Olhos inchados

olho inchado

O que é olho inchado?

O edema ocular ou “olho inchado” pode ser devido a uma inflamação nos olhos (olhos inflamados), uma infeção ocular, a lesões oculares ou traumas, a alergias que afetam o olho, entre outras causas menos frequentes. Veja informação detalhada nas doenças relacionadas e perceba o que fazer em termos de tratamento e prevenção para cada patologia quando ocorre tumefação no olho.

O edema ou “inchaço nos olhos” pode afetar as pessoas de ambos os sexos e em qualquer idade e pode ocorrer apenas num olho (olho esquerdo ou direito) ou então ocorrer em ambos os olhos (bilateral). O inchaço pode ocorrer em qualquer altura do dia.

O grau de “inchaço no olho” (se é muito inchado ou pouco inchado) não tem qualquer relação direta com a gravidade da patologia subjacente. Dito de outra forma, uma patologia grave pode não provocar “olhos inchados” ou então o “inchaço” ser pequeno ou diminuto, por outro lado, uma patologia benigna poderá provocar um grande “inchaço” com enorme desconforto para o doente.

Em relação à localização e forma do edema podem existir variações conforme a causa subjacente e de que forma a doença se manifesta. Tanto pode acontecer um “inchaço abaixo dos olhos” ou na parte inferior, como um “olho inchado na parte de cima” ou na parte superior, no “canto do olho”, ou então “ao redor” ou “em volta” dos olhos. Por outro lado pode verificar-se uma tumefação ou “papo” bem definido ou noutros casos ser um “inchaço” mais difuso que afeta toda a superfície dos olhos. Veja mais informação em cada uma das patologias relacionadas e perceba de que forma, habitualmente, se manifesta o “inchaço” em cada situação.

Muitas vezes, não existe nenhuma patologia subjacente e os olhos inchados resultam apenas do esforço acrescido do sistema ocular provocando fadiga ocular ou vista cansada. No caso da fadiga ocular é sentida, muitas vezes, uma “sensação de inchaço nos olhos”, que pode ser solucionada apenas com descanso ou outras medidas adequadas.

Saiba, aqui, tudo sobre olhos cansados.

Sinais e Sintomas

Para além de olhos inchados podem ocorrer outros sinais e sintomas associados dependendo da causa subjacente.

O olho inchado e dolorido pode acontecer em algumas doenças dos olhos, como é o caso do hordéolo ou terçolho, em alguns casos de blefarite, na alergia nos olhos, entre outras patologias. Se ocorre dor nos olhos deve consultar, de imediato, um oftalmologista sob pena de podermos estar perante um problema potencialmente grave, apesar de algumas situações dolorosas serem perfeitamente benignas como é o caso do hordéolo, entre outras.

O olho inchado e vermelho é outra situação muito frequente, normalmente, associada à conjuntivite e às alergias nos olhos, entre outras patologias.

Os olhos inchados são também, muitas vezes, acompanhados de irritação ocular que se faz sentir como uma “comichão nos olhos” ou “ardência nos olhos”. O ardor nos olhos é um sintoma muito frequente nas alergias oculares, entre outras patologias. A irritação ocular provoca uma sensação de “coceira nos olhos” levando, muitas vezes, a que os pacientes erradamente “esfreguem ou cocem os olhos”, tentando aliviar a sensação desagradável de “comichão”. No entanto, se “coçar o olho” estará a agravar o problema. “Coçando o olho” estamos a estimular o aparecimento de substâncias químicas, que elas próprias vão estimular e aumentar a comichão, para além de possível contágio em caso de infeção ocular.

Saiba, aqui, tudo sobre ardência ou ardor nos olhos.

Para além da vermelhidão, dor nos olhos, e irritação nos olhos outros sinais e sintomas podem ocorrer, como a fotofobia (sensibilidade à luz), excesso de produção de lágrimas ou olhos lacrimejantes, visão turva ou “embaçada” (dependendo da extensão do “inchaço”), dor de cabeça, entre outros. Veja mais informação em cada uma das causas para olhos inchados e sintomas relacionados.

Pálpebras inchadas

Muitas vezes, confunde-se olhos inchados com pálpebras inchadas. Uma pálpebra inchada ocorre quando existe inflamação ou excesso de fluídos (edema) nos tecidos circundantes do olho ou “inchaço ao redor dos olhos”.

