Cifose

Cifose

O que é a (hiper)cifose?

A cifose é uma das curvaturas normais da coluna vertebral. Quando esta curvatura é mais acentuada que o normal é designada por hipercifose. Ou seja, a hipercifose é um distúrbio da coluna vertebral caracterizado por uma curva excessiva na região torácica (parte superior das costas). A hipercifose (curvatura acentuada) é popularmente designada por corcunda.

Esta patologia pode ocorrer em qualquer idade e sexo, sendo, no entanto, mais comum desenvolver-se durante a adolescência e terceira idade.

A região torácica da coluna vertebral possui uma ligeira curva natural para ajudar o pescoço a suportar o peso da cabeça. A hipercifose ocorre quando este arco natural é maior do que o normal. Esta curvatura acentuada pode também ocorrer na região lombar (parte inferior das costas), sendo neste caso designada por hiperlordose.

Na maioria dos casos, a hipercifose não é grave e não requer tratamento, contudo, ocasionalmente, o doente pode necessitar de integrar um programa multimodal de reabilitação, incluindo uso de ortóteses e/ou fisioterapia - que consistirá, principalmente, na realização de exercícios para melhorar a postura e fortalecer a coluna vertebral.

Em casos graves, a hipercifose pode ser dolorosa e causar uma deformidade da coluna vertebral significativa, e levando ao desenvolvimento de complicações como problemas respiratórios (ver mais informação em “complicações da cifose”). Doentes com hipercifose grave podem precisar de realizar cirurgia para ajudar a reduzir a curvatura excessiva e melhorar a sua sintomatologia. Ver mais informação em “tratamento da hipercifose”.

Tipos de hipercifose

Existem vários tipos de hipercifose que variam consoante a causa subjacente, no entanto podemos destacar três tipos mais frequentes da doença, a saber:

Hipercifose postural

A hipercifose postural, tal como o nome indica, é provocada por uma má postura, e não está associada a anormalidades estruturais graves da coluna vertebral. Este tipo de cifose é facilmente corrigida e muitas vezes melhora com exercícios e alongamentos.

A hipercifose postural é o tipo mais comum da doença e, geralmente, torna-se visível durante a adolescência, afetando mais frequentemente jovens do sexo feminino.

Este tipo de hipercifose beneficia bastante com algumas medidas / atividades que pode fazer em casa, de modo a corrigir a postura, conforme discutiremos no final deste artigo.

Doença de Scheuermann

A doença de Scheuermann refere-se a um tipo de patologia mais grave, que pode piorar com o crescimento. Tal como na hipercifose postural, este tipo da doença, muitas vezes, desenvolve-se durante a adolescência. No entanto, a doença de Scheuermann pode resultar numa deformidade significativamente mais grave do que a hipercifose postural, dado que é rígida e não flexível como a hipercifose postural.

A curva causada pela doença de Scheuermann, geralmente, não é susceptível de correção apenas com alongamentos e fortalecimentos musculares.

Hipercifose Congénita

Um diagnóstico de hipercifose congénita assume uma diferença na forma de uma ou mais vértebras, presente e percetível ao nascimento.

Este tipo de hipercifose ocorre quando a coluna vertebral não se desenvolve normalmente enquanto o bebé está no útero, durante a gravidez. Os ossos não se desenvolvem como deveriam ou várias vértebras podem ter-se fundido. A hipercifose congénita, habitualmente, piora com o avançar da idade da criança e, muitas vezes, é necessário tratamento cirúrgico em idades muito precoces, de modo a parar a progressão da deformidade.

Sinais e sintomas da hipercifose

Os sinais e sintomas da hipercifose podem variar, dependendo da causa e da gravidade da curvatura, a saber:

  • Uma curvatura visível a olho nu;
  • Ombros arredondados ou com uma diferença na altura entre os dois;
  • Dor nas costas;
  • Fadiga;
  • Rigidez da coluna;
  • Músculos e tendões “apertados”;
  • Etc.

Com o tempo, a curvatura vai piorando progressivamente e podem surgir outros sinais e sintomas como:

  • Fraqueza, dormência ou formigueiro nas pernas;
  • Dormência ou perda de sensação nas costas;
  • Dispneia (falta de ar) ou outras dificuldades respiratórias;
  • Outros.

Causas da hipercifose

A má postura é a principal causa da hipercifose, no entanto a doença pode ser provocada por inúmeros outros fatores, tais como:

  • Fraturas - Vértebras fraturadas ou “esmagadas” (fraturas por compressão) podem provocar uma curvatura anormal da coluna vertebral.
  • Osteoporose - A osteoporose é uma doença que provoca a fragilidade dos ossos. Esta fragilidade anormal pode causar aumento da curvatura, especialmente se as vértebras enfraquecidas sofrerem fraturas por compressão. Esta doença é mais comum em mulheres mais velhas e pessoas que tomam corticosteroides durante muito tempo.
  • Doença de Scheuermann - A doença de Scheuermann (ver “tipos de hipercifose”), geralmente surge durante o crescimento rápido que ocorre antes da puberdade, afetando, principalmente, jovens do sexo masculino.
  • Defeitos congénitos - Ossos da coluna que não se desenvolvem corretamente antes do nascimento podem causar hipercifose.

