Otoplastia

Cirurgia de otoplastia

O que é otoplastia?

A cirurgia de otoplastia é um procedimento cirúrgico que visa eliminar ou corrigir o contorno anormal das orelhas, ou seja, a correção de orelhas proeminentes ou “descoladas”, muitas vezes conhecidas popularmente como “orelhas de abano”. Todavia, outras condições também podem ser tratadas com recurso a técnicas de otoplastia, nomeadamente, sequelas de traumatismo, ausência congénita das orelhas ou outros tipos de anomalias.

Estes problemas podem ser uni ou bilaterais, podendo inclusivamente envolver as duas orelhas de forma diferente. Em qualquer um dos casos, a principal consequência é psico-social, pois estas anomalias da orelha não afetam a audição. Por este motivo, as companhias de seguro não contemplam, na maioria dos casos, a cobertura destas situações.

Muitas vezes, este problema estético provoca problemas de autoestima e pode gerar ansiedade, interferir na relação com as outras pessoas, quer na infância quer em adultos, devendo ser equacionada a cirurgia nestes casos.

Indicações da otoplastia

As intervenções nas orelhas são efetuadas para reduzir defeitos, corrigir disparidades da forma, tamanho e angulação das orelhas proeminentes. A otoplastia também está indicada na correção de orelhas malformadas desde a nascença ou que padeceram de disformidades após um ferimento. Este tipo de procedimento pode ter como finalidade dois objetivos fundamentais, a saber: reparar, quando tenta corrigir um defeito, e simultaneamente ter um objetivo estético, visando a harmonia da forma, volume e posição da orelha.

O grau de deformidade das orelhas em abano pode ir desde o grau mais leve até ao mais grave, no entanto a indicação cirúrgica é fundamentada na insatisfação que o paciente apresenta. Existem pacientes com pequenas alterações e que se sentem muto incomodados com o facto. Os graus são fundamentados na quantidade de mudanças anatómicas da orelha em discussão. Existe também uma outra situação que deixa o paciente bastante desconfortável, que é a macrotia, ou seja, o paciente tem orelhas cujo tamanho é bastante acima do normal (orelhas muito grandes).

Qualquer pessoa pode ser submetida à cirurgia desde que reúna as condições. Mesmo as pessoas portadoras de doenças crónicas, como hipertensão arterial ou diabetes, podem ser sujeitas à operação, devendo naturalmente ter a sua doença crónica controlada antes de se submeterem à cirurgia.

Qual a idade mínima na otoplastia?

A idade mínima para a realização desta cirurgia é de 4 anos de idade. A orelha da criança nesta idade já atingiu as proporções do adulto e já fará sentido a realização de uma intervenção cirúrgica. Todos os doentes a partir desta idade sejam homens ou mulheres, podem ser submetidos à cirurgia. Ou seja, não existe uma idade máxima, podendo os doentes serem operados em qualquer altura ao longo da vida.

Quais as vantagens da otoplastia?

As vantagens da otoplastia são várias, a saber:

  • Recuperação da autoestima - A grande maioria das pessoas que possuem as orelhas proeminentes têm baixa autoestima, acabando por afetar o seu bem-estar e a sua qualidade de vida. Esta cirurgia permite ao doente recuperar a autoestima, tornando-o mais feliz e em paz consigo próprio;
  • Recuperação rápida após a cirurgia - A recuperação da otoplastia é relativamente mais rápida, quando comparada com outras cirurgias. A zona operada tende a melhorar significativamente, logo nas primeiras duas semanas após a cirurgia.
  • Ausência de cicatrizes visíveis - Os pontos são dados atrás da orelha e a incisão fica escondida.

Como é feita a otoplastia?

Apesar de ser uma cirurgia pouco invasiva, a otoplastia é realizada num bloco operatório em regime de ambulatório (o doente não necessita de ficar internado).

É realizada uma incisão atrás da orelha, através da qual a cartilagem é exposta e moldada com fios de sutura. Por vezes, há necessidade de retirar um pequeno pedaço da cartilagem, permitindo que as orelhas consigam ficar mais próximas da cabeça, na simetria adequada, conferindo assim à orelha uma nova anatomia.