Existem várias patologias que provocam um “inchaço na pálpebra”, como é o caso do calázio, do hordéolo ou terçolho, entre outras. O “inchaço” tanto pode ocorrer na pálpebra superior como na pálpebra inferior ou, então, pode ocorrer em ambas as pálpebras (superior e inferior em simultâneo). Veja mais informação em cada uma das doenças relacionadas.

Saiba, de seguida, o que causa “inchaço” nos olhos ou pálpebras.

Causas - o que pode ser?

Existem várias causas ou doenças subjacentes ao “inchaço” dos olhos ou pálpebras. Conheça, de seguida, as principais.

Alergias nos olhos

As alergias oculares ocorrem quando o sistema imunológico reage de uma forma “exagerada” a alguma substância estranha, designada por alergénio. Substâncias como pólen, poeira, pelos de animais, produtos de maquilhagem ou cosméticos, alguns colírios e soluções de lentes de contacto são alguns exemplos de alergénios oculares mais frequentes.

Para além do “inchaço nos olhos”, as alergias oculares apresentam como sintomas e sinais desta patologia o olho irritado, prurido (“comichão”), olhos lacrimejantes, ardor, hiperemia da conjuntiva (olho vermelho), quemose, pálpebras com edema ou “pálpebras inchadas” e descamação da pele das pálpebras. A sintomatologia da alergia nasal ocorre frequentemente, em simultâneo, com a das alergias oculares.

As reações alérgicas nos olhos podem ser desenvolvidas por qualquer tipo de pessoa, porém, os doentes que sofrem de asma, rinite alérgica ou alergias de pele apresentam um risco acrescido de desenvolver alergias oculares.

Saiba, aqui, tudo sobre irritação nos olhos e alergias oculares.

Conjuntivite

A conjuntivite caracteriza-se pela inflamação da conjuntiva, cujos sinais e sintomas mais frequentes são a vermelhidão na parte branca dos olhos (olhos vermelhos), o prurido ou "comichão", o lacrimejo, a sensibilidade à luz, entre outros que podem variar de acordo com o tipo de conjuntivite presente. Existem dois tipos de conjuntivite, ou seja, esta pode ser do tipo infecioso (bacteriana, vírica ou viral, fúngica ou protozoária) ou do tipo não infecioso (alérgica, mecânica, química ou por radiação).

Normalmente, a conjuntivite evolui sem complicações, no entanto, em algumas situações elas podem ocorrer. O tratamento da doença depende do tipo de conjuntivite presente.

Saiba, aqui, tudo sobre conjuntivite.

Hordéolo

Um hordéolo também conhecido como “terçolho” ou “terçol no olho” não é mais do que um abcesso palpável, um nódulo ou “inchaço” vermelho ou avermelhado e doloroso que se forma na pálpebra. Este abcesso resulta de um bloqueio de uma ou mais glândulas sebáceas, localizadas no bordo ou espessura das pálpebras. O bloqueio impedindo, naturalmente, a drenagem do líquido contido nas glândulas, dá assim origem ao hordéolo ou terçolho.

Os hordéolos ou terçolhos podem ser externos (hordéolo externo) ou internos (hordéolo interno) mediante a sua localização e as glândulas envolvidas. O hordéolo interno ocorre quando é formado numa das glândulas mais profundas da pálpebra. O hordéolo externo é mais comum do que o hordéolo interno.

Numa fase inicial, os sinais e sintomas do hordéolo podem manifestar-se apenas através do aparecimento de um “inchaço” e vermelhidão na pálpebra. À medida que a doença vai evoluindo, ocorre a formação de um abcesso ou nódulo com hipersensibilidade e dor com pus de cor amarelada, no centro da zona inchada.

Regra geral, apenas uma parte pequena da pálpebra é afetada, todavia em situações mais extremas as pálpebras inflamam-se totalmente (mais difuso).

O olho pode lacrimejar, tornar-se sensível à luz (fotofobia) e provocar prurido e sensação de corpo estranho no olho.

De uma forma semelhante, os sinais e sintomas do hordéolo interno, também causam dor, vermelhidão e inchaço, mas de uma forma mais localizada do que no hordéolo externo. A dor no hordéolo interno é substancialmente mais forte do que no externo.

Em casos em que o hordéolo atinge grandes dimensões, este pode interferir com a visão.

Saiba, aqui, tudo sobre hordéolo ou terçolho.

