Rinoplastia

Rinoplastia - fotos com resultados definitivos

O que é rinoplastia?

A rinoplastia é a cirurgia plástica que visa a correção estética e/ou funcional do nariz. O objetivo da cirurgia é corrigir a parte externa do nariz com todas as inúmeras variáveis (nariz torto ou desviado, nariz grande, nariz pequeno, nariz caído, nariz globoso, etc.) que daí advêm, sem nunca descurar a sua componente funcional. Ou seja, o nariz tem que ficar bonito, atraente, harmonioso na face e funcional, isto é, permitir que a pessoa respire bem.

Uma vez que a rinoplastia envolve o nariz como um todo e o septo nasal é uma componente central na pirâmide nasal, na maioria das vezes, o termo correcto para esta cirurgia é rinosseptoplastia, que envolve a correção de deformidades do septo nasal e da pirâmide nasal. Trata-se de uma operação complexa em que o próprio septo nasal vai ser aproveitado para uso de enxertos e técnicas de camuflagem da “rinoplastia”. Assim sendo um cirurgião que realiza a rinoplastia tem que “dominar” em absoluto o septo nasal (septoplastia / rinosseptoplastia).

Tratando-se provavelmente de uma das cirurgias plásticas faciais mais complexas e desafiantes com relativa frequência é necessário realizar uma revisão cirúrgica. A taxa de revisão cirúrgica pode chegar aos 5% de doentes operados. Nestes casos, a rinoplastia secundária, por norma, tem um grau de dificuldade superior à rinoplastia primária. Veja mais informação em rinoplastia secundária ou rinoplastia de revisão.

Indicações da rinoplastia

A rinoplastia estética possui indicação nos casos em que existe alguma deformidade (nariz desviado, nariz globoso, etc.) e que leve a pessoa a não gostar do seu nariz. Estas deformidades podem ser mais ou menos acentuadas e podem em alguns casos interferir com a autoestima das pessoas.

A rinoplastia funcional é indicada quando existe uma componente funcional (por exemplo, um nariz desviado com desvio do septo nasal ou um mal posicionamento das cartilagens alares inferiores).

Saiba, aqui, tudo sobre desvio do septo nasal.

Na maioria dos casos existe simultaneamente uma componente funcional e estética.

Existem muitos tipos de rinoplastia de acordo com o tipo de problema a corrigir. Entre as mais frequentemente utilizadas encontra-se a rinoplastia de redução que é usada para diminuir o nariz em casos de nariz grande ou nariz largo. A rinoplastia de aumento é usada para aumentar o nariz no caso de nariz pouco projetado, selado ou no nariz étnico. A rinoplastia da ponta nasal é usada para corrigir o nariz com ponta “bulbosa” ou “nariz de batata”. A rinoplastia extracorpórea (para desvios complexos do septo nasal), “push down” (para narizes grandes com bossa pequena), “lateral push” (para narizes desviados), entre outras.

A decisão de operar deve ser tomada pelo médico e pelo paciente após uma análise muito cuidada da parte externa e interna do nariz. Esta análise pré operatória é fundamental pois as dúvidas, expectativas e anseios têm que ser resolvidos antes da cirurgia. Por vezes, podem ser utilizados simuladores de imagem (ex. Photoshop®) para simular um projeto do novo nariz.

Quem pode realizar a cirurgia?

A cirurgia pode, por norma, ser realizada por todas as pessoas que o pretendam desde que não existam contra-indicações médicas. Mesmo na presença de algumas patologias (ex. pessoas diabéticas, hipertensas, etc.) a cirurgia pode ser realizada desde que as doenças estejam sob controlo e não exista perigo de gerar intercorrências. De qualquer forma, deverá ser realizada sempre (mesmo em pessoas saudáveis) uma avaliação pré-operatória de modo a garantir que estão reunidas as condições para realizar a cirurgia de forma segura.

