Estudo urodinâmico

Estudo urodinâmico

O que é um estudo urodinâmico?

Um estudo urodinâmico é um exame que imita a fase de armazenamento e de esvaziamento da bexiga, permitindo avaliar diferentes variáveis como a sensibilidade da bexiga, o seu volume de enchimento máximo, as propriedades elásticas, a presença de contrações involuntárias e a sua capacidade para se esvaziar.

O estudo urodinâmico completo pressupõe a avaliação de:

  • Cistometria – avaliação das pressões na bexiga durante o enchimento vesical (da bexiga) de forma artificial (cistometria de enchimento);
  • Estudo pressão-fluxo - avaliação das pressões durante a micção (esvaziamento da bexiga);
  • Perfilometria uretral - avaliação das pressões na uretra;
  • Electromiografia - dos músculos pélvicos (EMG).

Em alguns casos, o exame pode ser complementado com estudo por raios-x / fluorosocopia, conhecido nesse caso por “estudo vídeo-urodinâmico”.

Indicações do estudo urodinâmico

Este teste é muito importante e executado frequentemente na prática clínica, habitualmente por médicos urologistas (especialistas em urologia).

O exame serve para auxiliar o médico no diagnóstico de alterações no funcionamento da bexiga, bem como para avaliar a resposta aos tratamentos instituídos .

O estudo urodinâmico tem indicação  para o estudo de muitas doenças da bexiga, nomeadamente em patologias que condicionam alterações do padrão normal do armazenamento da urina na bexiga e do ato da micção. São exemplos:

Qual é o objectivo do teste?

Este exame destina-se a tentar reproduzir os sintomas urinários que o doente sente no seu dia-a-dia. O exame permite simular as duas fases (fase de enchimento da bexiga e fase de esvaziamento da bexiga).

Durante esse processo são avaliadas as seguintes variáveis:

  • Sensibilidade da bexiga;
  • Volume de enchimento máximo;
  • Propriedades elásticas;
  • Presença de contrações involuntárias;
  • Capacidade de esvaziamento.

Preparação para o exame

Não é necessária nenhuma preparação prévia especial para realizar este exame em adultos.

Para bebés e crianças , a preparação depende da idade da criança, das experiências anteriores e do grau de confiança.

Como é feito um estudo urodinâmico?

Antes do estudo cistométrico (fase de armazenamento da bexiga), o doente pode ser solicitado a urinar para um recipiente especial que está ligado a um computador que regista diferentes valores. Este tipo de estudo é chamado de urofluxometria, durante o qual o computador regista diferentes valores, a saber:

  • O tempo que demora para começar a urinar;
  • A força e a continuidade do fluxo urinário;
  • A quantidade de urina;
  • O tempo que demora para esvaziar a bexiga.

Após este estudo inicia-se a preparação para o estudo das pressões na bexiga (cistometria e pressão-fluxo).

O doente é deitado numa marquesa e é inserido suavemente um tubo flexível (sonda de esvaziamento) na sua bexiga para medir o volume de urina que ficou na bexiga e avalia-se, através de uma tira-teste, se existem indícios de infeção urinária.

Caso não exista infeção, é então inserido um pequeno tubo (milimétrico) na uretra que irá permitir encher artificialmente a bexiga com soro e avaliar ao mesmo tempo as pressões dentro da bexiga.

Em seguida, um outro pequeno cateter é colocado no reto para medir a pressão abdominal. Junto ao ânus podem ser colocados 2 adesivos (elétrodos), semelhantes aos utilizados para um ECG, para medir a contração dos músculos do pavimento pélvico (nomeadamente o esfíncter urinário).

Inicia-se, então, o estudo: o soro começa a fluir para a bexiga a uma taxa controlada. Durante o exame o médico vai-lhe perguntando sobre a sua vontade para urinar e pedindo para realizar uma série de exercícios (tossir, mexer em água fria, fazer força com a barriga, etc.). A primeira fase do estudo termina quando a pessoa já não tolera mais o enchimento da bexiga.

Este tipo de teste pode revelar muita informação sobre as funções da bexiga.

