Fibromialgia

Fibromialgia

O que é a fibromialgia?

A fibromialgia é uma patologia de etiologia desconhecida que causa dor e sensibilidade (sensibilidade ao toque) generalizada. Este tipo de dor e sensibilidade podem sentir-se de forma mais constante ou surgir em surtos (aparecer e desaparecer). Na maioria dos casos de fibromialgia crónica (longo prazo), os doentes sentem um cansaço incapacitante, possuem problemas de sono (insónias), entre outros sinais e sintomas, conforme discutiremos adiante.

A fibromialgia é mais frequente em mulheres, embora possa também ocorrer em homens, podendo atingir todas as faixas etárias, sendo, no entanto, rara em crianças e jovens.

Existem algumas opções terapêuticas, capazes de aliviar o desconforto provocado pela doença, permitindo melhorar substancialmente a qualidade de vida dos doentes. Veja mais informação em “tratamento da fibromialgia”.

Sinais e sintomas da fibromialgia

A sintomatologia ocasionalmente manifesta-se após um evento, quer seja após trauma físico, cirurgia, infeção ou stress psicológico significativo. Noutros casos, a sintomatologia desenvolve-se gradualmente ao longo do tempo sem um evento precipitante evidente.

Os principais sinais e sintomas da fibromialgia incluem:

  • Dor generalizada - a dor associada à fibromialgia é frequentemente descrita como uma dor constante que dura pelo menos três meses. Para ser considerada generalizada, a dor deve ocorrer em ambos os lados do corpo, acima e abaixo da zona da cintura. Veja mais informação em “Diagnóstico da fibromialgia”;
  • Fadiga - Pessoas com fibromialgia muitas vezes acordam cansadas, mesmo quando dormem longos períodos de tempo. O sono é muitas vezes interrompido pela dor, e muitos pacientes com a doença têm outros distúrbios do sono, como síndrome das pernas inquietas e apneia do sono.
  • Dificuldades cognitivas - a fibromialgia pode afetar a capacidade de concentração e prestar atenção em qualquer situação.

● Entre outros.

A fibromialgia frequentemente coexiste com outras patologias, a saber:

Causas da fibromialgia

Acredita-se que a fibromialgia aumenta as sensações dolorosas, afetando a forma como o cérebro e a medula espinhal processam sinais de dor, no entanto, a causa específica da patologia, não é conhecida.

Acredita-se que existem inúmeros fatores que podem estar na origem do seu desenvolvimento, a saber:

  • Hereditariedade (genética) - A fibromialgia pode estar presente mais frequentemente em algumas famílias. Os familiares podem passar genes que tornam o paciente mais sensível à dor. Outra combinação de fatores genéticos também pode torná-la mais propícia a desenvolver ansiedade ou depressão, o que agrava a sensação de dor;
  • Outras patologias subjacentes - Uma doença como artrite ou uma infeção está associada a maior probabilidade de desenvolvimento de fibromialgia;
  • Abuso emocional ou físico - Por exemplo, nos casos de abusos sexuais na infância, como evento traumático aumenta o risco de desenvolver fibromialgia aquando do crescimento. Uma explicação para esta associação pode estar relacionada com a forma como o cérebro lida com a dor e o stress;
  • Perturbação de stress pós-traumático (PSPT) - Algumas pessoas com PSPT que sofreram um evento traumático, como guerra, acidente de viação, etc. possuem um risco acrescido de desenvolver fibromialgia;
  • Sexo feminino - A fibromialgia é muito mais comum no sexo feminino do que no sexo masculino, porém não existe ainda uma justificação;
  • Ansiedade e depressão - A ansiedade e a depressão podem estar ligadas à fibromialgia, dado que muitos doentes que padecem destas patologias desenvolvem fibromialgia;
  • Sedentarismo - A fibromialgia é muito mais comum em pessoas que não são fisicamente ativas. O exercício físico está entre os melhores tratamentos para a fibromialgia e pode ajudar a diminuir a dor;
  • Entre outras.