Em relação à idade mínima a partir da qual é possível realizar a cirurgia deve ser levada em consideração o grau de deformidade do nariz e a sua capacidade funcional. Por norma, a idade para poder fazer a rinoplastia ronda os 16 anos (em adolescentes com o crescimento facial já estabilizado), sendo que a idade pode variar e é segura nos últimos anos da adolescência. Em casos muito raros como deformações congénitas (por exemplo, lábio leporino) ou traumatismos severos na infância, esta pode ser realizada nos primeiros anos de vida. Tratam-se de indicações raras e, por vezes, controversas, sendo que a filosofia (abordagem, técnica cirúrgica, preservação dos pontos de crescimento das cartilagens nasais) destes casos raros de rinoplastia é diferente da rinoplastia tradicional que se pode realizar no final da adolescência.

Outra questão muito importante são as diferenças entre a rinoplastia no homem e a rinoplastia na mulher. Como é do senso comum o nariz no sexo feminino é diferente do nariz no sexo masculino.

Na mulher o ângulo naso labial é mais aberto (ponta mais “arrebitada”), o dorso pode ser em “rampa” (desde a raiz do nariz até à ponta a “arrebitar”) e a ponta é mais fina. O homem, por sua vez, tem uma ponta “não arrebitada”, um dorso recto e a ponta não pode ser fina. Estas diferenças devem ser tidas em conta pelo cirurgião e não devem ser um factor de preocupação para a pessoa que vai ser operada. Veja imagens superiores com o resultado final de alguns casos clínicos quer em homens quer em mulheres.

Posso ficar com o nariz diferente após a cirurgia?

Este é o principal receio de quem vai ser submetido a uma rinoplastia. Por um lado, a pessoa não gosta do nariz que tem, por outro lado tem medo que fique com um aspeto artificial e desenquadrado da face.

O objetivo é efetivamente mudar o aspecto do nariz mas manter uma face harmoniosa e não descaracterizar a pessoa. Obviamente que esta questão é primordial para um cirurgião que se dedique à rinoplastia.

Existem pequenos pormenores no resultado que estão relacionados com o gosto pessoal do doente e do médico e devem ser discutidos na análise pré-operatória do nariz (por exemplo há pessoas que gostam da uma ponta “arrebitada” e outras menos “arrebitada”). Estas variações do “gosto” oscilam entre as diferentes culturas. Na Europa por norma as pessoas preferem um estilo mais conservador e, por exemplo, na América do Sul gostam que as alterações a efetuar sejam mais “visíveis”.

Outro ponto crucial é não olhar apenas para o nariz mas olhar para a face como um todo. Há alterações na face que têm de ser avaliadas quando se avalia o nariz: assimetrias da face, alterações do lábio, do maxilar e da mandíbula.

Veja fotos superiores com o antes e depois da rinoplastia.

Como é feita a cirurgia?

A rinoplastia é feita através de duas possíveis abordagens cirúrgicas ao nariz:

  • Rinoplastia aberta – na rinoplastia aberta é realizada uma pequena incisão na columela. Esta incisão passados 15 dias é impercetível.
  • Rinoplastia fechada – na rinoplastia fechada apenas são realizadas incisões dentro das narinas.

A cirurgia normalmente é realizada sob anestesia geral no entanto pode ser, em alguns casos, realizada sob anestesia local e sedação. Ambas as técnicas anestésicas são possíveis desde que existam condições logísticas para isso e de acordo com a vontade do cirurgião e do doente.

Cicatriz na rinoplastia

Como já foi referido a rinoplastia pode ser executado por técnica aberta ou fechada. Tratam-se apenas de duas vias distintas de abordagem cirúrgica.

Na técnica fechada não é realizada qualquer incisão externa no nariz, logo não é criada qualquer tipo de cicatriz na parte externa (por fora) do nariz.

Apenas na técnica aberta é efetuada uma pequena incisão na parte externa do nariz. Mesmo se a cirurgia for executada na técnica aberta passado um a dois meses não são visíveis quaisquer cicatrizes na pele.

Quem realiza a cirurgia?