Calázio

O calázio ou chalázio é um pequeno quisto ou nódulo, cheio de líquido, com cerca de 2 a 8 mm e um aspeto de “inchaço na pálpebra”. Esta patologia tanto se pode desenvolver na pálpebra inferior como na pálpebra superior, ainda que seja mais frequente surgir na superior. O calázio pode afetar apenas um olho ou os dois olhos.

O calázio pode desenvolver-se na face exterior da pálpebra (calázio externo), ou, então, na face interna (calázio interno), podendo ainda crescer sobre a extremidade livre (calázio marginal).

O calázio no olho é uma doença frequente e, nalguns casos, desaparece naturalmente, ou seja, sem que seja necessário efetuar qualquer intervenção. Não se trata de uma doença maligna nem contagiosa. De um modo geral, o calázio não apresenta qualquer perigo e não afeta a visão, uma vez que o nódulo não possui dimensões suficientemente grandes que distorça a superfície ocular e cause redução da acuidade visual. Todavia, em certos casos a visão pode ser afetada quando a tumefação é considerável.

Ainda que, por vezes, o hordéolo e o calázio sejam confundidos, trata-se efetivamente de doenças distintas.

Saiba, aqui, tudo sobre calázio.

Blefarite

A blefarite é uma inflamação crónica e frequente do bordo das pálpebras que pode surgir em qualquer idade e em ambos os sexos. Trata-se de uma doença dos olhos em que para além da inflamação na pálpebra verifica-se também a existência de caspa na base das pestanas, dor nos olhos, olhos inchados e vermelhos ou avermelhados, comichão e ardor nos olhos, olhos lacrimejantes, entre outros.

A blefarite é uma doença que pode afetar ambas as pálpebras, ou seja, a superior e a inferior, sendo que as pessoas com pele oleosa, caspa e olho seco são, efetivamente, mais suscetíveis a esta doença.

A blefarite pode apresentar-se sob várias formas, designadamente, olho seco, conjuntivite, hordéolos, chalázios e em casos mais avançados, triquíase e até úlceras corneanas.

Nas blefarites, a inflamação pode ter três tipos de origem, a saber: infeciosa, tóxica ou alérgica. Pode ainda ser bilateral, simétrica e, normalmente, está associada a alterações secundárias da superfície ocular externa.

Saiba, aqui, tudo sobre blefarite.

Celulite orbitária

Esta é uma infecção bacteriana rara, mas grave de tecidos circundantes do olho, resultando em “inchaço” com dor da pálpebra superior e inferior e, eventualmente, da sobrancelha e bochecha. Outros sintomas incluem olhos “salientes”, diminuição da visão, febre e dor nos olhos ao movê-los (quando olha para os lados, por exemplo).

A celulite orbitária é uma situação grave que deve ser tratada de forma imediata de modo a evitar danos do nervo ótico, perda permanente da visão ou cegueira e outras complicações graves.

Herpes ocular

Transmitida pelo vírus herpes simplex, o herpes ocular é também uma das causas possíveis para o “inchaço” nos olhos.

Os sintomas da herpes ocular podem ser semelhantes aos da conjuntivite, no entanto, podem haver feridas dolorosas na pálpebra, visão turva ou “embaçada” devido a uma córnea opaca e olhos muito inchados que podem ocorrer de forma tão extrema que obstrua a visão.

Saiba, aqui, tudo sobre herpes ocular.

Doença de Graves

A este distúrbio ocular, decorrente de uma tiroide hiperativa (hipertiroidismo), muitas vezes, estão associadas pálpebras inchadas e olhos salientes, bem como visão dupla (diplopia) e retração palpebral. Se apresentar algum destes sintomas, consulte o seu oftalmologista, o mais rapidamente possível, para efetuar um diagnóstico e tratamento adequados.

Lesões oculares

Qualquer trauma na área dos olhos, incluindo uma contusão palpebral (comumente conhecido como um “olho negro”) pode provocar inflamação e “inchaço nos olhos”.

Existem muitos casos em que os traumas ou lesões oculares são perfeitamente inócuos e não causam qualquer dano nos olhos. Contudo, outros casos existem em que os traumas podem acarretar graves consequências para a visão. Na dúvida, consulte, de imediato, um médico oftalmologista sob pena de poderem ocorrer danos irreversíveis na visão.

Outras doenças dos olhos

Para além das causas anteriormente apresentadas, muitas outras doenças dos olhos podem estar relacionadas com o edema ou inchaço no globo ocular.

