Triglicéridos

Triglicéridos

O que são os triglicéridos?

Os triglicéridos são um tipo de gordura que se encontra no sangue, para além do colesterol que provêm da alimentação, nomeadamente da transformação dos hidratos de carbono (açúcares) em gordura. Estes podem assim ser obtidos através da alimentação ou podem ser produzidos pelo corpo, nomeadamente pelo fígado, quando existe um consumo energético excessivo.

Os triglicéridos constituem uma fonte de energia, uma vez que podem ser convertidos em glicose no fígado ou armazenados no tecido adiposo para serem utilizados como fonte de energia em períodos de jejum prolongado ou quando a disponibilidade de hidratos de carbono é reduzida.

Quando os valores de triglicéridos se encontram dentro dos parâmetros recomendados estes não constituem um problema. No entanto, quando os valores se encontram acima dos recomendados (hipertrigliceridemia) existe um aumento do risco cardiovascular, nomeadamente se existirem também outros parâmetros alterados, como o colesterol LDL ou o colesterol HDL.

Os valores de referência para os triglicéridos são <150mg/dl, sendo que quando estes se encontram acima do limite recomendado é necessário identificar os fatores que estão na origem do mesmo e atuar na normalização dos valores.

A hipertrigliceridemia é uma dislipidemia (alterações de lípidos no sangue), sendo um fator de risco para o aparecimento de doenças cardiovasculares. Podemos dividir as dislipidemias em:

  • Hipertrigliceridemia (triglicéridos elevados);
  • Hipercolesterolemia (colesterol elevado);
  • Dispilidemia mista;
  • Hipolipidemia.

Saiba, aqui, tudo sobre dislipedemias.

Fatores de risco da hipertrigliceridemia

Existem alguns fatores considerados de risco para as alterações nos níveis de triglicéridos, nomeadamente:

  • Familiares diretos com valores de triglicéridos e colesterol elevados;
  • Alimentação desequilibrada;
  • Obesidade (excesso de peso);
  • Diabetes;
  • Pancreatite aguda;
  • Hipotiroidismo;
  • Ingestão excessiva de álcool;
  • Tabagismo;
  • Sedentarismo.

De forma a que exista um controlo dos níveis de triglicéridos é importante perceber quais os fatores que estão na origem desta alteração, de modo a direcionar a abordagem terapêutica.

Tratamento da hipertrigliceridemia

O tratamento da hipertrigliceridemia tem como objetivo a normalização dos valores de triglicéridos no sangue e, desta forma diminuir o risco cardiovascular do indivíduo.

A terapêutica aplicada pode passar pela prescrição de medicação (medicamentos / remédios) pelo médico simultaneamente com alterações no estilo de vida.

As alterações no estilo de vida, nomeadamente alterações nos hábitos alimentares, assim como a prática regular de exercício físico, são essenciais não só para a normalização dos valores de triglicéridos, mas também para a prevenção da sua subida no sangue.

Alterações no estilo de vida

De forma a atuar no controlo ou prevenção dos níveis de triglicéridos é fundamental a adoção de um estilo de vida saudável, no qual uma alimentação saudável, equilibrada e adaptada às necessidades individuais tem um papel fundamental.

Ao nível nutricional, é recomendado que a ingestão energética diária seja adequada ao gasto do indivíduo, de forma a garantir que não existe um consumo energético superior às necessidades diárias. Também o consumo de gordura saturada, açúcar (incluindo a frutose da fruta) e de álcool deverá ser limitado, sendo que no caso do álcool o seu consumo é mesmo desaconselhado.

O ómega-3 está associado a um bom funcionamento do sistema cardiovascular, uma vez que possui um efeito positivo na diminuição dos níveis de triglicéridos e no aumento do colesterol HDL (também chamado de “colesterol bom”). Assim, é recomendada a inclusão frequente de alimentos ricos em ómega-3, como por exemplo peixes gordos, sementes como a linhaça e o cânhamo, nozes e beldroegas.

Paralelamente também o excesso de peso e a obesidade, assim como a acumulação de gordura visceral (gordura acumulada na zona abdominal em redor dos órgãos), constituem um fator de risco para o aumento os triglicéridos, sendo recomendado manter um peso saudável.

A prática de exercício físico de forma regular é um ponto essencial e um bom aliado no controlo dos níveis de triglicéridos, uma vez que irá auxiliar no aumento do gasto energético, permitindo gastar o excesso de calorias ingeridas e, impedindo a sua transformação em triglicéridos, assim como irá ajudar na manutenção de um peso saudável.

Recomendações alimentares para o controlo da hipertrigliceridemia

As recomendações alimentares para o controlo dos níveis de triglicéridos passam pela inclusão e exclusão de alguns alimentos.

Deverá ser privilegiado o consumo dos seguintes alimentos:

  • Fruta e legumes, de preferência produtos frescos, optando pelos produtos locais e da época (o consumo de fruta deverá ser adequado a cada indivíduo devido ao seu teor de sacarose e frutose);
  • Cereais integrais (como por exemplo o arroz integral e a aveia integral) e frutos oleaginosos (como por exemplo amêndoas, nozes, avelãs);
  • Azeite virgem extra como a gordura de eleição para temperar e/ou cozinhar;
  • Pescado, incluindo pelo menos 2 a 3 vezes por semana peixe gordo, como por exemplo: sardinha, cavala e salmão (o peixe gordo é uma excelente fonte de ómega 3);
  • Lacticínios com um baixo teor de gordura;
  • Carnes brancas, como as aves e o coelho.

Deverá ser limitado o consumo dos seguintes alimentos:

  • Cereais e farinhas refinadas (por exemplo as utilizadas para confecionar pão e massas) e arroz branco;
  • Controlo e redução (depende de individuo para indivíduo) do consumo de fruta, pois esta possui quantidades significativas de sacarose e frutose;
  • Carnes vermelhas, como vaca, borrego, porco ou vitela;
  • Produtos de salsicharia e charcutaria (por exemplo, salsichas, salame, bacon);
  • Lacticínios com um teor de gordura mais elevado, como natas, leite gordo e queijos gordos;
  • Óleos vegetais, margarinas, manteiga, banha e molhos com gordura;
  • Sal adicionado (pode substituir o sal por especiarias e ervas aromáticas nos seus cozinhados);
  • Açúcares simples e alimentos processados (como por exemplo bolachas, biscoitos, alimentos pré-confecionados);
  • Bebidas açucaradas, como sumos refrigerantes e os sumos naturais (mesmo sendo um sumo 100% fruta irá ter um teor de açúcar mais elevado);
  • Eliminar a ingestão de bebidas alcoólicas.

Os triglicéridos podem ser um sinal de doenças ou um efeito secundário de medicamentos que esteja a tomar, pelo que caso tenha o valor dos triglicéridos acima dos 150mg/dl fale com o seu médico sobre as opções terapêuticas disponíveis e mais adequadas à sua situação.

Caso tenha dúvidas sobre as alterações alimentares que deverá fazer para controlar os níveis de triglicéridos ou para prevenir que estes aumentem para valores superiores ao recomendado consulte um nutricionista.

Clínica de Nutrição