Frenectomia

Frenectomia

O que é frenectomia?

Frenectomia é a designação atribuída a uma pequena cirurgia que consiste em cortar e remover o freio, que é uma “prega” fina de tecido fibroso (tipo membrana), presente na boca. 

Nalguns casos, torna-se suficiente seccionar ou cortar parcialmente esse freio, visando alterar apenas o nível da sua inserção nos tecidos moles, por forma a dividi-lo ou reduzir o seu tamanho, sendo que neste caso passamos a denominar esta pequena operação cirúrgica de frenotomia, em vez de frenectomia.

Frenectomia lingual, labial

Em odontologia, existem basicamente 2 tipos de freios:

  1. Freios labiais (superior e inferior), localizados na linha mediana, sendo visíveis quando levantamos o lábio superior ou baixamos o inferior, e que se estendem desde o interior do lábio até à gengiva vestibular (frontal), tanto no maxilar superior como no inferior;
  2. Freio lingual, localizado no ventre da língua (por baixo da língua), e que se insere desde a língua ao soalho da boca.

Consoante o tipo de freio, denominamos de frenectomia lingual, no caso de secção do freio lingual, e frenectomia labial no caso dos freios labiais. No caso desta subdividimos em frenectomia labial superior, que como o próprio nome indica, é realizada no freio do lábio superior, e frenectomia labial inferior, que como o próprio nome indica, aquela que é efetuada no freio do lábio inferior.

Lateralmente aos freios labiais, podem ainda existir outras “pregas” fibrosas mais largas, chamadas de bridas, que são em quase tudo semelhantes aos freios. Diferem apenas na sua localização e dimensão em largura, que pode variar de alguns mm a 1 cm, por sua vez os freios geralmente não têm mais que 1 a 2 mm.

Apesar destas “membranas” não terem tanta tendência a apresentarem uma inserção baixa e implicarem tantas limitações como os freios, por vezes têm também de ser removidas, nomeadamente quando causam interferências funcionais, ou se tornam inconvenientes para a estabilidade e retenção das próteses, ou ainda quando interferem na correção ortodôntica.

A cirurgia para desinserção e eliminação do tecido fibroso das bridas segue também um protocolo idêntico à remoção dos freios, mas neste caso o procedimento é designado de bridectomia, pela sua diferente denominação.

clinica-dentaria.png

Frenectomia - indicações

A cirurgia de Frenectomia é indicada nas seguintes situações, consoante o tipo de freio considerado, a saber:

1. Frenectomia labial:

  • Presença de diastema interincisivo (dentes separados devido a espaço entre os dois incisivos centrais), associado à presença entre os mesmos de fibras do freio com inserção baixa, ao nível da papila interdentária, impedindo assim o fecho natural desse espaço;
  • Eventual limitação da mobilidade do lábio, resultante de uma inserção muito baixa do freio labial;
  • Motivos estéticos, principalmente nas situações de sorriso alto, ou seja, quando a pessoa expõe, ao sorrir, uma maior porção de gengiva ântero/superior, o chamado sorriso gengival;
  • Alterações da fonética (normalmente associadas à presença de um diastema de grande dimensão);
  • Quando interfere com a correção ortodôdontica (ortodontia);
  • Quando interfere na estabilidade e retenção de próteses dentárias.

2. Frenectomia lingual:

  • Limitação dos movimentos da língua quando o freio é muito curto, inserindo-se muito perto da ponta da língua;
  • Alterações da fala (fonética), pelo mesmo motivo;
  • Transtornos ou dificuldade na mastigação, também pelo mesmo motivo;
  • Lesões traumáticas, resultantes do “roçar” do freio nos incisivos inferiores, devido à grande proximidade entre as duas estruturas.

Os casos de freio lingual muito curto que fazem a língua ficar “presa” (anquiloglosia), são mais prevalentes nos recém-nascidos e lactantes, podendo causar-lhes transtornos na alimentação, incluindo na sucção, pelo que a frenectomia lingual em bebe é um procedimento muitas vezes necessário para corrigir estas limitações. Se o problema for corretamente diagnosticado, a cirurgia pode realizar-se independentemente da idade, desde que o bebé não apresente qualquer contraindicação específica para o fazer.

Já quanto à idade ideal para se realizar a frenectomia labial, existem algumas considerações a ter em conta, pois existem situações que logo aos 2 anos de idade é possível identificar situações bem marcadas de um freio mais hipertrofiado (mais grosso) que o normal, de reservado prognóstico de regressão, pelo que nestes casos poder-se-á desde logo considerar a realização da cirurgia. Contudo, existem situações em que um freio anormal entre os 2 e os 4 anos, pode evoluir naturalmente para uma situação normal aos 8 ou 9 anos, consequência do natural alongamento da língua, pelo que muitas vezes se fica na expetativa, aguardando-se a possível e natural regressão do freio, a menos que hajam fortes evidências de que o impedimento do fecho de diastemas interincisivos seja causado por esse freio labial, e que isso esteja a implicar algum tipo de transtorno.