A segunda fase do ciclo é mais simples e consiste em urinar para um recipiente que está colocado por debaixo de uma cadeira que imita uma sanita. Os cateteres colocados na fase inicial do exame devem manter-se no local. Por norma, o estudo urodinâmico feminino é realizado de tal forma que permite que as mulheres urinem sentadas. Por sua vez, o estudo masculino é realizado de tal forma que possibilita que os homens urinem de pé.

Por fim, o médico faz a interpretação do exame, através da correlação dos valores e das ocorrências observados durante o procedimento. O resultado do exame deverá ser correlacionado com a história clínica e com os demais meios complementares de diagnóstico e terapêutica (MCDT) realizados.

O que pode sentir durante o exame?

Durante o exame pode surgir algum desconforto pélvico, ainda que não se trate de um exame doloroso, na maioria dos casos. O doente pode, no entanto, referir diferentes sensações consoante o tipo de problemas subjacentes:

  • Dor na bexiga;
  • Náuseas ou vómitos;
  • Suores;
  • Necessidade urgente de urinar.

Quem pode realizar o exame?

O estudo urodinâmico pode ser realizado por pessoas de praticamente todas as idades desde que consigam compreender e cumprir as indicações fornecidas durante o exame e que tolerem o posicionamento na marquesa e a colocação das sondas. 

Existem algumas limitações inerentes a crianças muito jovens, idosos ou pessoas com algum tipo de demência, limitação física ou mental relevante. Pessoas com traumatismos vertebro-medulares devem ser vigiadas de perto durante o exame e eventualmente realizar uma profilaxia para prevenir eventos de disreflexia autonómica, de acordo com as indicações do seu médico.

Quanto tempo demora o exame?

A duração do exame vai variar de médico para médico, nomeadamente da velocidade de enchimento vesical e do número de vezes que é repetido o exame até se obterem as respostas necessárias.

Em média, um estudo urodinâmico completo poderá ter uma duração entre 45 minutos a 90 minutos (1 hora e 30 minutos).

Limitações do estudo urodinâmico

Existem algumas limitações no estudo urodinâmico. A mais importante ocorre quando, em certos casos, não é possível replicar os sintomas do doente. O objetivo base do estudo é imitar as queixas referidas pelo paciente e avaliar a sua relação com o traçado demonstrado no computador. Em algumas situações, seja por stress psicológico da pessoa, por alterações farmacológicas ou simplesmente por não ser possível imitar no consultório as situações em que ocorrem as queixas do doente, pode não ser possível recriar os sintomas, tornando o exame nestes casos pouco informativo.

Em condições naturais, o enchimento da bexiga decorre a uma velocidade inferior ao que está preconizado no estudo urodinâmico, sendo este também um fator potencialmente limitador da avaliação. A alternativa seria realizar um estudo urodinâmico contínuo ao longo de um dia inteiro, sobreponível ao dia-a-dia da pessoa. Este modo de exame é muito pouco realizado em Portugal, sendo de difícil avaliação e interpretação.

O que acontece depois do exame urodinâmico?

Depois de realizar o exame, o doente pode sentir um leve desconforto durante algumas horas quando urina.

Aumentar a ingestão de água (beber água de forma mais abundante) nas primeiras horas após o exame pode ajudar a reduzir o desconforto. O médico pode, ainda, recomendar que tome um banho quente ou colocar um pano morno e húmido sobre a abertura da uretra para aliviar o desconforto.

Alguns médicos podem optar por prescrever um antibiótico por um curto período de tempo, mas nem sempre tal ocorre, dependendo da avaliação clínica. Pessoas com sinais de infeção após o exame - incluindo dor, calafrios ou febre - devem ser observadas por um médico logo que possível.

Saiba, aqui, tudo sobre infeção urinária.

Quanto custa um estudo urodinâmico?

O preço de um estudo urodinâmico, se realizado a título particular, é fixado pela clínica de urologia que executa o exame.

O valor do exame pode oscilar de acordo com o subsistema de saúde (ex. SNS, ADSE, …). Em alguns casos, os exames podem não possuir qualquer custo, ou estarem limitados ao pagamento de uma taxa moderadora.

Obtenha mais informações sobre custos de exames e saiba onde fazer o estudo urodinâmico, selecionando o seu concelho de residência.

medico-concelho.jpg