Posteriormente, o cirurgião plástico efetua as suturas (pontos) que pela sua localização e dimensões ficam escondidas. Dependendo do problema a corrigir, podem ser efetuadas outras intervenções para tratar questões funcionais ou meramente estéticas.

O cirurgião plástico coloca um penso nas orelhas que deverá ser mantido durante 24 horas, com o intuito de proteger a região operada.

A cirurgia é, habitualmente, realizada sob anestesia geral. Também é possível realizá-la sob anestesia local ou com recurso a sedação e anestesia local. A seleção do tipo de anestesia será feita de acordo com a intervenção cirúrgica prevista.

Independentemente do tipo de anestesia, o facto de se tratar de uma intervenção minimamente invasiva, permite um pós-operatório muito mais facilitado, podendo o doente regressar a casa após a intervenção.

Geralmente, os pontos são internos e absorvíveis, não precisam, portanto, de ser retirados.

Os pensos são genericamente efetuados com a aplicação de uma pomada cicatrizante e de gaze. Eles são realizados no final da cirurgia e retirados, pelo médico, ao fim de 24 a 48 horas da cirurgia. Se houver necessidade de novo penso, o doente será informado de como e onde poderá fazê-lo.

Deverá ser utilizada uma faixa de tecido compressiva específica nos casos de correção de orelha de abano, durante a noite no primeiro mês após a intervenção cirúrgica.

A cirurgia tem a duração média de cerca de uma hora. Após a cirurgia o doente permanece algumas horas numa sala de recobro, podendo posteriormente regressar a casa.

Preparação para a otoplastia

Existem várias situações que deverão ser ponderadas como forma de preparação para a cirurgia. São elas:

Antes da cirurgia

Antes da operação, o doente deverá conversar com o cirurgião plástico para esclarecer algumas dúvidas. Por exemplo: compreender o seu problema, a solução proposta, os riscos e benefícios do procedimento, que resultados são esperados, etc..

Exames

Não obstante a otoplastia se tratar de um procedimento simples, necessita que sejam feitos alguns exames e análises no pré-operatório, como o eletrocardiograma (ECG), hemograma, etc..

Medicações

O doente deve tomar a sua medicação habitual, salvo se houver indicação expressa do médico. Em alguns casos, pode ser necessário suspender alguns medicamentos (remédios) como por exemplo os que alteram a coagulação do sangue.

Jejum

Antes de realizar a cirurgia, o doente deverá fazer um jejum (não comer nem beber) de aproximadamente 6 horas.

Resultados na otoplastia

Na cirurgia de correção das orelhas proeminentes, a posição das orelhas é corrigida de imediato e é óbvia a mudança logo após a cirurgia. Ao fim de quinze dias ainda apresentará algum edema (inchaço), no entanto, já terá desinchado bastante, e irá continuar a desinchar durante os próximos meses, altura em que o resultado será definitivo.

Os resultados nesta cirurgia são bastante previsíveis, no entanto, tal como em qualquer outra, não são matemáticos, pois a cicatrização não ocorre da mesma forma em todos os pacientes.

Excecionalmente ocorrem casos em que as orelhas não ficam completamente assimétricas, e que existe a necessidade de novo procedimento cirúrgico, assim como nos casos de reconstrução.

Na otoplastia, a cicatriz fica escondida na parte posterior da orelha. Há casos que carecem de incisões na parte da frente da orelha, mas procura-se escondê-las nas dobras naturais da pele. A cicatriz designada de queloide, esteticamente desagradável, pode ocorrer em alguns doentes, sendo raro que tal aconteça.

Veja fotos superiores, onde é possível observar na otoplastia, o antes e depois da cirurgia.

Riscos, complicações na otoplastia

A otoplastia é uma intervenção cirúrgica muito segura e com resultados previsíveis, geralmente, isenta de complicações desde que sejam seguidas todas as recomendações efetuadas pelo cirurgião plástico. Contudo, existem sempre alguns riscos inerentes a qualquer cirurgia ou anestesia, todavia estes serão reduzidos se forem seguidas algumas recomendações, designadamente, a indicação da cirurgia adequada, a técnica operatória, o cuidado pós-operatório, a preparação da cirurgia, a escolha de um especialista em cirurgia plástica e em local com recursos adequados. Reunidas estas condições, os fatores de risco irão certamente diminuir a taxa de complicações.