Saiba, aqui, tudo sobre as principais doenças dos olhos.

Outras causas

Para além das doenças dos olhos apresentadas, outras patologias que nada têm a ver com os olhos, podem provocar retenção de líquidos e consequente “inchaço nos olhos” bem como noutras partes do corpo. A título de exemplo, alguns problemas nos rins podem provocar também olhos inchados.

Os “olhos inchados de chorar” ou “olhos de choro” são uma situação normal e consequência da produção de lágrimas emocionais que são produzidas em resposta a uma emoção forte. Com lágrimas emocionais, as glândulas lacrimais produzem um fluxo contínuo de lágrimas aquosas. Os finos tecidos ao redor dos olhos absorvem parte das lágrimas, fazendo com que os olhos fiquem temporariamente “inchados”. Além disso, o sistema nervoso autónomo responde a uma emoção forte, tal como o desejo de choro, aumentando o fluxo de sangue para o rosto, contribuindo ainda mais para o aparecimento de “olhos inchados”. Trata-se de uma situação perfeitamente normal e sem qualquer necessidade de intervenção. Em alguns casos pode tomar medidas para diminuir ou reduzir ou “tirar o inchaço dos olhos”, aplicando compressas de água fria sob os olhos fechados depois de chorar.

A ocorrência de “olhos inchados ao acordar” pode ser devida a problemas cardíacos por retenção de líquidos. Contudo, habitualmente, acordar com “olhos inchados” é uma situação perfeitamente normal e que não requer qualquer tipo de procedimento, pois os olhos “desincham” sem qualquer tipo de intervenção.

Falta de cuidado no manuseamento das lentes de contacto - como o uso de lentes sujas, nadar com as lentes de contacto ou armazenar as lentes de forma inadequada pode causar infeção nos olhos. O uso de lentes danificadas também pode irritar os olhos e causar o “inchaço” das pálpebras.

Saiba, de seguida, como tratar o edema nos olhos.

Tratamento - o que fazer?

O tratamento dos olhos ou pálpebras inchadas depende, naturalmente, da causa subjacente.

Por exemplo, se os olhos estão inchados devido a alergias oculares, colírios anti-histamínicos ou remédios sistémicos, bem como “lubrificantes” ou lágrimas artificiais vão ajudar a aliviar os sintomas. Noutros casos, como na conjuntivite ou herpes ocular, podem ser prescritos antibióticos, anti-inflamatórios, etc (em colírios ou pomadas oftálmicas).

Em qualquer caso não se auto-medique e consulte o seu médico oftalmologista, pois a utilização de determinados medicamentos sem prescrição médica pode agravar o problema.

Em alguns casos, pode em casa efetuar alguns procedimentos simples, uma espécie de tratamento natural ou remédio caseiro para ajudar a aliviar a sintomatologia e “tirar ou acabar com inchaço” ou “desinchar os olhos”.

Em primeiro lugar, não esfregue ou “coce” os olhos, pois isso só irá agravar o problema. Se usa lentes de contacto, remova-as até que se resolva o problema. Aplicando uma compressa fria, por vezes, pode reduzir o inchaço das pálpebras, contudo em algumas doenças dos olhos não se deve aplicar compressas frias sob pena de agravar o problema. Em determinadas patologias como por exemplo no hordéolo, no calázio, etc, pode, de igual modo, efetuar alguns tratamentos caseiros. Veja mais informação em cada uma das doenças relacionadas.

Em termos de prevenção, deixamos-lhe algumas recomendações, a saber:

  • Consulte o médico oftalmologista, fundamentalmente se apresenta algum dos sinais e sintomas atrás mencionados;
  • Faça os testes das alergias se apresenta pálpebras inchadas e outros sintomas com ocorrência regular. Ao saber ao que é alérgico, pode tentar evitar alérgenos específicos ou, pelo menos, estar atento à sua exposição. Escolha maquilhagem e outros produtos de beleza que são hipoalergénicos;
  • Procure colírios sem conservantes, pois algumas pessoas são alérgicas a estes conservantes;
  • Se usar lentes de contacto, pode minimizar o risco de infeção ocular ou irritação, praticando técnicas de higiene adequadas, incluindo a substituição frequente das suas lentes de contacto.

Saiba mais sobre formas de prevenção em cada uma das doenças relacionadas.

Oftalmologista

Se procura um oftalmologista em Portugal, siga este link.