Úlcera no estômago

imagens de Úlcera no estômago

O que é uma úlcera no estômago?

Uma úlcera gástrica (no estômago) é uma ferida que se forma na mucosa (pele que reveste o estômago), podendo em alguns casos sofrer ruptura ou causar hemorragia (sangramento).

As úlceras no estômago ocorrem quando a camada espessa de muco que protege o estômago dos ácidos digestivos diminui, permitindo que estes destruam os tecidos que revestem o estômago, causando a úlcera.

Estas feridas abertas podem ser assintomáticas (não apresentam sinais ou sintomas), ou, quando não tratadas atempadamente, podem tornar-se graves causando dor e desconforto acentuado no abdómen (barriga) e possivelmente, complicações ainda mais graves como veremos ao longo deste artigo.

O termo úlcera péptica pode também ser utilizado e engloba tanto as úlceras que ocorrem no estômago como as que ocorrem na primeira parte do intestino delgado, chamado de duodeno (úlcera duodenal).

Sinais e sintomas da úlcera no estômago

Como dito anteriormente, em estágios iniciais, a úlcera no estômago pode ser assintomática, no entanto, quando não detetada nestas fases, pode evoluir e começar a apresentar sinais e sintomas como:

  • Dor no meio do abdómen (entre o peito e o umbigo). Normalmente, a dor é mais intensa quando o estômago está vazio na úlcera duodenal mas o jejum melhora a dor na úlcera gástrica; a dor pode durar de alguns minutos a várias horas;
  • Perda de peso;
  • Falta de apetite;
  • Náuseas;
  • Vómitos (por vezes, com sangue);
  • Eructação (“arroto”) com um refluxo ácido;
  • Sensação de azia;
  • Anemia, cujos sinais e sintomas podem incluir fadiga inexplicável, dispneia (falta de ar), entre outros;
  • Fezes escuras. 

Causas da úlcera no estômago

As úlceras gástricas podem ser provocadas por vários fatores, a saber:

Bactéria Helicobacter pylori

As bactérias Helicobacter pylori quando penetram no organismo, vivem na camada mucosa que cobre e protege os tecidos que revestem o estômago e intestino delgado. A bactéria pode não causar problemas, contudo, pode causar inflamação da camada interna do estômago, produzindo a úlcera. É também uma das principais causas de cancro no estômago.

Esta bactéria pode ser transmitida de pessoa para pessoa por contacto próximo ou através de alimentos e água.

Medicamentos

Fármacos anti-inflamatórios não esteróides como aspirina, ibuprofeno ou naproxeno de sódio, quando usados durante muito tempo, podem inflamar o revestimento do estômago e aumentar o risco de desenvolver uma úlcera.

Síndrome de Zollinger-Ellison

A síndrome de Zollinger-Ellison ou hipergastrinemia é uma patologia rara que pode causar úlceras do estômago e intestino devido ao aumento da produção de ácido devido a um defeito que vai hiperestimular a produção de ácido.

Diagnóstico da úlcera no estômago

Para além da história clínica do doente, o diagnóstico de úlcera no estômago é realizado através de uma variedade de meios complementares de diagnóstico e terapêutica (MCDT), a saber:

  • Endoscopia: A endoscopia digestiva alta é o método de eleição no diagnóstico de úlcera e na exclusão de outras patologias (diagnóstico diferencial). A endoscopia consiste na inserção de um tubo flexível e fino (endoscópio) no esófago, até ao estômago. O endoscópio é equipado com uma pequena câmara para que o médico especialista possa ver se há uma úlcera.
  • Radiografia com ingestão de bário: Trata-se de um exame com ingestão de produto de contraste. O contraste (líquido) é ingerido e uma radiografia é realizada, mostrando o revestimento do estômago. Este método diagnóstico tem caído em desuso dadas as vantagens da endoscopia.
  • Análises ao sangue ou outros exames na suspeita de infeção pela bactéria Helicobacter pylori;
  • Biópsia: uma amostra de tecido do estômago é extraída durante uma endoscopia digestiva e analisada posteriormente em laboratório de anatomia patológica. A biópsia pode ser recomendada em casos de suspeita de outras patologias, como cancro do estômago.

