Dor ciática

Fotos do nervo ciático

O que é ciática?

A ciática ou ciatalgia refere-se a uma dor que irradia ao longo do trajeto do nervo ciático. Este nervo, responsável pela sensibilidade e controlo de diversos músculos dos membros, dirige-se desde a parte inferior da coluna até à perna e pé (veja imagens). Em geral, a ciática afeta apenas um dos lados do corpo, podendo acompanhar-se de sensações como perna dormente ou formigueiros, designados por parestesias.

Habitualmente, a ciática está associada à hérnia discal, uma saliência dos discos intervertebrais (articulações entre as vértebras que permitem a mobilidade e absorvem os choques e cargas), que ao comprimir as raízes do nervo provoca uma inflamação e, consequentemente, os sintomas acompanhantes.

Embora a dor possa ser severa, na maioria dos casos há resolução dos sintomas em poucas semanas sem necessidade de cirurgia. Apenas situações de perda significativa da força muscular ou alterações urinárias e intestinais serão candidatas definitivas a cirurgia.

Causas da ciática

Na maioria das vezes, a ciática ocorre por uma compressão das raízes do nervo ciático, provocada por uma hérnia discal (ou hérnia de disco) ou um esporão ósseo (osteófito ou “bico de papagaio”). Entre a 4ª e 5ª vértebras lombares e entre a 5ª vértebra lombar e a 1ª vértebra do sacro, emergem os nervos L5 e S1 que, ao juntarem-se, formam o nervo ciático (veja imagem superior). Assim, havendo uma compressão de uma destas raízes desencadeia-se uma inflamação e, consequentemente, uma dor, ciática ou ciatalgia, que irradia ao longo do trajeto do nervo ciático pela face lateral ou posterior da perna até ao pé.

Saiba, aqui, o que é hérnia discal.

Outras causas de ciática são compressões do nervo ao longo do membro inferior por anomalias musculares (como o síndrome do piriforme), tumores ou alterações inflamatórias. Certas situações poderão produzir sintomas semelhantes, como a diabetes, artrose, ou alterações inflamatórias articulares (como a sacroiliite). Na gravidez pode haver compressão do nervo diretamente ou de forma indireta por aumento da retenção de líquidos com edema associado.

Sintomas e diagnóstico na ciática

O diagnóstico é realizado, habitualmente, pelo médico ortopedista (especialista em ortopedia), com base na clínica e exames auxiliares de diagnóstico.

Embora a dor de costas seja frequente (daí também a designação de lombociatalgia), a ciática é tipicamente caracterizada por uma dor distal afetando apenas um lado, perna direita ou perna esquerda. A dor estende-se desde a região lombar, passando pela nádega, face posterior e/ou lateral da coxa e, obrigatoriamente, abaixo do joelho, pela perna e pé.

A intensidade da dor é variável, podendo ir desde um simples incómodo até uma dor aguda, profunda e incapacitante. Tossir, fazer esforços, permanecer sentado por períodos prolongados podem agravar as queixas.

Frequentemente são referidos adormecimento, formigueiro, choque, sensação de diminuição da força ou “perna presa”. No exame clínico são pesquisados a tensão do nervo, as alterações de sensibilidade, força muscular e reflexos tendinosos.

Em casos excecionais poderão ocorrer descontrolo da bexiga e intestino, sinais de alarme que necessitam intervenção urgente.

Embora o RX faça parte do estudo da dor de costas ou dos membros, e possa mostrar alterações degenerativas do envelhecimento, não é possível visualizar a hérnia discal neste exame. O exame ideal para o diagnóstico é a Ressonância Magnética (RMN) da coluna, ou em alternativa a Tomografia Axial Computorizada (TAC) da coluna. Em alguns casos pode ser útil o estudo da condução nervosa e Eletromiografia (EMG).

Saiba, aqui, o que é RM da coluna.

Como aliviar a dor ciática?

A ciática é habitualmente auto limitada, ou seja, resolve-se espontaneamente em alguns dias ou semanas. O descanso por tempo limitado pode ser necessário, mas deve ser evitado por período prolongado. Restringir a atividade física, especialmente movimentos de flexão e transporte de pesos, e fazer medicação analgésica serão, por norma, suficientes. Adicionalmente podem ser prescritos medicamentos anti-inflamatórios, relaxantes musculares ou coletes e ortóteses de imobilização.

Técnicas de relaxamento, exercício para fortalecimento dos músculos das costas e abdominais, alongamentos, caminhadas, pilates e ioga, são exercícios recomendados, juntamente com a fisioterapia, que podem ajudar a aliviar os sintomas e prevenir novos episódios.

Ciática tem cura?

Em mais de 90% dos casos associados a hérnia discal a ciática aguda regride ao fim de 4 a 6 semanas, podendo a hérnia desaparecer com o tempo. Na fase inicial deve ser tentado um tratamento conservador, não cirúrgico, e apenas em casos excecionais se poderá ter que recorrer à cirurgia.

Saiba, de seguida, como tratar a ciática.

Tratamento da ciática

As medidas conservadoras, não cirúrgicas, resultam na maioria dos casos, não sendo necessário o recurso a cirurgia.

No caso de falência destas medidas, as infiltrações epidurais de corticoides (um anti-inflamatório potente) na coluna podem proporcionar alívio sintomático, ao reduzir a inflamação nervosa. Estas injeções, com taxas de complicações muito baixas, são feitas em ambulatório, sem necessidade de internamento. Outras técnicas percutâneas, pouco invasivas, como a nucleoplastia por coblação ou plasma, IDET e ozonoterapia, são usadas em casos muito particulares, mas os resultados não estão comprovados.

O doente nunca deve tomar, em caso algum, qualquer tipo de medicação ou tentar qualquer tipo de tratamento caseiro ou natural sem aconselhamento do médico sob pena de poder agravar o seu estado clínico.

A cirurgia  (ou operação) só está indicada em caso de persistência, recorrência ou agravamento de sintomas após pelo menos 6 semanas de tratamento conservador, ou em pacientes que se apresentam inicialmente com dor não controlada, alterações neurológicas significativas ou disfunção urinária ou intestinal. O cirurgião retira a hérnia discal ou o esporão ósseo que exerce pressão sobre o nervo. Quando bem indicada, a cirurgia é eficaz, com uma baixa taxa de complicações, podendo atualmente ser realizada por métodos minimamente invasivos.

Saiba, aqui, tudo sobre tratamento da hérnia discal.

Como prevenir a dor ciática?

Não é possível prevenir por completo o aparecimento ou reaparecimento da ciática, mas algumas medidas de proteção da coluna poderão ser eficazes:

  • Exercício regular - fortalecer os músculos posturais (também designados por core), lombares e abdominais, para manter uma postura adequada, sem esforço. A flexibilidade é importante para prevenir lesões das costas;
  • Postura adequada ao sentar - escolher cadeiras com bom suporte lombar e altura apropriada;
  • Dormir - um período de sono correto (7-8 horas) é essencial para descansar a coluna e rehidratar os discos vertebrais. O colchão e almofada não têm influência na prevenção da ciática, mas devem preferir-se modelos mais rígidos, sem excesso.
  • Mecânica corporal adequada - evitar períodos prolongados em pé ou sentado. Levantar objetos com a ajuda das pernas, evitando forçar a coluna lombar. Manter a carga junto do corpo.
medico_ortopedia.png