Anemia

Anemia

O que é a anemia?

A anemia é uma patologia que se caracteriza por uma deficiência no tamanho ou número de glóbulos vermelhos (também chamados de hemácias ou eritrócitos) no sangue ou na quantidade de hemoglobina que estes contêm.

A anemia é um problema de saúde pública que a Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que afete cerca de 42% das crianças com menos de 5 anos de idade e 40% das mulheres grávidas, no entanto para Portugal não existem ainda números concretos.

Os glóbulos vermelhos possuem na sua constituição hemoglobina, que é uma proteína responsável pelo transporte de oxigénio no sangue. Na anemia esta deficiência provoca uma limitação na troca do oxigénio e do dióxido de carbono entre o sangue e as células.

A concentração de hemoglobina necessária para as necessidades fisiológicas do organismo depende de vários fatores e varia com a idade, sexo, hábitos tabágicos e gravidez.

Para que ocorra a produção de glóbulos vermelhos e hemoglobina pelo corpo são necessários alguns nutrientes obtidos através da dieta, tais como: o ferro, vitamina B12 e ácido fólico, sendo que a maioria das anemias é causada pela falta destes nutrientes.

Tipos de anemia

Existe vários tipos de anemia, sendo que a classificação é baseada no tamanho da célula.

1. Macrocítica (grande) – esta é caracterizada por hemácias maiores do que o normal e um aumento do volume corpuscular médio:

  • Magalobástica;
  • Perniciosa;
  • Anemia de Fanconi.

2. Normocítica (normal) – esta pode ter na sua origem uma perda de sangue aguda, doença crónica ou numa falha na produção:

  • Aplástica;
  • Falciforme;
  • Hemolítica.

3. Microcítica (pequena) – esta é caracterizada por hemácias menores do que o normal e menos hemoglobina circulante, como em casos de deficiência de fero e na talassemia

  • Ferropriva;
  • Sideroblástica;
  • Talassemia.

Causas da anemia

A anemia pode ter na sua origem diferentes causas, existindo diversos fatores que podem promover ou facilitar o seu aparecimento.

Para a produção de glóbulos vermelhos e da hemoglobina é necessário que existam disponíveis alguns nutrientes, sendo que uma das causas mais comuns de anemia são as carências nutricionais, em especial a carência de ferro, mas também a de vitamina B12.

A anemia pode surgir devido a uma baixa produção de glóbulos vermelhos pela medula óssea, uma destruição elevada dos glóbulos vermelhos pelo corpo ou devido a uma perda de glóbulos vermelhos através de hemorragias (sangramento).

Entre os principais fatores que podem levar ao surgimento da anemia temos:

  • Carência de ferro;
  • Doenças crónicas (como por exemplo cancro, infeção por VIH / SIDA, artrite reumatóide, insuficiência renal);
  • Doenças intestinais (em especial quando existe comprometimento da absorção de nutrientes);
  • Hereditariedade (componente genética);
  • Atividade física intensa;
  • Outros fatores (como por exemplo menstruação, gravidez, alcoolismo ou alguns tipos de medicamentos).

Diagnóstico da anemia

O diagnóstico de anemia é efetuado com recurso a análises ao sangue, através da realização de um hemograma.

Uma vez identificada a presença de anemia poderá ser necessário recorrer a exames adicionais de forma a identificar a causa da mesma e, desta forma direcionar o tratamento.

Sinais e sintomas da anemia

Os sintomas da anemia podem passar despercebidos durante a fase inicial ou, até ser inicialmente confundida com cansaço ou fadiga.

À medida que a anemia vai avançando começam a surgir cada vez mais sintomas. Numa fase mais avançada os principais sintomas que se podem manifestar são:

  • Falta de força generalizada;
  • Palidez;
  • Dores de cabeça;
  • Alterações do sono;
  • Tonturas;
  • Dificuldade de concentração;
  • Depressão;
  • Tensão arterial baixa;
  • Ritmo cardíaco acelerado;
  • Respiração acelerada com sensação de opressão;
  • Desmaios;
  • Unhas quebradiças;
  • Perda de apetite;
  • Extremidades frias.

Tratamento da anemia

O tratamento da anemia deve ser orientado conforme o tipo de anemia e a sua causa, mas passa pela reposição dos níveis normais de glóbulos vermelhos e de hemoglobina.

No caso da anemia originada pela carência de ferro ou de vitamina B12, o tratamento baseia-se na administração de suplementos de ferro ou de vitamina B12, respetivamente.