Embora raras, como principais complicações podemos referir o sangramento, hematoma, dor, edema (inchaço) maior que o previsto, infeção, entre outras.

Nos resultados esperados, há o risco de ocorrer assimetria, sobretudo em orelhas de adultos, que possuem a cartilagem mais dura, tendendo a perder o ângulo da correção e voltar à deformidade. Essas situações podem ser, na maioria dos casos, evitadas, mas caso aconteçam, poderão ser corrigidas com nova intervenção cirúrgica.

Recuperação, pós-operatório na otoplastia

Como em qualquer outro procedimento, a otoplastia exige alguns cuidados no pós-operatório. Logo após a cirurgia, o paciente necessitará usar uma proteção em forma de capacete durante as primeiras 24 horas após o procedimento.

Depois desse período, a proteção será substituída por uma faixa de compressão, que deverá ser usada durante cerca de 30 dias durante a noite. A utilização desta faixa é essencial para o êxito da cirurgia.

A recuperação é relativamente rápida, praticamente ., sendo o tempo total de permanência na clínica de apenas algumas horas, podendo depois regressar a casa. No caso das crianças, dependendo do tipo de correção efetuada e se houver maior edema, aconselha-se que permaneçam em casa uma semana, ao fim da qual poderão regressar à escola, para evitar o risco de ferimento nas orelhas recém-operadas. Nos casos mais simples, poderão regressar às aulas ao fim de três dias.

No caso dos adultos, geralmente, poderão voltar à rotina ao fim de dois dias. Todavia, o tempo de recuperação deverá prolongar-se por 1 mês.

No momento do banho, o doente deverá deixar a região da cicatriz limpa e seca, lavando com cuidado e secando cuidadosamente no final do banho.

Medicação no pós-operatório

Geralmente, não ocorre dor no pós-operatório, poderá apenas sentir algum incómodo. No entanto, ser-lhe-ão prescritos, habitualmente, analgésicos (ex. paracetamol) para o caso de sentir dores. Se a dor sentida for forte deverá contactar o seu médico para observação.

Anti-inflamatórios também poderão ser prescritos para melhorar o edema (inchaço).

Prurido (comichão)

Poderá sentir algum prurido devido sobretudo ao edema provocado pela operação. Porém, deverá evitar “coçar” a zona operada, pois terá menos sensibilidade e um simples arranhão poderá ferir a pele, fazer sangrar, ou levar bactérias até à cicatriz, provocando infeção. Poderá também correr o risco de romper os pontos e assim alterar o resultado final, ou até mesmo de ter que realizar uma nova cirurgia.

Edema e vermelhidão

Nos primeiros dias, é normal que surja edema (inchaço) e vermelhidão. Com o passar do tempo este aspeto vai desaparecendo lentamente até ocorrer a cicatrização completa.

Regresso às atividades normais e exercícios físicos.

É aconselhável que o doente fique em repouso durante os 15 dias de recuperação. Deve-se evitar a prática de desportos, bem como atividades que exijam maior esforço físico.

A prática de atividade física deverá ser ligeira inicialmente, de forma a evitar algum tipo de ferimento no local operado.

Uso de óculos

O uso dos óculos é perfeitamente viável até por cima do curativo, que poderão ser presos à faixa que trará à volta da cabeça. Quando a proteção for retirada dever-se-á ter cuidado com o uso dos óculos, pois podem magoar atrás da orelha. Estes deverão ser reajustados à face.

Exposição solar

Outro cuidado importante a ter, prende-se com a exposição solar. O paciente deve evitar ao máximo a exposição aos raios solares, para evitar manchas ou edema.

Quanto custa uma otoplastia?

O valor da cirurgia depende do tipo de intervenção realizada e da complexidade da mesma. A maioria das otoplastias visa a correção das orelhas proeminentes, sendo esta intervenção relativamente simples e com um custo controlado. Neste caso, o preço médio de uma cirurgia de otoplastia pode rondar os 2000 euros.

O preço da cirurgia pode também variar com outros fatores como o subsistema ou seguro de saúde.

Clínica de Cirurgia Plástica