Saiba, aqui, tudo sobre endoscopia digestiva alta.

Complicações da úlcera no estômago

As úlceras gástricas quando não tratadas atempadamente podem provocar inúmeras consequências graves, a saber:

  • Hemorragia. O sangramento pode ocorrer como perda de sangue lenta que leva ao surgimento de outras patologias como a anemia;
  • Perfuração na parede do estômago colocando-o em risco de infeções graves na cavidade abdominal (peritonite);
  • Obstrução da passagem de alimentos no sistema digestivo;
  • Risco aumentado de cancro do estômago (gástrico).

Saiba, aqui, o que é anemia.

A úlcera no estômago tem cura?

O prognóstico das úlceras do estômago depende da causa subjacente e da fase onde são detetadas.

Geralmente, com um diagnóstico e tratamento adequado e atempado o prognóstico é favorável. No entanto, se as úlceras não forem tratadas em estágios iniciais, podem provocar complicações graves, tornando a recuperação da doença mais complicada.

Tratamento da úlcera no estômago

O tratamento da úlcera no estômago depende da causa subjacente da doença. A maioria dos casos podem ser tratados através da prescrição de alguma medicação, no entanto, em casos mais graves, a cirurgia pode ser necessária.

Tratamento medicamentoso

Como referido anteriormente, o médico especialista pode optar pela prescrição de alguma medicação (por exemplo em casos onde a úlcera foi provocada pela bactéria Helicobacter pylori):

  • Antibióticos para eliminar a bactéria Helicobacter pylori como amoxicilina, bismuto, metronidazol, tetraciclina, levofloxacina ou claritromicina;
  • Medicamentos (remédios) que bloqueiam a produção de ácido e promovem a cicatrização da úlcera como inibidores da bomba de protões (IBP) ou bloqueadores de histamina (H-2);
  • Antiácidos que neutralizam o ácido estomacal. Os antiácidos neutralizam o ácido estomacal existente e podem proporcionar alívio rápido da dor;
  • Medicamentos que protegem o revestimento do estômago e intestino delgado (protetores gástricos) como sucralfato e misoprostol;

O doente nunca de deve automedicar ou tentar qualquer tipo de tratamento alternativo sem indicação médica.

Tratamento cirúrgico (cirurgia)

Em casos raros, uma úlcera de estômago pode necessitar de recurso a tratamento cirúrgico (cirurgia). A operação é recomendada em casos de úlceras que:

  • Úlceras recorrentes (a úlcera volta a ocorrer mais tarde);
  • Úlceras que não cicatrizam;
  • Úlceras que sangram, aumentando o risco de anemia;
  • Úlceras que perfuram (rompem) o estômago;
  • Quando as úlceras obstroem (impedem) a passagem de alimentos do estômago para o intestino delgado.

A cirurgia da úlcera gástrica segue, geralmente, o seguinte procedimento:

  1. Remover toda a úlcera;
  2. Cauterizar (queimar) alguma artéria que esteja a sangrar;
  3. Eliminar o fornecimento de nervos para o estômago, de modo a reduzir a produção de ácido pelo órgão.

O médico especialista pode recomendar outra endoscopia após o tratamento para se certificar que a úlcera foi tratada e eliminada com sucesso.

Prevenção da úlcera no estômago

É possível reduzir o risco de desenvolvimento de úlceras gástricas através da adoção de alguns comportamentos no quotidiano, a saber:

  • Avaliação da presença de infeção pela bactéria Helicobacter pylori através da realização de endoscopia alta, teste respiratório ou antigénio nas fezes;
  • Fazer uma dieta saudável, evitando alguns alimentos mais ácidos e mais prejudiciais ao estômago (citrinos, cebola, álcool, tabaco, café);
  • Evitar largos períodos de jejum;
  • Tratamento após recomendação por especialista com medicamentos inibidores da produção de ácido.
Clínica de Gastrenterologia