Estudo eletrofisiológico

Estudos eletrofisiológicos

O que são estudos eletrofisiológicos?

Um estudo eletrofisiológico é um exame de diagnóstico invasivo, utilizado para avaliar ou mapear o sistema elétrico do coração em detalhe, permitindo diagnosticar problemas relacionados com ritmos cardíacos anormais (arritmias cardíacas).

O estudo avalia a atividade elétrica do coração através de cateteres que são introduzidos numa veia, a partir da região da virilha. A informação obtida por esses cateteres permite a avaliação da propagação dos impulsos elétricos durante os batimentos cardíacos, sendo assim possível identificar diversas anomalias.

Porque se faz o exame?

Um estudo eletrofisiológico é recomendado quando existe confirmação ou suspeita de arritmia ou outros problemas relacionados com anomalias no ritmo cardíaco.

Saiba, aqui, o que é uma arritmia cardíaca.

Com um estudo eletrofisiológico é possível obter várias informações sobre o funcionamento dos sinais elétricos do coração e é frequentemente indicado em situações como:

  • A existência ou suspeita de ritmos cardíacos irregulares (arritmias);
  • Estudar a eficácia do tratamento, ou seja, perceber se um medicamento (remédio) prescrito para uma arritmia está a resultar;
  • Deteção de problemas que possam provocar uma morte súbita;
  • Avaliação de sintomas:
    • desmaios;
    • palpitações, taquicardia;
    • tonturas;
    • extrassístoles (batimentos cardíacos extra, irregulares);
    • paragem cardíaca;
    • dor no peito.

Estudo eletrofisiológico com Ablação

Durante o estudo eletrofisiológico, quando são identificados focos ou circuitos elétricos anormais que estão na origem das arritmias, é muitas vezes necessário realizar uma ablação. A ablação consiste em eliminar esses focos de arritmia através da aplicação de energia sob a forma de calor (radiofrequência) ou frio (crioterapia/crioablação), sem danificar as outras estruturas do coração.

A Ablação é utilizada, especialmente, nas seguintes patologias (doenças):

  • Fibrilação auricular;
  • Flutter auricular;
  • Taquicardia supraventricular paroxística;
  • Extrassistolia ventricular;
  • Taquicardia ventricular.

Riscos dos estudos eletrofisiológicos

Os estudos eletrofisiológicos são exames realizados ao coração e que, embora baixos, incluem alguns riscos na sua prática, tais como:

  • Hemorragias, hematomas ou infeções no local onde os cateteres são colocados;
  • Danos no tecido de condução cardíaco normal (bloqueios aurículo-ventriculares);
  • Derrame pericárdico;
  • Acidentes vasculares cerebrais (AVC) / Morte (muito raros).

Pese embora os riscos e complicações inerentes à realização do exame atrás descritos, um estudo eletrofisiológico é um procedimento seguro, sendo a relação risco / benefício sempre ponderada pelo médico cardiologista (especialista em doenças do coração).

NOTA: durante o estudo electrofisiológico a visualização dos cateteres no coração efetua-se, muitas vezes, através de uma máquina de Raios- X (Fluoroscopia cardíaca). Se estiver grávida deverá informar o seu médico e este exame terá que ser realizado com o auxílio de outras tecnologias.

Preparação para um estudo eletrofisiológico

Antes do exame irá receber indicações de como terá de se preparar, como fazer jejum (não comer ou beber) durante 6 horas antes do exame. Deverá também informar o seu médico sobre alergias ou medicações que toma que possam afetar o estudo eletrofisiológico, a saber:

  • Antiarrítmicos (bisoprolol, amiodarona, propafenona, flecainida, carvedilol, digoxina);
  • Anticoagulantes e Antiagregantes (medicamentos para tornar o sangue mais fino- aspirina, varfarina, eliquis, xarelto );
  • Vitaminas, ervas ou suplementos;
  • Etc..

Com base no seu historial e na presença de algumas doenças agudas ou crónicas, poderá também ser solicitada alguma preparação específica ou outros exames e análises ao sangue.

Poderá ser administrado um sedativo (medicamento que ajuda a relaxar) como preparação no dia do exame.

O que esperar de um estudo eletrofisiológico?

É importante saber o que esperar quando se trata de um estudo eletrofisiológico, seja durante o exame, no recobro, ou em casa.

Durante o exame

O estudo eletrofisiológico pode ser descrito em diferentes etapas:

  1. Remover quaisquer jóias ou objetos que possam interferir com a realização do exame (informar os profissionais de saúde sobre “piercings" que também possam interferir);
  2. Remover a roupa e vestir uma bata do hospital;
  3. Esvaziar a bexiga;
  4. A área de inserção dos cateteres será depilada se houver muita pilosidade;
  5. Inserção de uma injeção intravenosa (IV) na mão ou braço;
  6. Um membro da equipa médica irá conectar um eletrocardiograma (ECG) para monitorizar o coração e sinais vitais durante o exame;
  7. Administração de um sedativo (apenas em alguns casos);
  8. Administração da anestesia local na área de inserção dos cateteres;
  9. Inserção de um tubo de plástico na área de inserção (introdutor), através do qual o cateter é progredido posteriormente;

O médico pode deixar assistir ao processo através da radiografia exibida num monitor (fluoroscopia) enquanto reencaminha os cateteres para o coração. Quando estes estiverem na posição correta, pequenos impulsos elétricos (não provocam dor) são administrados para certas áreas do coração. Podem também ser administrados medicamento que ajudam a provocar a arritmia, que aceleram e tornam mais fortes os batimentos cardíacos, o que pode provocar alguma ansiedade.

Se for detetada uma arritmia, o médico pode fazer uma ablação (eliminação do tecido que possa ser a causa da anomalia no ritmo cardíaco). Veja mais informação em “estudo eletrofisiológico com ablação”.

Se notar algum desconforto, dor ou dificuldade respiratória, informe o médico imediatamente.

Os cateteres serão removidos quando o exame terminar e um curativo será feito na área de inserção. Será então reencaminhado para outra sala ou quarto onde poderá recuperar.

Após o exame

Na sala de recobro (recuperação), deve relaxar e descansar tranquilamente durante algumas horas, contudo deve permanecer deitado até que algum profissional de saúde confirme que não há quaisquer complicações.

Nestas horas de relaxamento, os seus batimentos cardíacos e a tensão arterial serão monitorizados para prevenir complicações na recuperação. Informe um profissional de saúde se sentir desconforto na zona de inserção dos cateteres ou dor ou pressão no peito. Poderá ser administrado algum medicamento para a dor (analgésico).

Após algumas horas no recobro, o médico deverá informá-lo sobre os resultados do exame e comportamentos a adotar na recuperação em casa.

Recuperação em casa

Em casa, deve seguir as instruções dadas pelo médico, que podem passar por tomar medicamentos (remédios) prescritos, não conduzir pelo menos durante 24 horas ou comer 4 a 6 horas após o exame.

Dor ou um pequeno hematoma na área de inserção dos cateteres é normal durante alguns dias, mas existem alguns sinais e sintomas de alarme, que deve ter em atenção e contactar o seu médico, a saber:

  • Se a área de inserção dos cateteres começar a sangrar;
  • Calafrios e febre superior a 38ºC;
  • Pele muito vermelha ou edema (inchaço) na zona de inserção dos cateteres;
  • Dor ou pressão no peito;
  • Náuseas ou vómitos;
  • Tonturas;
  • Desmaios.
Clínica de Cardiologia