Diagnóstico da fibromialgia

O diagnóstico da fibromialgia é realizado, geralmente, através da história clínica do doente e de um exame físico completo, em conjunto com alguns meios complementares de diagnóstico e terapêutica (MCDT).

O principal fator necessário para um diagnóstico de fibromialgia é a dor generalizada em todo o corpo durante, pelo menos, três meses, sendo um diagnóstico de exclusão.

Para cumprir os critérios, o paciente deve apresentar dores em pelo menos quatro destas cinco áreas:

  • Região superior esquerda, incluindo ombro, braço ou maxilar;
  • Região superior direita, também incluindo ombro, braço ou maxilar;
  • Região inferior esquerda, incluindo anca, nádega ou perna;
  • Região inferior direita, também incluindo anca, nádega ou perna;
  • Região axial, que inclui pescoço, costas, tórax ou abdómen.

Nenhum teste de laboratório ou exame de imagem consegue detetar a fibromialgia, no entanto, o médico especialista pode usar outros exames para ajudar a descartar outras possíveis causas da dor crónica.

Para além da fibromialgia, muitas outras patologias podem estar relacionadas com dores em alguma parte do corpo, como a dor nas costas, dor nos ombros, dor nos joelhos, dor nas mãos, dor nos pés, etc.

A fibromialgia tem cura?

Atualmente, não há cura para a fibromialgia devido ao desconhecimento da causa exata desta patologia.

O objetivo do tratamento da fibromialgia visa apenas melhorar ou tentar controlar os sinais e sintomas provocados pela doença, por isso, o prognóstico da mesma pode ser extremamente variável.

Tratamento da fibromialgia

Em geral, os tratamentos na fibromialgia incluem medicação e estratégias de auto-cuidado como melhorar a alimentação, através de uma dieta rica e equilibrada. Como referido anteriormente, o objetivo é minimizar a sintomatologia e melhorar a saúde geral do paciente.

Nenhum tratamento funciona de igual forma para todos os sintomas, no entanto, optar por uma variedade de opções terapêuticas pode ter um efeito mais eficaz, a saber:

Tratamento medicamentoso

Certos medicamentos (remédios) podem ajudar a reduzir a dor associada à fibromialgia e melhorar o sono, a saber:

  • Analgésicos como acetaminofeno, ibuprofeno, ou naproxeno podem ser úteis para aliviar os pontos dolorosos. Medicamentos opióides não são recomendados, porque podem levar a efeitos colaterais significativos e dependência, piorando a dor ao longo do tempo;
  • Antidepressivos como duloxetina podem ajudar a aliviar a dor e a fadiga associada com a fibromialgia. O médico especialista pode prescrever amitriptilina ou um relaxante muscular para ajudar a promover o sono;
  • Fármacos projetados para tratar a epilepsia são muitas vezes úteis na redução de certos tipos de dor;
  • Entre outros.

Outras terapias

Existe uma grande variedade de terapias que podem ajudar a reduzir o desconforto causado pela fibromialgia e, assim, melhorar a qualidade de vida dos doentes, a saber:

  • Fisioterapia: Um fisioterapeuta pode ensinar exercícios que podem melhorar a força, flexibilidade e resistência do doente, especialmente quando aplicados na água como na hidroterapia (tratamento termal);
  • Terapia ocupacional: Um terapeuta ocupacional pode ajudar a fazer ajustes na área de trabalho ou a forma como o doente executa certas tarefas que causarão menos stress no dia a dia;
  • Acompanhamento psicológico: O auxílio de um psicólogo pode permitir fortalecer a motivação do paciente e ensinar-lhe estratégias para o ajudar a lidar com situações de grande stress;
  • Entre outras.

Saiba, aqui, tudo sobre o tratamento termal na fibromialgia.

Clínica de Medicina Interna