Paralelamente, é necessário a adoção de uma dieta equilibrada e que permita suprimir as necessidades nutricionais do indivíduo, nomeadamente as necessidades diárias de ferro.

Abordagem nutricional

Para além da suplementação de ferro, a adoção de uma dieta equilibrada e que suprima as necessidades nutricionais do indivíduo é essencial e, pode ajudar a reverter a anemia, dependendo da sua causa, ou a prevenir o seu desenvolvimento.

A abordagem nutricional passa pela inclusão de alimentos fornecedores de ferro na alimentação, potenciar a sua absorção pelo organismo, como por exemplo, através da inclusão de mais vitamina C na dieta e através da redução dos alimentos que interferem na absorção do ferro.

Dieta rica em ferro

Sendo que uma grande maioria das anemias tem na sua origem uma carência de ferro, a adoção de uma dieta rica neste nutriente e que suprima as necessidades diárias do indivíduo é essencial.

As recomendações de ferro por dia variam de homem para mulher e são de 8mg de ferro por dia para homem e 18mg de ferro por dia para mulheres. No caso dos indivíduos vegetarianos os valores recomendados são maiores, sendo recomendada uma ingestão de 14mg de ferro por dia para homem e 32mg de ferro por dia para mulheres.

Os alimentos com um maior teor de ferro e os quais deverão ser incluídos em maior quantidade na alimentação diária são:

De origem animal:

  • Carne, em especial as carnes vermelhas;
  • Vísceras, como fígado, rim e coração;
  • Ovos.

De origem vegetal:

  • Cereais integrais (trigo, milho, centeio, aveia, cevada);
  • Leguminosas (feijão, grão, lentilhas, ervilhas, favas, tremoços);
  • Legumes verde escuros (como por exemplo, salsa, espinafres, agrião, brócolos, couve);
  • Frutos oleaginosos (como por exemplo amêndoa, avelã, noz);
  • Sementes (sésamo, cânhamo, abóbora);
  • Tofu.

Aumentar o consumo de vitamina C

A vitamina C não contribui para a produção de hemoglobina, mas promove a absorção de ferro pelo organismo. A absorção de ferro é assim maior quando os alimentos ricos em ferro são acompanhados por fontes alimentares de vitamina C.

Como tal, é essencial a conjugação de alimentos ricos de vitamina C com os alimentos ricos em ferro.

A grande maioria dos legumes e frutas são excelentes fontes de vitamina C, no entanto podemos destacar os seguintes:

  • Frutas: kiwi, frutas cítricas, morangos, abacaxi, melão, papaia, goiaba e uvas;
  • Legumes: brócolos, couve portuguesa, couve de Bruxelas, couve flor, pimento, tomate e legumes verde escuro, como por exemplo espinafres, rúcula, agrião.

Reduzir o consumo de alimentos que prejudicam a absorção de ferro

Existem determinados alimentos que promovem a diminuição da absorção de ferro pelo organismo, tais como: chá, café e cacau. Estes alimentos são ricos em compostos como os taninos e polifenóis que interferem com a absorção de ferro pelo organismo.

Para evitar a diminuição da absorção de ferro é assim recomendado:

  • Evitar ingerir chá ou café com a refeição ou pelo menos 1 a 2 horas após o término da mesma;
  • Evitar tomar suplementos de cálcio ou leite e derivados com ou após a refeição, uma vez que estes são fontes de cálcio que diminui a absorção de ferro.

Correção dos níveis de Vitamina B12

Para a produção de glóbulos vermelhos pelo organismo também é necessária a existência de níveis adequados de vitamina B12, podendo também surgir anemia no seguimento de baixos níveis de vitamina B12, como a anemia megaloblástica.

Caso a anemia tenha origem numa baixa ingestão de vitamina B12, paralelamente à suplementação recomendada, também é necessário o reforço desta vitamina na alimentação.

Os principais alimentos fornecedores de vitamina B12 são:

  • Fígado;
  • Ostras;
  • Marisco;
  • Ovos;
  • Levedura nutricional.

Caso suspeite que tenha anemia deverá informar o seu médico. O seu diagnóstico é feito através de análises ao sangue e o tratamento adaptado à causa da mesma.

Paralelemente, a consulta de nutrição com um nutricionista pode ajudar a ajustar a sua alimentação às suas necessidades nutricionais e garantir que suprime as necessidades de vitaminas e minerais, como o ferro e a vitamina B12, potenciando o tratamento efetuado com o seu médico.

Clínica de Nutrição