Coxartrose

Artrose no quadril

O que é coxartrose?

A coxartrose ou artrose da anca é o resultado do desgaste da cartilagem desta articulação. Localmente, ocorre desorganização da matriz de colagéneo e diminuição dos proteoglicanos, que têm um efeito condro-protetor, chamando água por efeito de osmose para o seu interior. Em consequência da redução do efeito osmótico dos proteoglicanos, o conteúdo hídrico da cartilagem é reduzido, assim como a sua espessura, e ocorre então a osteoartrose.

A artrose na anca é, juntamente com a artrose do joelho, das artroses mais frequentes do organismo. Atinge de 10-20% da população após os 60 anos, tendo maior incidência nos homens até aos 45 anos e nas mulheres após esta idade.

Os termos coxartroseosteoartrose da anca, osteoartrose coxofemoral (ou artrose no quadril, como se diz no Brasil) e mesmo artrose na bacia, são tudo sinónimos e referem-se ao desgaste da cartilagem da anca.

As artroses podem também atingir outras articulações com as interfalângicas das mãos, trapeziometacarpianas (ou rizartrose, no polegar) e coluna condicionando, para além de dor, também impotência funcional nos doentes por ela afetados.

Coxartrose bilateral, unilateral

A coxartrose bilateral, por atingimento das duas ancas, é muito frequente nomeadamente quando se trata de coxartrose primária bilateral. O atingimento unilateral está, muitas vezes, associado com coxartrose secundária, em especial aquela que resulta de causas traumáticas.

Habitualmente, não existe um predomínio de coxartrose esquerda ou direita, podendo por isso, ser igualmente afetados ambos os lados.

Coxartrose - causas

A coxartrose primária é aquela que não tem causa aparente (ideopática), para além do desgaste e degenerescência da articulação.  A coxartrose pode, no entanto, ter outras causas e denomina-se então coxartrose secundária.

As causas mais frequentes são as seguintes:

  • Traumática (fraturas e luxações);
  • Conflito femuro-acetabular e displasia da anca;
  • Necrose avascular da cabeça femoral;
  • Sequelas de luxação congénita da anca e doença de Perthes na infância;
  • Doenças reumatológicas e infeciosas.

Coxartrose - fatores de risco

Um dos fatores de risco mais importantes, e que deverá ser controlado, é o excesso de peso. O mesmo acontece com um estilo de vida sedentário. No entanto, um excesso de utilização, como acontece em alguns atletas de alta competição, também poderá levar a um desgaste articular precoce.

Distúrbios circulatórios, hormonais e metabólicos também poderão ser fatores a ter em atenção.

Embora a coxartrose não seja geneticamente transmissível, parece haver uma incidência aumentada de artroses em determinadas famílias.

Coxartrose - sintomas

A coxartrose ou artrose da anca origina os seguintes sintomas:

  • Dor na  anca, com carácter mecânico, isto é, que agrava com os movimentos, por vezes com irradiação para a virilha, coxa ou joelho;
  • Crepitação, rigidez articular e limitação da amplitude de movimentos;
  • Claudicação durante a marcha, o que obriga por vezes ao apoio de canadianas;
  • Atrofia muscular por desuso;
  • Redução progressiva do perímetro de marcha sem dor.

Na coxartrose bilateral, os sintomas condicionam impotência funcional mais marcada, podendo mesmo interferir com a higiene pessoal e com as atividades da vida diária.

Coxartrose diagnóstico

A coxartrose tem geralmente um fácil diagnóstico, pois a clínica é característica e uma simples radiografia fazem a sua confirmação.

Habitualmente é efetuado um RX da bacia em carga e um perfil das ancas. Nestes exames, a anca afetada por coxartrose apresenta uma redução da interlinha articular, a presença de esclerose subcondral, assim como de osteófitos. Em casos mais avançados, a cabeça femoral poderá perder a sua esfericidade normal.

Na dúvida ou quando é necessário determinar com maior rigor o grau de atingimento e de destruição cartilagíneo da articulação um TAC poderá.

A determinação do grau de artrose pode ser avaliado com o recurso a duas escalas:

  1. WOMAC
  2. Kellgren-Laurence

Coxartrose tem cura?

A coxartrose tem cura, com recurso a artroplastia da anca. Mais importante do que o tratamento, parece ser a prevenção da sua evolução, através de medicação adequada, controle do peso e exercício físico.

Saiba, de seguida, como tratar a artrose na anca.

