Toxoplasmose na gravidez

Toxoplasmose na gravidez

O que é toxoplasmose na gravidez?

A toxoplasmose é uma doença causada pelo Toxoplasma gondii, um parasita intracelular. O ser humano pode ser portador deste parasita sem estar doente. No entanto, ele pode ser causador de doença grave no recém-nascido se este for infectado no útero da mãe (durante a gravidez).

A seroprevalência da infeção é muito variável nas diversas regiões do globo e mesmo dentro de cada país. Portugal é disso um bom exemplo, já que se verifica uma seroprevalência de 35% no sul e de cerca de 70% no norte do país. Não há dados nacionais sobre a incidência da infeção na gravidez, mas estima-se que haja cerca de 11 casos de toxoplasmose congénita por cada 10 000 nascimentos.

Como é transmitida a toxoplasmose?

A espécie humana adquire a infeção através da ingestão dos quistos existentes na carne crua (ou mal cozinhada) de animais infetados ou pelo contacto com oocistos provenientes de gatos infetados, do solo ou da água contaminados.

A doença é contagiosa mas não se transmite de pessoa para pessoa.

A toxoplasmose transmite-se ao bebé?

A toxoplasmose é uma doença benigna (toxoplasmose adquirida) no adulto imunocompetente e normalmente dá origem a um quadro semelhante a uma gripe. Ou seja, em condições normais o nosso sistema imunitário (sistema de defesa do organismo) consegue combater eficazmente a doença.

Contudo, se a toxoplasmose for adquirida no decurso da gravidez (toxoplasmose congénita), então podem suceder consequências graves para o feto.

O período da gravidez em que ocorre a infeção determina a frequência e a gravidade. A transmissão ao feto é baixa no 1º trimestre (10-25%), aumenta no 2º trimestre (30-35%) e é máxima (60-80%) no 3º trimestre. Inversamente, a gravidade da infeção é tanto maior quanto mais precocemente ocorrer na gravidez.

Como saber se sou imune à toxoplasmose?

O seu médico vai solicitar análises ao sangue (serologia da toxolasmose – que são os anticorpos reagente IGM e IGG) na consulta de pré-concepção (consulta que deve realizar antes de engravidar).

Caso se detecte uma infeção passada (toxoplasmose antes da gravidez) a mulher está imune á toxoplasmose (serologia da toxoplasmose - IgG positivo e IgM negativo).

Se nunca teve contacto com o toxoplasma (serologia da toxoplasmose - IgG negativo e IgM negativo) a grávida não está imune à toxoplasmose. Neste caso, a mulher deve efetuar o rastreio serológico em cada trimestre da gravidez e deve tomar cuidados especiais para prevenir a infeção na gravidez, como veremos de seguida.

Toxoplasmose na gravidez (cuidados especiais)

A prevenção consiste em alguns cuidados alimentares e gerais, a saber:

  • Lave bem as mãos com água e sabão após ter mexido na terra, em carne crua ou em vegetais não lavados;
  • Cozinhe bem a carne. A temperatura interna da carne deve atingir os 70ºC;
  • Não prove a carne até estar totalmente cozinhada;
  • Congele preferencialmente a carne vários dias antes de a consumir de forma a reduzir o risco de transmissão da infeção;
  • Lave bem as facas e tábuas de cortar a carne com água e sabão depois de as utilizar;
  • Lave bem ou descasque a fruta e vegetais antes de os comer;
  • Use luvas ao jardinar e lave as mãos quando terminar;
  • Evite o contacto com gatos, sobretudo com as fezes dos gatos pois eles são responsáveis pela transmissão da doença.

O que pode acontecer com o bebé?

De facto, cerca de 1 semana após a infeção, a grávida apresenta parasitémia, durante a qual pode ocorrer envolvimento fetal por migração através da placenta e por entrada do parasita na circulação fetal.

A toxoplasmose na gestação pode levar a aborto espontâneo, morte fetal, parto pré-termo e infeção no feto e recém nascido (toxoplasmose ocular (olhos) e cegueira, neurotoxoplasmose com atraso mental, convulsões, surdez).

Em geral, cerca de 7% dos fetos de mães infetadas são atingidos.

Como posso saber se adquiri a infeção na gravidez?

Como os sinais e sintomas são frequentemente inaparentes, muito semelhantes a uma gripe comum (dores musculares, febre, arrepios, corrimento nasal, etc), o diagnóstico da toxoplasmose na gravidez é feito pelo médico ginecologista (especialista em ginecologia / obstetrícia), através de análises (serologias da toxoplasmose) ao longo da gravidez. Veja mais informação em serologias.

Uma grávida não imune fica infetada quando fica positiva para o anticorpo IGM da toxoplasmose.

O que fazer em caso de infeção da grávida?

A toxoplasmose na gestante não implica necessariamente infeção no feto. Por isso, as grávidas infetadas pelo parasita devem ser tratadas com medicamentos (ou remédios) que ajudam a proteger o bebé da infeção. Ou seja, esta medicação deve ser administrada pelo médico apenas nos casos em que se confirme a infeção da grávida com toxoplasmose e permite ajudar a proteger o bebé da infeção.

Neste caso, é necessária uma vigilância rigorosa da mãe e do feto durante a gravidez (realização regular de ecografias) e do bebé após o parto.

Como posso saber se o meu bebe ficou infetado na gravidez?

O diagnóstico de infeção fetal só é possível de ser realizado após a 16ª semana de gestação e sempre 6 semanas após a data presumível da seroconversão materna, ou seja, após o diagnóstico através das análises. Nesta altura, pode- se realizar uma amniocentese para colheita de líquido amniótico para verificar se este contém o parasita toxoplasma gondii.

Saiba, aqui, o que é amniocentese.

O diagnóstico de infeção fetal pode ainda ser sugerido por achados ecográficos (da ecografia). De realçar que a repetição das ecografias ao longo da gravidez é muito importante, mesmo se o resultado da amniocentese vier negativo.

Saiba, aqui, tudo sobre ecografia obstétrica.

ginecologia.png