Ciclo menstrual irregular

Menstruação desregulada

Irregularidades do ciclo menstrual

As irregularidades do ciclo menstrual são causa de grande preocupação. As queixas das alterações menstruais chegam a representar 30% das visitas ao ginecologista, chegando a 70% das visitas de mulheres em peri-menopausa.

O ciclo menstrual pode ser irregular por vários motivos, e cada doença / problema pode resultar na mesma situação visível (irregularidade menstrual) mas ter significado, abordagem e tratamento muito distintos. A falha ou atraso menstrual acontece também na gravidez, sendo que é motivo de suspeita em idade fértil. Esta é, aliás, uma das primeiras preocupações da mulher: saber se está grávida.

Saiba, aqui, tudo sobre primeiros sintomas da gravidez.

Hemorragia uterina anormal é o termo adotado para classificar o conjunto de sinais e sintomas que caracterizam alterações do fluxo menstrual. Pode ser uma hemorragia em maior quantidade, fora da altura da menstruação ou menstruações mais ou menos frequentes que os 21-35 dias. As causas para uma hemorragia uterina anormal são variadas, podendo incluir pólipos endometriais, fibromas (leiomiomas – miomas uterinos), irregularidades na ovulação, contraceção hormonal (pílula) ou a sua má utilização, ou outras doenças menos frequentes. Veja mais informação em causas para a irregularidade do ciclo menstrual.

O que é o ciclo menstrual?

O período menstrual ou ciclo menstrual é o intervalo de tempo desde o início de uma menstruação (ou cataménio) até à menstruação seguinte. Habitualmente distinguimos duas fases do ciclo (folicular e lútea), separadas pela ovulação.

Saiba, aqui, o que é ciclo menstrual.

A menstruação é o resultado da descamação do interior do útero, sendo constituído por sangue e células endometriais.

Período menstrual normal

Habitualmente, o ciclo menstrual nas mulheres adultas saudáveis varia entre 21 e 35 dias, sendo que a média é de 28 dias. As mulheres na faixa etária entre os 25 e 35 anos situam-se mais frequentemente no intervalo 28 - 35 dias. No caso das adolescentes, o ciclo menstrual pode variar entre 21 e 45 dias.

Um ciclo regular tem uma variação inferior a 7 - 9 dias (cerca de uma semana de ciclo para ciclo).

Saiba, aqui, tudo sobre ciclo menstrual.

Amenorreia

Amenorreia é a ausência de menstruação. É normal na gravidez, na amamentação e na menopausa. Fora destas alturas merece estudo. É por este motivo, numa mulher em idade fértil e sexualmente ativa, razão para um teste de gravidez como abordagem inicial, independentemente do método anticoncetivo usado.

Amenorreia primária é quando a menstruação ainda não ocorreu na jovem com 14 anos sem desenvolvimento sexual normal (mamas, por exemplo) ou 16 anos independentemente do restante desenvolvimento. Amenorreia secundária é quando a menstruação cessa pelo equivalente a 3 ciclos ou 6 meses, em mulheres que tenham tido já menarca (início da menstruação).

Causas de irregularidade menstrual

A irregularidade menstrual pode ter várias causas, dais quais podemos salientar imaturidade hormonal, falência/insuficiência ovárica (por exemplo na menopausa ou peri menopausa), alterações da ovulação (que podem ser esporádicas ou recorrentes), medicação, alterações anatómicas uterinas (como miomas).

Imaturidade nas adolescentes

Os ciclos menstruais são normalmente irregulares algum tempo após a primeira menstruação, o que pode chegar a 2 ou 3 anos. A hemorragia anormal pode ter muito ou pouco fluxo. A imaturidade do complexo sistema que regula o ciclo é a principal causa. Deve, por isso, existir algum cuidado na sobremedicação, frequente nestes casos. Deve ser bem pesado o risco e benefício de intervenções nestas idades. Posto isto, em determinadas situações e depois do estudo preliminar, é necessário tratamento, habitualmente com uma pílula, adequada à idade da jovem.

Ciclos irregulares na peri-menopausa ou climatério

A diminuição da função e reserva ovárica leva a desequilíbrios hormonais e a uma disrupção da normal fisiologia do ciclo menstrual (ver ciclo menstrual).

Com o aumento da idade da mulher, patologias benignas frequentes como leiomiomas e/ou pólipos, podem também contribuir para um aumento do fluxo menstrual ou perdas irregulares.

Alterações da ovulação

A ausência de ovulação pode determinar problemas com a menstruação, nomeadamente ciclos muito longos, menstruações abundantes, ausência de menstruação, etc. Esta é uma das razões pelas quais mulheres perto da menarca (início da menstruação) ou menopausa têm mais queixas deste tipo: o funcionamento diminuído dos ovários leva a maior percentagem de ciclos anovulatórios (sem ovulação).

As alterações da ovulação, ou ausência desta, nem sempre estão relacionadas com perda da capacidade dos ovários produzirem ovócitos. Pode estar relacionada com doenças ou estados fisiológicos, como, por exemplo, a Síndrome do Ovário Poliquístico.

Saiba, aqui, o que é a Síndrome do Ovário Poliquístico

Alterações anatómicas uterinas

Pólipos e miomas (leiomiomas) são exemplos de patologias benignas que podem originar perdas hemáticas irregulares ou aumentadas.

O tratamento nestes casos depende da patologia, da probabilidade de esta causar os sintomas e da gravidade dos mesmos. De uma forma geral, a abordagem dos pólipos endometriais é cirúrgica, conseguindo-se remover a maioria por histeroscopia (cirurgia minimamente invasiva que não deixa cicatrizes externas). A abordagem dos miomas depende também ainda da sua localização na parede (músculo) uterina, mas a sua abordagem é mais conservadora. Isto é, devem ser tentadas outras soluções, para além da cirurgia, deixando esta opção, especialmente se envolver retirar o útero (histerectomia) para o caso de falha dos outros tratamentos. Os miomas são formações muito frequentes e não precisam, de uma forma geral, de vigilância especial, nem devem ser motivo de preocupação se não causarem sintomas.

Contraceção hormonal

Dado que uma mulher a tomar a pílula não tem um verdadeiro ciclo menstrual, mas sim uma hemorragia sempre que para de tomar hormonas (intervalo de pílula ou comprimidos de outra cor), a hemorragia pode ser não programada se houver esquecimentos. Uma pílula que falhou o seu propósito (por esquecimento, por exemplo) e que permitiu uma ovulação pode também levar a uma hemorragia irregular, que resolve se os esquecimentos não se repetirem.

Algumas pílulas e sistema intrauterinos têm a característica de se associarem a muito pouca ou nenhuma perda de sangue, e quase todas as pílulas podem ser tomadas sem intervalo, o que leva habitualmente a ausência de menstruação.

Medicação

Alguns medicamentos (ou remédios) têm efeitos secundários que se refletem também em alterações menstruais. Exemplos são alguns antidepressivos e antipsicóticos (estes podem também causar galactorreia – secreção nos mamilos sem gravidez).

Conclusão / Como tratar

Como vemos, a irregularidade menstrual não é uma doença em si, mas uma manifestação de um conjunto de doenças/estados bem diferentes entre si. Por este motivo, uma boa história clínica, exame físico e uso criterioso de exames complementares de diagnóstico poderão ajudar o seu médico a encontrar a causa da irregularidade menstrual e, idealmente, tratar a raiz do problema.

ginecologia.png