Coxartrose - tratamento

Na coxartrose, o tratamento passa inicialmente por um conjunto de medidas de carácter geral, que são comuns a outras formas de artrose primária e que vamos descrever abaixo.

Nas formas mais avançadas já com atingimento funcional importante, o tratamento para artrose na anca passa por fazer uma cirurgia de substituição, com realização de uma artroplastia total da anca, através da colocação de uma prótese na anca.

Exercício físico e artrose da anca

Exercício físico intenso, de impacto com o solo, praticado de uma forma continuada e prolongada no tempo, como sucede, por exemplo, com os corredores de fundo, pode condicionar um desgaste acelerado da cartilagem da coxofemural e, desse modo, provocar artrose da anca. Aconselha-se, por isso, moderação na sua prática em especial em indivíduos com sobrecarga ponderal.

Artrose na anca - exercícios indicados

A artrose na anca pode beneficiar com a prática regular de exercícios específicos com o objetivo de manter a mobilidade da coxofemural, contrariar a atrofia muscular, e melhorar a função geral da articulação. Estes exercícios são geralmente praticados dentro de água, em aulas de natação ou hidroginástica, visto que aí o efeito de sustentação vai facilitar uma mobilização indolor e com menos esforço, do que a realizada sob a acção da gravidade.

Os alongamentos, nomeadamente dos músculos da face posterior da coxa, como são os isqueotibiais, também ajudam a evitar contraturas e posturas viciosas, quer do membro inferior afetado quer da coluna vertebral.

O condicionamento aeróbico do paciente também é essencial.

A melhoria das condições de circulação local que a maioria destes exercícios provoca, parece ter um efeito benéfico no atrasar da progressão da doença.

Outros doentes em fase aguda ou avançada da doença, podem beneficiar com repouso, para descarga da articulação e alivio da dor, para além de modificação de estilo de vida e redução de peso.

Artrose na anca - fisioterapia

Uma das formas de controle de sintomatologia da artrose na anca pode ser o recurso a Fisioterapia adequada.

O tratamento fisioterapêutico para artrose passa por:

  1. Utilização de uma série de aparelhos com objetivos anti-inflamatórios, por exemplo: ultrasons, ondas curtas, tens, magnetoterapia;
  2. Termoterapia – calor ou frio;
  3. Técnicas manuais para alongamentos e mobilização articular;
  4. Reforço muscular através de exercícios de hidroginástica ou com cargas ligeiras.

Medicamentos para artrose na anca

A prescrição de medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios, ajuda a controlar a dor e a inflamação local, reduzindo o derrame articular associado e melhorando a mobilidade da articulação.

Outros remédios muito usados para a artrose na anca, poderão ser os suplementos de sulfato de glucosamina e condrointina. Estes são componentes essênciais das articulações e poderão estar diminuídos quando existe desgaste. A sua ingestão parece ser benéfica, pois consegue reduzir a quantidade de anti-inflamatórios necessários para o controle da dor.

Ácido hialurônico - artrose da anca

A injeção intra-articular de ácido hialurónico na anca com artrose, é considerado um tratamento com resultados comprovados pela literatura. Este produto já habitualmente existente na articulação, é injetado sob a forma de gel e atua como lubrificante e amortecedor de choques.

Tem eficácia comprovada na redução da dor e na melhoria da função, especialmente em articulações artrósicas, em estadios da doença ainda em fase não muito avançada.
Pode ser aplicado várias vezes ao longo da vida com ou sem controle ecográfico.

Tratamento com células estaminais

O tratamento da artrose através da aplicação intra-articular de células estaminais (“stem cells”) parece poder apresentar resultados interessantes em experimentação animal. No entanto, mais estudos são necessários no futuro até estes poderem ser considerado como alternativa de primeira linha no tratamento da coxartrose.

Tratamento cirúrgico (Cirurgia)

A cirurgia de artrose na anca, consiste classicamente em três tipos de operações:

  1. as artrodeses (operação com o objetivo de obter a fusão da articulação para anular a dor) eram utilizadas em doentes jovens, mas foram praticamente abandonadas pois retiram a mobilidade articular por completo;
  2. as osteotomias de reorientação, em que o cirurgião tentava colocar em carga a zona da cabeça femoral menos atingidas pelo desgaste, falharam pelo alivio incompleto e temporário dos sintomas;
  3. as artroplastias da anca vieram praticamente substituir as 2 anteriores em face dos resultados excelentes e as sobrevidas longas que atualmente é possível obter.

Para saber tudo sobre a artroplastia da anca, siga este link.

medico_ortopedia.png