Esta é uma dúvida muito frequente, uma vez que se trata de uma cirurgia plástica num órgão com componente funcional, o nariz.

A cirurgia tanto pode ser realizada quer por um médico Otorrinolaringologista, (Otorrino) como por um Cirurgião Plástico, desde que dominem todas as técnicas cirúrgicas sejam elas estéticas ou funcionais (necessidade de realizar septoplastia, redução dos cornetos inferiores ou outra patologia funcional que esteja presente).

Saiba, aqui, o que é septoplastia (cirurgia do desvio do septo).

Rinoplastia - riscos, complicações

A rinoplastia desde que executada por cirurgiões experientes é uma cirurgia bastante segura e com resultados bastante previsíveis. No entanto, tal como em qualquer cirurgia, podem ocorrer alguns imponderáveis quer durante quer depois da cirurgia.

Os principais riscos e complicações na rinoplastia são: risco de hemorragia no pós-operatório, risco de problema funcionais (quando efectuada sem ter em atenção a componente funcional), risco de se notar alguma irregularidade na pele, risco de infeção do nariz. No entanto, uma vez mais, desde que a cirurgia seja realizada por cirurgiões experientes e com todas as precauções necessárias trata-se de uma cirurgia muito segura.

A taxa de revisão desta cirurgia (rinoplastia secundária) a nível mundial ronda os 5%. Ou seja, em cerca de 5% dos casos pode voltar a ser necessário efetuar uma segunda cirurgia. Esta nova cirurgia pode ser uma pequena correção (“retoque”) ou uma cirurgia mais complexa nos casos em que o primeiro resultado não é satisfatório. Existem algumas variáveis como a cicatrização do próprio doente que não podem ser controlados pelo cirurgião.

Existem várias técnicas para evitar “surpresas” no futuro e estas devem ser levadas em consideração pelo cirurgião. Assim, surgiu o conceito de rinosseptoplastia estruturada, onde todo o nariz é “estruturado” com vários enxertos. Esta técnica cirúrgica permite obter melhores resultados quer estéticos quer funcionais e uma maior previsibilidade em relação ao futuro.

Rinoplastia - pós-operatório e recuperação

O pós-operatório da rinoplastia por norma é facilmente tolerado. O interior do nariz pode estar transitoriamente obstruído (por edema, secreções ou por umas pequenas talas de silicone que ficam no interior do nariz) durante os primeiros dias de pós operatório. Na parte externa também é colocada uma tala de proteção durante aproximadamente uma semana.

Na maioria das rinoplastias ocorre uma equimose (nódoa negra) à volta dos olhos que pode persistir até 15 dias após a operação. Surgirá algum grau de edema (inchaço) que é maior durante as primeiras semanas e vai estar localizado quer no dorso quer na ponta do nariz. O nariz vai “desinchar” na sua maioria durante o primeiro mês após a cirurgia, no entanto, este processo é, por norma, bastante lento e pode demorar vários meses até que o edema desapareça na totalidade.

No que diz respeito à dor, trata-se de uma cirurgia muito bem tolerada e quase não é preciso qualquer tipo de analgésico no pós-operatório. O tempo de recuperação é de aproximadamente 8 dias.

Após a cirurgia é necessário manter alguns cuidados, nomeadamente a ausência de exercício físico nas primeiras duas semanas e efetuar a higiene nasal com água salina.

Quanto custa uma rinoplastia?

O preço da rinoplastia varia de acordo com o grau de dificuldade do nariz em causa. A título meramente informativo, o preço médio final em Portugal pode rondar os 4000 a 5000 euros. Note, no entanto, que estes valores são meramente indicativos e que o valor da cirurgia apenas pode ser estimado pela clínica após avaliação em consulta pelo seu médico especialista.

A cirurgia tende a ser mais barata quando se trata de uma rinoplastia primária. Na cirurgia de revisão (rinoplastia secundária) como se trata de uma operação, por norma, mais complexa e mais demorada pode tornar-se mais onerosa.

Otorrino.png