Assim sendo, torna-se algo discutível indicar com exatidão a partir de que idade se deve efetuar a frenectomia labial, havendo contudo alguma concordância de que este procedimento pode ou deve, esperar pela erupção completa dos dentes caninos, o que ocorre por norma entre os 11 e os 13 anos de idade. Estes dentes vão exercer forças mesiais que poderão fazer com que o freio se afaste da região interincisiva, promovendo o fecho natural dos diastemas.

Veja de seguida, passo a passo, como é realizada a cirurgia.

clinica-dentaria.png

Como é realizada a cirurgia?

A cirurgia de Frenectomia é geralmente simples e possível de ser feita através de duas formas distintas, que passamos a descrever:

Cirurgia convencional - é realizada com bisturi normal ou convencional, sendo feitas incisões para corte ou secção do freio, no sentido de o remover parcial ou totalmente. Após este procedimento, é efetuada a sutura dos tecidos moles, com pontos reabsorvíveis ou não reabsorvíveis, sendo que estes últimos terão que ser posteriormente removidos (entre 7 a 10 dias).

Cirurgia a laser - a frenectomia a laser difere basicamente da convencional na utilização do bisturi, que é substituído pelo bisturi elétrico, de função semelhante, mas que permite reduzir o tempo da cirurgia, pois para além de cortar, promove também a coagulação e a esterilização de imediato. Para além disso, regra geral, não implica sutura, e como tal também reduz o edema e o trauma dos tecidos moles eventualmente associados aos pontos de sutura. Por estes factos, o pós-operatório fica mais facilitado, sendo por isso cada vez mais considerada a frenectomia a laser em odontopediatria e nos adultos.

A, cirurgia de frenectomia, independentemente do método ou técnica cirúrgica utilizada, não implica dor, pois a operação é realizada sob anestesia local e o pós-operatório, por norma, também não implica qualquer sintomatologia relevante.

Frenectomia - riscos, complicações

A frenectomia é uma cirurgia que apresenta riscos reduzidos, no entanto podem ocorrer algumas complicações pós-operatórias, como por exemplo, dor, pequenas hemorragias ou sangramento excessivo (principalmente na frenectomia lingual), edema, inflamação ou infeção (ainda que raramente), entre outras de menor relevo.

Durante o ato cirúrgico, para além da possibilidade de sangramento excessivo, pode haver um risco de lesão de estruturas vizinhas, (principalmente nos casos de frenectomia lingual), se a técnica for executada de forma incorreta. 

De qualquer forma, estes riscos e complicações são por norma reversíveis, não deixando sequelas dignas de registo.

Frenectomia - pós operatório

De um modo geral, a recuperação da cirurgia de frenotomia é rápida, não necessitando o doente de efetuar repouso pós operatório. Pode, portanto, retomar as suas atividades imediatamente após a cirurgia, desde que obedeça a alguns cuidados no pós operatório, por forma a reduzir o tempo de recuperação, favorecendo assim a cicatrização, nomeadamente:

  • Evitar alimentos duros nos primeiros dias (preferir alimentos algo pastosos), principalmente nos casos de frenectomia lingual;
  • Evitar alimentos muito quentes nos primeiros dois dias pelo menos, sendo que após a cirurgia é também benéfica a aplicação local de frio (bolsa de gelo por ex.), nos casos de frenectomia labial;
  • Redobrar os cuidados de higiene oral, sendo que a zona da cirurgia deve ser escovada com pouca pressão e com escovas adequadas para o efeito (com cerdas muito suaves), complementado com bochechos de soluções antissépticas;
  • Tomar devidamente a medicação prescrita pelo médico dentista (normalmente analgésicos e/ou anti-inflamatórios).

Frenectomia - preço

Na frenectomia labial, o preço pode variar em função do tipo de freio e técnica ou método considerado.

Apenas a título de exemplo, podemos afirmar que o valor médio da cirurgia é relativamente baixo, mas apenas o médico dentista pode calcular com exatidão quanto custa uma cirurgia de frenectomia, após avaliação clínica em consulta médica.

Veja mais informação sobre onde fazer a frenectomia em Portugal e preços de tratamentos na clínica dentária que selecionamos no seu concelho.

clinica-dentaria.png