica às suas limitações de saúde, se, porventura, tem excesso de peso, o exercício a praticar mais adequado será aquele que requer menos carga sobre os pés, como por exemplo, natação, andar de bicicleta, etc.

O uso de calçado adequado (sapatos, ténis, etc) com uma boa capacidade para amortecer os choques (solas grossas e maleáveis) é também uma importante medida para prevenir lesões e na redução das queixas. Deve evitar usar calçado com a “sola dura”, calçado apertado ou demasiado gasto, saltos altos, etc.

Veja mais informação sobre prevenção em cada uma das patologias relacionadas com a dor no calcanhar.

medico_ortopedia.png