Diagnóstico da hipercifose

O diagnóstico da hipercifose é realizado através da história clínica do doente e do exame físico, podendo também ser recomendado algum dos seguintes meios complementares de
diagnóstico e terapêutica (MCDT):

Complicações da hipercifose

Quando não tratada atempadamente, a hipercifose pode provocar diversas complicações, a saber:

  • Problemas respiratórios - Um caso de hipercifose grave pode colocar pressão sobre os pulmões, impedindo a sua expansão para receber ar;
  • Funções físicas limitadas - A hipercifose está relacionada com atrofia muscular e dificuldade em realizar determinadas tarefas. A curvatura da coluna vertebral também pode tornar difícil movimentos simples como olhar para cima ou deitar-se;
  • Problemas digestivos - A hipercifose, quando grave, pode comprimir determinados órgãos do sistema digestivo, causando problemas, como refluxo gastroesofágico, e dificuldade na deglutição (engolir);
  • Problemas de autoestima - Pessoas com hipercifose, especialmente adolescentes, podem desenvolver problemas de autoestima em virtude da existência de um grande arqueamento na coluna, ou pela necessidade de usar um aparelho para corrigir a postura. Para os idosos, a má imagem corporal pode também levar ao isolamento social.

A hipercifose tem cura?

O prognóstico da hipercifose varia consoante o tipo da doença presente, no entanto, na grande maioria dos casos, é favorável, dado tratar-se de hipercifoses posturais.

Em casos mais avançados, o tratamento pode ser mais complexo, sendo extremamente importante procurar aconselhamento médico nos estágios iniciais da hipercifose, de modo a evitar o desenvolvimento de possíveis complicações e parar a progressão da doença.

Tratamento da hipercifose

A primeira opção de tratamento, principalmente nos casos devidos à má postura, passa sempre pelo diagnóstico do médico fisiatra (especialista em medicina física e de reabilitação) e pela implementação de um plano de tratamento fisiátrico, de modo a corrigir a curvatura identificada. O tratamento para a hipercifose varia consoante a gravidade e a causa subjacente da doença. Entre as várias opções terapêuticas disponíveis, podemos destacar:

Fisioterapia

O tratamento fisiátrico pode ajudar a gerir certos tipos de hipercifose através de estimulantes como:

  • Exercícios e alongamentos que podem ajudar a melhorar a flexibilidade da coluna e aliviar a dor nas costas. Estes exercícios devem ser cuidadosamente definidos pelo médico fisiatra;
  • Prescrição de ortóteses (coletes corretores de postura). Estes coletes ortopédicos fazem com que a coluna seja mantida numa posição correta, podendo ajudar principalmente crianças ou jovens a travar a progressão da hipercifose enquanto os ossos ainda estão em desenvolvimento. Mesmo nos adultos estes coletes possuem um papel importante na correção da postura corporal. Podem ser escondidos por baixo da roupa, podendo o doente usa-los também durante o dia.

Tratamento medicamentoso

O médico especialista pode prescrever alguma medicação, de modo a melhorar a sintomatologia ou alguma patologia associada, a saber:

  • Analgésicos para aliviar a dor provocada pela curvatura excessiva na coluna;
  • Medicamentos para a osteoporose ou de fortalecimento ósseo podem ajudar a prevenir fraturas adicionais que pioraria o estado da coluna;

Procedimentos cirúrgicos

A cirurgia pode ser recomendada em casos de hipercifose mais graves. A fusão de vértebras, ou cirurgia de artrodese, é o procedimento mais comum para reduzir o grau de curvatura na coluna. Durante a operação, o cirurgião (ortopedista ou neurocirurgião) insere pequenas frações de osso entre as vértebras e, de seguida, fixa as mesmas com hastes de metal e parafusos, provocando a sua imobilidade. Esta cirurgia permite que a coluna se posicione numa posição mais correta.

O que pode fazer em casa para melhorar a postura?

Para melhorar a postura ou para prevenir a hipercifose e, simultaneamente, manter uma boa densidade óssea, é recomendada a adoção de alguns comportamentos, a saber:

  • Manter uma postura adequada - esta postura deve ser mantida quer durante os períodos em que o doente permanece de pé, tentando sempre alongar a coluna de modo a “endireitar as costas”, quer na posição sentada, tentando sempre manter a coluna o mais reta possível;
  • Praticar exercício físico regularmente para ajudar a fortalecer a coluna e mantê-la flexível (ex.: pilates clínico, yoga, natação, caminhada etc.). Estes exercícios são muito importantes no fortalecimento dos músculos para se conseguir manter a coluna numa posição adequada;
  • Não permanecer muito tempo na posição sentada mesmo com uma postura adequada. Fazer pequenos intervalos, colocando a coluna numa posição reta e, se possível, fazendo pequenos exercícios de alongamento;
  • Fazer uma dieta saudável, rica em cálcio e vitamina D;
  • Limitar do consumo de álcool;
  • Evitar carregar pesos excessivos;
Clínica de Fisioterapia