Amniocentese

Fotos de amniocentese

O que é amniocentese?

A amniocentese é um exame invasivo que consiste na colheita de líquido amniótico (líquido que se encontra à volta do feto). Para tal, é usada uma agulha fina que é introduzida através da parede abdominal e do útero. É realizada sob visualização direta, por ecografia, da progressão da agulha, por forma a não atingir o feto.

Ao fim de alguns dias, o líquido retirado é refeito através da produção de novo líquido pelo próprio feto.

O líquido amniótico contém células do bebé. As células retiradas permitirão após algum tempo de cultura, o estudo do cariótipo fetal (teste genético que estuda os cromossomas do feto).

Quem deve fazer a amniocentese?

A indicação mais comum para a amniocentese é o diagnóstico citogenético (cariótipo fetal entre outros) de anomalias dos cromossomas fetais.

Antigamente, todas as mulheres grávidas a partir de 35 anos de idade eram aconselhadas a realizar a amniocentese pois à medida que a idade da mãe avança aumenta a probabilidade de alterações cromossómicas do feto.

Atualmente, a idade materna deixou de ser indicação para o exame e esta baseia-se no resultado dos diversos rastreios, indicando risco aumentado de aneuploidias.

Destes rastreios, o mais importante é o rastreio combinado de cromossomopatias do 1º trimestre que se baseia nos marcadores ecográficos, rastreio bioquímico e idade materna.

Saiba, aqui, o que é ecografia obstétrica.

Outra indicação importante é quando existem malformações fetais que se diagnosticam através de achados ecográficos e que podem estar ligadas a anomalias genéticas.

O estudo do atingimento fetal em certas doenças hereditárias (anomalias de genes isolados com mutações conhecidas) é realizado também através da amniocentese. No entanto, esta só pode ser realizada no 2º trimestre e a obtenção de material é menor do que a obtida pela biópsia das vilosidades coriónicas (ver à frente) que é o método de eleição para este fim.

A amniocentese é cada vez mais usada para o diagnóstico de certas infeções fetais em casos em que é provável ter ocorrido uma infeção materna, de que são exemplos a toxoplasmose, o citomegalovírus (CMV) e a varicela.

Saiba, aqui, tudo sobre toxoplasmose na gravidez.

Outras indicações, mas muito menos frequentes são: a avaliação da maturidade dos pulmões do feto, evacuação de líquido amniótico quando o excesso de líquido amniótico põe em causa a gravidez ou a injeção de soro (quando não existe liquido amniótico) para observar melhor toda a anatomia do feto.

Quando fazer a amniocentese?

A amniocentese deve ser realizada a partir da 16ª semana de gravidez (início do 2º trimestre). Apesar de ser baixo, o principal risco é o aborto e este diminuiu fortemente quando esta é realizada apenas nesta altura da gravidez.

Saiba, aqui, tudo sobre a evolução da gravidez.

Preparação para a amniocentese

Não é necessária nenhuma preparação prévia para realizar a amniocentese e não é preciso estar em jejum.

A grávida deve tomar a sua medicação habitual. A suspensão de qualquer medicamento (ou remédio) deve ser apenas efetuada sob indicação médica.

Como é realizada uma amniocentese?

Antes de realizar a amniocentese, é realizada uma ecografia para determinar o tempo de gravidez, observar a vitalidade do feto, a placenta, a quantidade de líquido amniótico, e escolher o melhor local para realizar o procedimento. Normalmente, é escolhida a zona com mais líquido, que não contenha ansas intestinais da mãe nem partes fetais ou grandes porções da placenta.

A punção é feita em condições de assepsia, sob controle ecográfico e são extraídos cerca de 17 a 20 ml de liquido amniótico.

Como é usada uma agulha muito fina normalmente não é usada anestesia.

Repouso após o exame

A mulher deve ter alguns cuidados até 3 dias após a amniocentese, a saber:

  • evitar esforços físicos violentos (repouso relativo);
  • não ter atividade sexual.

Riscos da amniocentese

A segurança da amniocentese foi estudada cuidadosamente. Trata-se de uma técnica segura, de rápida execução e pouco desconfortável. Apesar da técnica ser simples, a minimização dos riscos de complicações implica que os executantes sejam devidamente treinados.

O risco mais significativo é o aborto, complicação que não ultrapassa 1: 300-500 dos casos (0,3-0,5%) em centros com pessoal muito treinado.

A infeção do líquido amniótico pode acontecer, mas é muito rara.

O que pode sentir durante o exame?

A amniocentese é, por norma, um exame pouco desconfortável e pouco doloroso.

Quanto tempo demora o exame?

A amniocentese é um exame de rápida execução. Em média, demora entre 10 a 15 minutos para realizar o exame. No entanto, o tempo necessário para realizar o exame pode variar em função da posição do feto, da placenta e da quantidade de líquido amniótico.

Após a execução do exame é necessário enviar as células para o laboratório. Veja adiante, como é conhecido o resultado do exame.

O que pode sentir após o exame?

Nos primeiros dias após a realização do exame é normal sentir algum desconforto na barriga, semelhante às dores menstruais, ou verificar perda de líquido muito escassa.

Estes sintomas são relativamente frequentes e não devem ser preocupantes. As dores cedem à medicação com paracetamol e a gravidez evolui sem complicações.

No entanto, deve ir ao serviço de urgência mais próximo ou contactar o seu médico obstetra se:

  • sentir dor abdominal intensa;
  • tiver perda de liquido abundante ou sangue vaginal;
  • tiver febre.

Quando é conhecido o resultado do exame?

O tempo que demora para conhecer os resultados depende do tipo de estudo que se pretende.

Para o estudo do cariótipo fetal, a maior parte dos laboratórios fornece o resultado definitivo em 2 semanas, mas técnicas como a hibridação in situ por fluorescência (FISH) ou PCR (polimerase chain reaction) permitem obter resultados parciais em 2 a 3 dias.

Alternativas da amniocentese

A Biópsia das Vilosidades Coriónicas (BVC) é um método de colheita alternativo à amniocentese. É realizado entre as 11-13 semanas de gravidez em que, sob controle ecográfico é aspirado tecido placentar (em vez de líquido amniótico) destinado à análise genética.

A principal vantagem da BVC sobre a amniocentese é a possibilidade de os resultados poderem ser conhecidos mais cedo e, portanto, quando diagnosticada uma anomalia, permitir uma interrupção da gravidez numa fase mais precoce.

Como já foi mencionado, tem também a vantagem de obter mais material pelo que é o exame de eleição para o estudo de certas doenças hereditárias.

Os riscos são iguais ao da amniocentese. O risco de aborto situa-se entre os 0,3 a 0,5% como na amniocentese.

Quanto custa uma amniocentese?

O preço de uma amniocentese, se realizada a título particular, pode variar de acordo com a clínica de Ginecologia / Obstetrícia que executa o exame. O valor da amniocentese pode também variar conforme o subsistema de saúde do paciente (ex. ADSE, SNS,…).

Obtenha mais informações sobre custos de exames em Portugal e saiba onde fazer a amniocentese, selecionando o seu concelho de residência.

ginecologia.png