Dormência das mãos

Dormência nas maos, fotos, imagens

O que são parestesias da mão?

Parestesias na mão significa dormência ou formigueiro nas mãos. Esta situação pode ocorrer se os nervos responsáveis, por transmitir mensagens do e para o nosso cérebro, se tornarem comprimidos, lesados ou irritados.

As parestesias das mãos podem ser devidas a diferentes causas, as mais frequentes das quais são: Síndrome do canal cárpico, compressão do nervo cubital, radiculopatia cervical, diabetes, doença de Raynaud, artrite reumatóide, entre outras condições, como veremos adiante com detalhe.

As mãos adormecidas são um sintoma frequente entre homens e mulheres na idade adulta. Dependendo da situação, a dormência nas mãos pode afetar a mão esquerda, a mão direita ou as duas mãos. É importante para o seu médico especialista da mão perceber se os seus sintomas são unilaterais (afetam apenas uma mão) ou bilaterais (afetam ambas as mãos), se atingem toda a mão ou se apenas sente formigueiro nos dedos e, nesse caso, qual é o dedo dormente. Em alguns casos a parestesia pode estar localizada apenas na ponta dos dedos em uma ou nas duas mãos.

As parestesias nas mãos podem fazer-se acompanhar de outros sintomas como as dores nas mãos. Veja mais informação sobre outros sinais e sintomas em cada uma das causas subjacentes.

Dormência nas mãos - causas

As parestesias da mão e dedos podem dever-se a diversas causas. De seguida, enumerámos algumas das mais frequentes.

Síndrome do canal cárpico

O síndrome do canal cárpico ou síndrome do túnel cárpico é uma causa frequente de mão dormente e ocorre quando o nervo mediano, responsável pela sensibilidade da mão, se torna apertado no seu canal ao nível do punho (pulso). Esta situação, geralmente causa dor na mão e dormência do primeiro, segundo, terceiro e, por vezes, quarto dedos (isto é, polegar, indicador, dedo médio e anelar), poupando o quinto dedo (dedo mínimo, popularmente conhecido como “dedo mindinho”). A dormência nas mãos durante a noite é frequente em doentes com síndrome do canal do carpo, assim como acordar com as mãos dormentes.

Saiba, aqui, tudo sobre o síndrome do canal cárpico.

Compressão do nervo cubital

O síndrome do túnel cubital ou ulnar é a segunda neuropatia mais frequente do membro superior, a seguir ao síndrome do canal cárpico. Caracteriza-se pela compressão do nervo cubital a nível do cotovelo e manifesta-se por mão dormente, muitas vezes, associada a dor na face interna do antebraço e cotovelo e dedos dormentes, particularmente o quarto e quinto dedo (dedo mínimo). Em fases iniciais, os sintomas podem ocorrer sobretudo à noite, ao dormir, ou durante períodos prolongados com os cotovelos apoiados.

O nervo cubital também pode ser comprimido a nível do punho, uma situação mais rara, conhecida como síndrome do canal de Guyon, que também causa dormência nos dedos mínimo e anelar.

Saiba, aqui, tudo sobre o síndrome do túnel cubital ou ulnar.

Radiculopatia cervical

Esta situação ocorre quando uma raíz nervosa, a nível da coluna cervical, se torna inflamada ou comprimida.

Dependendo da raiz afetada, a radiculopatia cervical pode manifestar-se por dores nos braços e/ou adormecimento de regiões específicas do membro superior, incluindo dormência nas mãos e braços e dedos dormentes.

Diabetes

Uma situação chamada neuropatia diabética pode afetar os nervos periféricos, mais frequentemente a nível dos pés, mas pode também atingir as mãos, causando formigamento nas mãos e pés. Nestes casos, a dormência geralmente ocorre primeiro nos pés.

Saiba, aqui, tudo sobre o pé diabético.

Síndrome de Raynaud

Esta patologia causa espasmo das pequenas artérias dos dedos, ou um abrir e fechar muito rápido das mesmas. Esta situação pode afetar a circulação e causar formigamento nas mãos e pés, incluindo dedos dormentes. Os episódios de Síndrome de Raynaud podem ser desencadeados pelo frio ou stress.

Artrite Reumatóide

A artrite reumatóide é uma patologia auto-imune que cursa com dor, edema e inflamação das articulações, causando dor na mão e podendo também conduzir a sensação de dormência dos dedos e mãos.

Gravidez

A mão e dedos dormentes são queixas frequentes entre mulheres grávidas. Os sintomas geralmente surgem progressivamente e predominam à noite, ao dormir, sendo frequente acordar com as mãos dormentes. Isto ocorre devido às alterações hormonais que ocorrem durante o período de gestação, que originam retenção de líquidos, podendo ser causa de compressão dos nervos a nível do punho, dando origem a sintomas sobreponíveis ao síndrome do túnel cárpico. Embora os sintomas tenham tendência a agravar à medida que a gravidez avança, trata-se de uma situação benigna e que se resolve espontaneamente com o parto.

Saiba, aqui, tudo sobre os sintomas de gravidez.

Outras causas

Para além das causas atrás enunciadas, podem existir outras, relacionadas com a origem da dormência das mãos. Causas menos frequentes de dormência nas mãos e braços incluem:

  • Alcoolismo;
  • Amiloidose;
  • Quisto sinovial;
  • Síndrome de Guillain-Barré;
  • HIV;
  • Esclerose múltipla;
  • Doença Lyme;
  • Síndrome de Sjogren;
  • Sifilis;
  • Acidente vascular cerebral (AVC);
  • Vasculite;
  • Deficiência de vitamina B12;
  • Lepra;
  • Fraturas da mão ou punho;

Dormência nas mãos - diagnóstico

Na presença de sintomas de dormência ou parestesias dos dedos e/ou mãos deve procurar um médico ortopedista especialista em mão, de modo a efetuar o diagnóstico correto e atempado da patologia em causa e, desta forma, ser orientado para fazer o tratamento mais adequado para cada situação.

A investigação diagnóstica pode implicar a realização de exames auxiliares de diagnóstico tais como: exames imagiológicos e/ou eletrofisiológicos, entre outros.

Dormência nas mãos - tratamento

O tratamento da dormência nas mãos depende naturalmente da patologia subjacente. Em alguns casos, o tratamento conservador pode resolver a situação ou pelo menos aliviar a dor e sensação de adormecimento da mão, enquanto que noutros casos teremos que recorrer à cirurgia (ou operação) para tratar a patologia que está a provocar as parestesias.

Na fase aguda, a administração de medicamentos (ou remédios) como analgésicos e antinflamatórios podem contribuir para o alívio dos sintomas. O uso de ortóteses imobilizadoras e a fisioterapia adequada também podem ser úteis no tratamento das parestesias de uma forma natural, não invasiva.

Veja mais informação sobre tratamentos médicos ou cirúrgicos em cada uma das patologias relacionadas com as parestesias das mãos.

medico_ortopedia.png